O que realmente são experiências de quase morte?

Publicado em 19.03.2012

Pacientes em estado de coma ou outras situações de proximidade com a morte geralmente vivenciam experiências inéditas nas próprias mentes.

Por alguma razão que ainda intriga a ciência, alguns “cenários” são recorrentes, tais como a pessoa se imaginar avançando por um longo túnel com uma luz no final. Muita gente considera que um indivíduo neste caso esteve, de fato, prestes a conhecer o lado dos mortos, mas cientistas americanos sugerem que tudo não passa de um produto do próprio cérebro.

Este mecanismo cerebral é conhecido e tem nome: sonho lúcido. Ele acontece quando alguém tem plena consciência de que está sonhando e sobre o que é tal sonho, podendo até interferir na sua história.

Geralmente, ele pode ser forjado por qualquer pessoa: se você dormir pensando intensamente em algo, se concentrando na vontade de sonhar com aquilo, as chances de ter um sonho lúcido são grandes.

Uma pesquisa da Universidade do Kentucky, em Lexington (EUA) fez uma experiência de monitoramento cerebral. Eles descobriram que as situações de proximidade com a morte, durante um sono induzido por anestesia, ativam os mesmos mecanismos neurológicos que entram em ação quando uma pessoa tem sonhos lúcidos. Ambos seriam estimulados pelo córtex dorsolateral pré-frontal, uma área que normalmente só funciona quando estamos acordados.

Na Califórnia, existe o Centro de Pesquisas de Experiências Fora-do-corpo (OOBE Research Center, na sigla em inglês), especializado no assunto. Baseados no estudo de Kentucky, eles conduziram uma pesquisa com quatro grupos de voluntários, cada grupo tendo entre 10 e 20 integrantes.

Os participantes foram colocados para dormir, com a condição de imaginarem ao máximo a ideia de estarem entrando por um túnel com final luminoso e tentarem sonhar com isso. Dezoito voluntários afirmaram terem sido capazes de sonhar com isso.

Outros, embora não tenham conseguido, tiveram a experiência de “sair do corpo”, vendo a si mesmos flutuando para o alto, eventualmente tendo a visão de um ente querido já falecido.

Entre os que saíram do corpo, o momento da ocorrência foi mensurável: em geral, acontecia durante a tênue linha entre estar acordado e adormecido. Isso se observou como ponto em comum entre todos os participantes, o que indica, segundo os condutores da pesquisa, que se trata de um mecanismo cerebral pré-programado.

Por essa razão, os pesquisadores pedem cuidado na hora de interpretar o que um paciente vê em estado de coma. Quando ele vê um familiar já falecido, isso pode parecer uma prova inegável de vida após a morte, mas os estudos dão evidências de que tudo pode ser apenas um reflexo condicionado do cérebro, que gera um sonho com extremo realismo. [LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Dalane Santos

Dalane Santos tem 21 anos, é recém-formada em jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e escreve para o Hypescience desde fevereiro de 2012.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

97 Comentários

  1. Jé vi inúmeros artigos científicos sobre projeção astral. A verdade é que nenhum estudo consegue realmente saber do que se trata.

    Psicologicamente você dizer que a pessoa teve uma projeção e isso aconteceu porque ela conhece sobre o assunto (projeção astral) e projetou isso na mente dela (e isso fez com que a experiencia fosse igual a de muitas pessoas)é aceitável.

    Porém, conheço inúmeros casos de pessoas que se quer ouviram alguma teoria espiritual ou comentário sobre a existência desses fatos e tiveram projeção astral, as vezes encontrando antepassados ja mortos.

    Essas coisas são explicadas pelo o espiritismo, ao mesmo tempo em que diversas teorias cristãs são criadas pra explicar o porque de o fato “bater” com as teorias espíritas. Eu realmente não consigo acreditar que seja algo meramente fruto da mente humana – um simples estado de sono.

    Dai eu venho aqui e leio um comentário de um ateu praticamente expulsando pessoas – que acreditam que projeção astral sejam coisas espirituais – do site. Achei isso ridículo, afinal, eu vim aqui na esperança de conhecer estudos científicos que me ajudem à criar minha própria teoria sobre o assunto.

