Crianças anoréxicas: a culpa é da mídia?

Publicado em 27.05.2012

Um novo estudo divulgou dados desanimadores sobre crianças e transtornos alimentares. De acordo com estatísticas de hospitais britânicos, mais de 2,1 mil crianças foram tratadas por transtornos alimentares antes dos 16 anos de idade – o que mostra que problemas como a anorexia não estão vinculadas apenas com adolescentes.

Entre as crianças tratadas, 98 tinham entre 5 e 7 anos de idade e 99 tinham entre 8 ou 9 na época do tratamento. Quase 400 tinham entre 10 e 12 anos, e mais de 1,5 mil delas tinham entre 13 e 15. Os números reais devem ser ainda maiores, visto que alguns hospitais se recusaram a fornecer dados.

O que move tantos meninos e meninas tão jovens ao desenvolvimento da anorexia? Alguns especialistas culpam a cultura da magreza extrema, propagada pelos meios de comunicação.

Um estudo divulgado este ano no Reino Unido mostrou que 82% das crianças entre 5 e 13 anos com transtornos alimentares são meninas. Para a especialista Susan Ringwood, essas novas estatísticas provam que as meninas estão internalizando as imagens dos tamanhos reduzidos dos corpos das modelos e celebridades.

“As crianças estão recebendo mensagens muito nocivas. A figura ideal promovida para as mulheres nos dias atuais é o de uma menina, não a de uma mulher adulta. Meninas vêem fotos de mulheres extremamente magras em revistas e acham que é assim que elas devem ser. Isso pode deixá-las com medo da puberdade, tentando a evitar”, afirma Susan Ringwood.

Mas a repulsa aos meios de comunicação não é generalizada. A opinião dos especialistas sobre isso é bem dividida. Alguns acreditam que definir a mídia como um “monstro” que causa todos os males é um exagero. Para alguns médicos, a influência de modelos e da sociedade raramente é um fator contributivo no desenvolvimento de distúrbios alimentares em crianças pequenas.

Bem, talvez as crianças realmente não desenvolvam seus problemas com comida vendo anúncios de roupas e perfumes com modelos magérrimas, mas é difícil imaginar que não há uma conexão entre o aumento do número de crianças com transtornos alimentares e a exaltação crescente da magreza pela sociedade.

Essas doenças complexas certamente são causadas por uma variedade de fatores biológicos e psicológicos. Mas parece improvável que a cultura estética atual não afete as crianças – desde uma chuva de anúncios ensinando como perder peso rápido até matérias sobre como as celebridades emagreceram depois de ter um bebê. [Jezebel]

Autor: Stephanie D’Ornelas

É estudante de jornalismo, adora um café e um bom livro. Curte ciência, arte, culturas e escrever, mesmo que sejam poesias para guardar na gaveta.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

1 comentário

Envie um comentário