Como tomar decisões mais racionais

Publicado em 26.04.2012

Essa é da série “descobertas científicas que não fazem sentido para nós”: pesquisadores concluíram que, embora à primeira vista possa parecer irracional, pessoas que falam duas línguas tendem a tomar decisões mais racionais quando pensam na sua língua não nativa.

Os cientistas da Universidade de Chicago, EUA, chegaram a essa descoberta após realizar uma série de experimentos cujos resultados foram publicados em um artigo da revista Psychological Science (“Ciência Psicológica”).

Intuitivamente, a maioria de nós acharia que não importa em qual idioma estamos pensando enquanto tomamos uma decisão, mas os pesquisadores descobriram exatamente o oposto.

Eles acham que isso ocorre porque quando as pessoas pensam em uma língua na qual precisam de mais esforço, elas tendem a ser mais analíticas e menos emocionais em frente a uma escolha.

Os cientistas realizaram vários experimentos para comprovar a teoria. No primeiro experimento, os voluntários receberam uma escolha a respeito de salvar alguns de uma morte certa, ou tentar outra opção que poderia salvar mais vidas, mas era mais arriscada.

Neste caso, os pesquisadores pediram a 121 voluntários americanos que tinham aprendido japonês a escolher entre uma cura para uma doença que poderia sarar definitivamente um terço das vítimas de uma praga, contra uma cura que tinha um terço de chance de salvar todas as vítimas.

Eles descobriram que quase 80% das pessoas escolheu a opção segura quando ela foi apresentada em inglês. O número caiu para apenas 47% quando a pergunta foi formulada em termos de perdas de vidas ao invés de salvamentos de vidas.

Mas, quando a questão foi colocada em japonês, a opção mais segura foi escolhida 40% do tempo independentemente da forma como foi formulada.

Eles fizeram diversas variações desse experimento e encontraram resultados quase idênticos. Em seguida, para olhar as coisas de outra maneira, eles montaram um experimento para testar a aversão míope (com foco em um grande ganho em vez de perdas menores).

Neste experimento, nativos coreanos que falavam inglês como segunda língua foram convidados a fazer apostas em coreano com ganhos grandes e perdas potencialmente menores. Eles aceitaram as apostas em 57% do tempo.

Quando perguntados em inglês, eles aceitaram a aposta 67% do tempo, indicando que a acharam mais razoável quando pensaram nela em uma segunda língua.

Os pesquisadores, então, levaram a experiência para o mundo real, pedindo a voluntários para fazer apostas com quantias muito pequenas de dinheiro dadas a eles, e encontraram praticamente o mesmo resultado.

Conclusão: parece mesmo que as pessoas tendem a se tornar mais analíticas e racionais quando pensam em uma língua estrangeira, e sua tomada de decisão tende a refletir isso.

O que você acha? Que tal testar e pensar em um inglês, espanhol ou outra língua quando tiver que fazer uma escolha?[MedicalXPress]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 25 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

1 comentário

  1. Eu já tinha descoberto isso, mas achava que podia ser algo s[o meu. Agora acho que muita gente deve usar esse mesmo recurso.

    Quando preciso fazer calculos (desde um pouco depois que entrei na faculdade) penso sempre em inglês(se vc nao entendeu, por exemplo, eu não faço “dois mais dois”, eu penso em “two plus two.”) .. faço isso pq percebi que desse modo eu tenho muito mais acertos. No começo era meio dificil, mas com o tempo fica quase tão facil quanto em português.

    Tente! Vale a pena! 100% de aproveitamento depois de alguns meses e sua auto-estima vai lá pra cima ;D

    Thumb up 7

Envie um comentário