    Não sou nenhum tipo de físico nem nada, mas acredito que: a projeção astral é induzida por esse estado de sono, e dai você vai para ~outra dimensão~, ouvi falar que existem teorias científicas que provam que existe bem umas 13 dimensões. Bom, o plano para que a pessoa vai na projeção poderia ser uma delas. Se esse plano é algo espiritual, dai já não sei… pode ser, mas dai já não sei de nada.

    • Toda viagem fora do corpo é uma viagem dentro do corpo. Não há coisa alguma que “saia” do organismo para passear impunemente por onde bem queira. Mesmo que exista uma alma dentro do ser humana esta estará a ele agregada enquanto viver, se sair babou!

      Mas, como saber disso com certeza? Simples: testando. Se a alma consegue sair do corpo em certas circunstâncias provavelmente essa circunstância poderá ser induzida com técnicas adequadas. Pois é justamente isso o que defendem os praticantes da “projeção astral”, também chamada “projeção de consciência”.

      O caso é que em todos os testes que se fazem com pessoas em projeção de consciência não se comprova que esta estivesse realmente fora do corpo. Quer uma prova simples? Ponha alguns objetos numa sala diferente de onde o “viajante” esteja e peça-lhe que quando projetado vá até lá e relacione o que viu. Se conseguir é porque estava de fato fora do corpo. Porém, já deixo uma dica: o projetado não vai conseguir… Se duvidar faça o teste.

      Felicidades.

  2. Olhem, a experiência de quase morte é realmente muito polêmica, mas o fato de não ter sido provada pela matemática e física não significa dizer que não existe. A matéria escura que, segundo os cientistas, preenche mais de 90% do Universo não teve sua existência comprovada, mas muitos acreditam nela. Explicaria muita coisa que eles não entendem.
    Eu passei pela EQM onde presenciei coisas e comprovei isso confirmando, após sair da EQM, os fatos que vi durante a experiência. Mas será somente a minha palavra contra a de todos que não estavam no local naquele momento. Isso não tira de mim a certeza do que ocorreu.
    Eu li há muito tempo no jornal O Globo a história de um cardiologista Holandês, desculpe mas não lembro o nome, que ficou intrigado com o relato de um paciente que tinha acabado de ser ressuscitado por ele, após uma longa parada cardíaca, e resolveu estudar o assunto. O paciente havia testemunhado um acidente de trânsito, que havia ocorrido a quatro quarteirões do hospital, enquanto o médico tentava ressucitá-lo e o relatou nos mínimos detalhes (marca e cor dos carros envolvidos, o nome da rua, o tipo físico das pessoas e etc). Ninguém sabia do acidente naquele momento, os médicos só souberam depois quando as vítimas foram encaminhadas ao hospital. O médico holandês, vencendo resistências de colegas, documentou o fato e passou a pesquisar o assunto.
    O que diferencia o médico holandês do pesquisador que quer entender e provar a existência da matéria escura no universo? Nada os diferencia, todos dois se defrontaram com fatos estranhos que não podiam ser explicados pelas teorias vigentes e passaram a estudá-los. O médico holandês, acho que é o Dr. Pim Van Lommel, se aprofundou no tema, achou algumas respostas e muitas outras perguntas. Os cientistas que estudam a matéria escura no universo estão no mesmo caminho. Por que devo acreditar mais em um do que em outro? Porque o primeiro mexe com a nossa transcendentalidade e com isso faz emergir dogmas e preconceitos?
    Vamos ficar assim, não praguejaremos contra os que acreditam nem contra os que não acreditam, mas não podemos deixar de permitir e estimular que se pesquise o assunto, sem ideias preconcebidas.

    • Veja o documentário “Quem somos nós” nele tem fundamentos científicos que chegam a essa parte de EQM’s e viagens astrais, o documentário não é sobre EQM, com todo o conteúdo baseado em física quântica e filosofia você chega a umas respostas no mínimo filosoficas a esse fenômeno.
      Eu particularmente já passei por isso, mas não foi por conta de acidente, foi sem querer eu nem conhecia tal fato, depois que pesquisei lembrei de fatos que aconteceram comigo quando bem criança e me assustava um pouco, mas eram tudo viagens astrais até que se prove o contrário.

