As surpreendentes esculturas de Edouard Martinet

Você já deve ter visto em feiras de artesanato artistas que transformam ferro velho em belíssimas esculturas. Mas apostamos que nenhuma das obras que você já viu se comparam, em termos de detalhamento, com as esculturas do francês Edouard Martinet.

Usando objetos metálicos como panelas velhas, carros e velhas máquinas de escrever, ele cria animais metálicos incríveis. Peixes, répteis, anfíbios, insetos – há uma escultura para todos os gostos.

E, acredite ou não, nenhuma de suas escultura s é soldada. Edouard, primeiramente, faz um esboço da criatura que quer construir e depois vai moldando os pedaços de metal. Depois os monta como se fosse um quebra-cabeças, encaixando as peças.

Como você pode imaginar, todo esse processo demora um tempo considerável, mas o resultado vale o esforço. Confira:


[OddityCentral]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

16 comentários para “As surpreendentes esculturas de Edouard Martinet

  1. Muito legal, com certeza teria varias em minha casa, todas muito bonitas.
    Interessante tambem é tentar saber de onde foram tiradas a peças.. correntes de bicicleta, limpadores de parabrisa. A boca do sapo parece ter sido tirada dos porta niqueis antigos.
    Muito bom.

  2. FANTÁSTICO.remetem a época em que o artista fazia tudo,imagina,desenha elabora e o resultado e simplesmente magnifico.
    Arte na mais pura forma..os “artistas” que fazem “instalações” nas bienais fajutas deveriam sentir vergonha

  3. FANTÁSTICO! COMO SEMPRE VCS SE SUPERAM COM RESPORTAGENS TÃO MARAVILHOSAS. PRIMEIRO AS ESCULTURAS FEITA DE MINAS DE GUERRA E AGORA ESSAS MARAVILHAS DA CRIATIVIDADE. PARABÉNS!

  4. Maravilhado com esculturas tão expetaculares!
    Ele é um gênio, admirável e apaixonante em suas obras.
    Parabéns a ele e ao Hype Science por ter divulgado os seus trabalhos.

  5. O gênio criativo do ser humano é realmente inquestionável! Adorei as esculturas. Gostaria de poder vê-las pessoalmente ou quem sabe, ter alguma. Seria o mais perto que eu poderia chegar de tanta genialidade.

Deixe seu comentário