    • materia escura não teve sua existência comprovada?????
      passe a frequentar mais o blog filho…e menos igreja

    • Marcelinho

      O HypeScience já postou artigos mostrando pesquisas de indícios da existência da Matéria Escura.

      Em termos de “em que” os cientistas “acreditam”, há o exemplo do Bóson postulado pelo físico Peter Higgs, que é a culminância teórica de toda a Fisica de partículas conhecida até agora.

      É irônico, mas, se a existência do Bóson de Higgs (que é ficção científica!) não for demonstrada, vai derrubar toda essas teorias físicas, de modo que terão que partir “do zero” (quantico….rsrsrsrs) para reconstruir tudo, mas sem qualquer direção nova a seguir!

      Reze, portanto, para que a “partícula-Deus” seja real para além das pranchetas dos projetistas do LHC, senão frequentar blogs de ciência não vai ser diferente de frequentar igrejas por aí.

  3. Somos seres humanos,portanto especiais.Cientista nenhum conseguirá nos desvendar por completo,ainda que façam picadinho de nosso corpo.
    Deus ilumine sempre a ciência que trabalha em benefício da humanidade. Melhora e muito a vida em nosso planeta.
    Parabéns ao Bovidino e ao Jonatas,seus comentários são bem fundamentados.

    • Nós não somos seres especiais. somos da mesma materia organica que uma lesma, uma arvore, e até daquilo que sai do teu colon. somos uma materia organica podre como tudo em volta a terra. quando morrer, ai sim, talves teremos algum significado para o resto dos organismos.

    • O que deus ou deuses tem haver com ciência? aqui não é site de crenças para ficar pregando aqui

  4. Vale ressaltar ainda que esta é uma notícia veiculada pelo Hype Science que pode conter erros de conceito, como já foram encontrados em outras notícias. (Há pouco li uma matéria do Hype Science sobre a relatividade que continha vários erros!) Dessa forma, será preciso pesquisar em outras fontes de informação para saber o que de fato foi observado pelos cientistas, em que pé andam as investigações, a que conclusões de fato chegaram, para se poder discutir com mais certeza.

  5. na boa,

    esse site é pra ateus, pessoas ligadas a ciência e em busca da verdade.

    peço aos demais que procurem sites ligados a religião, conto de fadas e amigos imaginários; não a ciência.

    grato.

    • Ai quanta besteira! Ciência e religiosidade estão cada vez mais caminhando juntos e isso é justamente o que falta para a melhor compreensão da vida e seus acontecimentos.
      Não seja insipiente!

    • Isso mesmo, Angel M.. Na verdade a ciência e a religião estão VOLTANDO a caminhar lado a lado! Antes da idade média elas eram uma coisa só, na mesma ALQUIMIA.

    • Não estão, nunca estiveram. E cada vez mais os cientistas, e a ciência está mostrando o quão inútil e atrasada a religião foi para a humanidade.

    • RAFAEL

      Informe-se sobre “Robespierre”, que na Revolução Francesa ergueu uma estátua representando a “Deusa Razão”.

      E informe-se sobre Auguste Comte, que de fato criou uma “Religião da Humanidade” (a Igreja Positivista) com rituais e pompa imitada da católica, para “adoração” da Ciência e “culto sagrado” à Razão.

      Assim, Comte demonstrou na prática que “evolui-se” do 3º estado (o positivista) para…o teológico!!! De novo!!!

      Entonces…a Religião e a Ciência estão se reencontrando!

      Há até apelos de ateus para se contruirem templos em Londres!

      E por todo o mundo cresce a “Religião Jedi”, uma forma de religiosidade ATÉIA!!!

      Em relação ao passado ocidental, se não existisse a Igreja Católica, Carlos Magno não teria iniciado a “Renascença Carolíngia”, que preparou o terreno para o “Renascimento do século XII”, principal precursor do Renascimento Italiano.

      Sem essas etapas prévias, não teria existido “CIÊNCIA” no mundo contemporâneo.

    • Para se ser cientista, e bom, não precisa de ser ateu. Basta ser inteligente, e não ter preconceitos. A religião e a descoberta ou a invenção não são incompatíveis, muitas vezes são complementares. Só é preciso saber alguma coisa sobre as duas…

  6. E você como um bom papagaio de pirata apenas repete o que lhe falaram ou andou lendo por aí. Vá ter suas próprias experiências e quem sabe vc evolui de papagaio a condor!!!

  7. Quanta gente especializada em EQMs…

    As EQMs ocorrem em pessoas com parada cardíaca e com EEG linear. Isso para a medicina é o mesmo que estar morto e não dormindo. Durante as EQMs as pessoas são capazes de perceber tudo o que acontece à sua volta, bem como em locais distantes. Esses fatos são comprovados depois. O cérebro nessa condição não deveria ser capaz de perceber as informações e muito menos reter as lembranças. O estudo de EQMs tem sido levado à sério por vários especialistas de renome há vários anos: Peter Fenwick, Sam Parnia, Raymond Moody, Pim van Lommel, Elizabeth Kubler-Ross, Jeffrey P. Long, Bruce Greyson, William Proctor e tantos outros.

    As EQMs acontecem com todos os tipos de pessoas incluindo religiosos de todas as denominações, ateus, agnósticos, crianças e cegos.

    Vão pesquisar mais um pouco e depois falem com mais conhecimento de causa.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Experiência_de_quase-morte
    http://www.nderf.org/Portuguese/index.htm

    • Até que enfim uma opinião abalizada. Parabéns.

    • Andre,falou pouco mas disse tudo

  8. “-Entre os que saíram do corpo, o momento da ocorrência foi mensurável: em geral, acontecia durante a tênue linha entre estar acordado e adormecido. Isso se observou como ponto em comum entre todos os participantes, o que indica, segundo os condutores da pesquisa, que se trata de um mecanismo cerebral pré-programado.”

    Isso é impossível de ser mensurado pois os participantes não saberiam dizer o momento que sairam do corpo e nem os aparelhos podem detectar em que momento isso ocorreu. É puro chute. Mecanismo cerebral pré-programado é mais um chute sem qualquer fundamento.

    “-Por essa razão, os pesquisadores pedem cuidado na hora de interpretar o que um paciente vê em estado de coma. Quando ele vê um familiar já falecido, isso pode parecer uma prova inegável de vida após a morte, mas os estudos dão EVIDÊNCIAS de que tudo PODE SER apenas um reflexo condicionado do cérebro, que gera um sonho com extremo realismo.

    Quais são essas evidências? Evidências podem ser relatadas. Mas não relatam nenhuma porque não há evidências, apenas chutências.

    • Muitissimo bem, Bodivino !!! Concordo em número, gênero e grau !!! PARABENS ! ! !

  9. Embora respeite a crença e a opinião dos espíritas, a ciência dá mais um passo para mostrar que interpretações de tais fenômenos como são dadas pelo espiritismo – e outras doutrinas – são apenas crenças, sem nenhum suporte experimental. Por exemplo: de onde os espíritas tiraram a idéia da reencarnação (além, é claro, de religiões antigas que já pregavam essa noção milhares de anos antes)? De supostos contatos com espíritos. Onde estão as provas desses contatos, e do que os supostos espíritos disseram? Uma coisa é fazer um experimento controlado e chegar a alguma conclusão após diversas repetições e observações de resultados. Outra coisa, muito diferente, é acreditar no que dizem os autores espíritas, especialmente Alan Kardec, que certamente não procedeu a experimentos de ordem científica (como se entende que deve ser a prática da ciência).

    • Corrigindo erro de português no meu texto: “(…)as interpretações de tais fenômenos (…) é apenas crença(…)”

    • “…exemplo: de onde os espíritas tiraram a idéia da reencarnação (além, é claro, de religiões antigas que já pregavam essa noção milhares de anos antes?)..”

      Espiritas não tiraram a idéia de lugar nenhum. São evidências documentadas e pesquisadas. Estude mais pouquinho e comece pelo livro Reencarnação 20 Casos escrito pelo psiquiatra canadense Dr professor Ian Stevenson.

    • Onde estão as provas científicas? O fato de haver um livro sobre o assunto escrito por um psiquiatra é tão significativo quanto as provas de milagres aceitos pela Igreja para canonizar uma pessoa. Ninguém provou nem mesmo que existem espíritos, quanto mais reencarnação (não que eu não creia na existência de espíritos, mas essa é uma questão complexa que foge ao tema da discussão. Eu me refiro a provas concretas, e não a alegações religiosas, que se fundamentam apenas “naquilo que aprendi porque os outros me disseram” e na fé pura e simples.) Reencarnação, até uma prova científica em contrário, não passa de fantasia.

    • É isso mesmo caro JHR, concordo contigo! O Espiritismo
      Ciêntifico é ciêntifico justamente por seguir as premisas da
      ciência. São experiencias que podem ser repetidas e confirmadas. E além de Allan Kardec, existe tambem uma outra metodologia
      ESPIRITO-CIÊNTIFICA: A ANTROPOSÓFIA. Fundada por Rudulf Steiner. Criador do metodo pedagogico Waldorf.

      LÊIAM RUDOLF STEINER ! ! !

    • Legal! E obrigado pela dica de leitura.

  10. Os “cientistas” que não acreditam na realidade das EQM têm que explicar como é possível obter genuína informação quando se está clinicamente morto.

  11. Como o estudo não é conclusivo, nenhuma hipótese pode ser descartada Logo continuamos na estaca zero, isto é, qualquer interpretação do polêmico assunto é válida.

    • Nem tanto, José. A explicação dos neurocientistas é baseada no que conhecemos do funcionamento do cérebro, e foi comprovado empiricamente.

      Já a explicação fantástica de que se trata de uma vista d’olhos no “outro lado”, é baseada só em aparências e no que as pessoas querem acreditar.

    • ESTE TIPO DE PESQUISA NÃO É SUFICIENTE , PARA AFIRMAR NADA.

      TEM MUITO MAIS ENTRE O CÉU E A TERRA DO QUE ALGUNS CIENTISTAS,PODEM PENSAR.

      COM TODO RESPEITO,

      Cris Soares

  12. Com tantas evidências contra eles, é difícil acreditar que alguns dos pesquisadores insistem em afirmar que EQM seja apenas sonhos lúcidos.
    EQMs se movam mais pela fé do que pela curiosidade científica.
    Mesmo assim, continua sendo uma forma de ciência, já que a busca é por resultados concretos.
    Se um dia eles vão chegar a esses resultados?
    Quem viver verá. E quem morrer também.

  13. A questão que deixa a narrativa da matéria tendenciona é quando afirma que deve-se ter cuidado com os relatos dos que viveram experiência de coma pois “mas os estudos dão evidências de que tudo pode ser apenas um reflexo condicionado do cérebro, que gera um sonho com extremo realism”.
    Tudo é simplificar por demais toda a complexidade das narrativas a respeito das experiências ditas de quase morte.
    Cuidado com a vontade de confirmar as suas mais profundas crenças.

  14. Sugestão baseado na Ciencia e baseado no Misticismo são coisas muito diferentes, uma das duas está baseado na transparência e respeito humano, enquanto a outra num obscurantismo trágico, como estamos cansados de saber!

  15. Experiências de quase morte é ver o outro lado. Claro que isso existe e é real.

    • O nosso maior problemar é não nos conhecermos por dentro, para que depois possamo explorar aquilo que não conhesemos; pois seria uma mantira ”em dizer que estamos sozinhos “” .Subtimar nossa própria inteligencia é tentar dar uma rasteira em nós mesma.

    • Quem “vai ao outro lado” morreu. Se foi e voltou significa que ressuscitou. Então podemos concluir que a ressurreição está provada? Se sim, coitado dos espíritas, que acreditam em reencarnação…

    • As duas coisas são possíveis. A reencarnação pode ser compulsiva ou voluntária. A reencarnação compulsiva é a que contempla a maioria de nós. A voluntária cabe aos seres mais evoluídos que desejam prestar serviço à humanidade. A ressurreição também só seres muito evoluídos podem realizar em ocasiões muito especiais. No caso de quase morte não se trata de nenhuma das duas coisas, pois não se trata de morte e sim de QUASE morte. Os espíritas sabem perfeitamente de tudo isso.

    • Os espíritas sabem perfeitamente de muitas coisas… O problema é comprová-las…

      Há um ditado: para ver Deus tem que morrer. Se alguém alega ter estado do outro lado (ainda que por um instante), então não tem jeito, MORREU. E mesmo que o nome da “coisa” seja “quase morte”, se deu uma pisadinha no outro mundo, tá morto. Agora, se depois de morto voltou a viver, a conclusão lógica é de que ressuscitou.

      Reencarnar é outra coisa: segundo a crença, trata-se de assumir um novo corpo o que, obviamente, não ocorre numa EQM.

      Ou, então, caímos na hipótese mais plausível: são experiências dentro do cérebro que parecem, apenas parecem, acontecer fora do corpo.

    • Grata, Bovidino.

    • A Flor de Lis voltou! *-*

  16. Por que não tentam explicar a morte em sí. A ciência humana não aceita explicar eventos paranormais. Milhões de pessoas ao longo da história que passaram da morte, já viram tais coisas.

    Eu não culpo a ciência, ela mantém um padrão de explicação com base no que é físico, através de métodos e investigações.

  17. Durante o sonho, ativamos partes do cérebro que não ativamos durante o dia, e acredito que de fato tenhamos um poder mental maior. Porquê? liberdade, não estamos acordados trabalhando e ocupando nosso pensamento no conturbado mundo real, estamos em nosso próprio corpo.
    O sonho lúcido, pode ser, mas isso não explica quando a pessoa em coma presencia fatos distantes de onde está seu corpo. Isso não é exclusividade das EQMs, conheço histórias de pessoas que fizeram isso até dormindo normalmente.
    Eu acredito no valor da pesquisa científica, mas essa não está sendo feita do jeito certo e provavelmente nem há como. Fazer alguém dormir conectado a eletrodos e mandar sonhar com um túnel não vai trazer esclarecimento conciso sobre percepção extrassensorial, nem desdobramento espaço-temporal ou mesmo uma projeção astral, só vai mostrar como o cérebro se comporta quando fazemos isso, e isso não é novidade. Essa pesquisa está no mundo físico detectável, e só pode explicar isso.

    • Caramba, Jonatas! Voce sempre surpreendendo! Sabe que estamos rodiados(cercados) pela ETERNIDADE o tempo todo em nosso ETERNO PRESENTE: AGORA. E a nossa ciência trabalha com os campos perceptivos FISICOS. Mas nós, todos nós, somos muito mais que apenas isso. Acredito que só quando a ciência passar a considerar nossas outras areas cognitivas é que “voltaremos” a ter uma ciência com espirito. Alguns chamam de alquimia, eu entendo por ANTROPOSOFIA.

    • “Existem pessoas que, repentinamente, ficaram livres do câncer; tumores cerebrais desapareceram; um homem com AIDS emergiu da experiência sem um sinal da doença no corpo.
      A comunidade médica está totalmente confusa tentando explicar isso.
      A verdade é que os sobreviventes da Experiência de Quase-Morte passam por uma transformação tão grande que ficam parecendo estranhos para aqueles que os conheciam antes; até as fotografias tiradas antes e depois podem mostrar essa diferença.”

      fonte:http://www.parapsicologia.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=30:eqm-uma-questao-polemica&catid=12:brasil-pernambuco&Itemid=4

    • Uma solução para o mar de dúvidas que brotam nesse meio (os místicos defendendo tenazmente que EQM seja legítima ida e volta ao céu), seria conseguir condição equivalente em laboratório e verificar se a alma realmente sai do corpo. Confirmar isso é muito fácil: basta pôr numa sala fechada alguns objetos e pedir à alma do sujeito em desprendimento que vá até lá e nomeie o que viu. Se conseguir, ter-se-á boas evidências de que o espírito pode sair e voltar sem maiores consequências e estaria provada a existência de algo imaterial no homem.

      Mas adiante: em todas as experiências intentadas o “espírito” falhou completamente…

      Se o “viajante astral” não consegue ir à sala do lado, como consegue chegar ao céu e de lá voltar?

    • Não sou místico nem defendo nada dessas teses mitológicas que você postou. Falo de fenômenos de percepção extrassensorial ou viagem astral e eles não dependem de nossa vontade, se acontecem acontecem aleatoriamente, ou outra ideia é que acontecem o tempo todo com todo mundo, mas poucos são os que conseguem controlar e principalmente lembrar do que se passou. Outra, no mundo metafísico essas limitações físicas daqui somem, você não tem que percorrer uma estrada para chegar a outro lugar, é só pensar e estará lá, você não viaja, apenas se situa.
      Alguém que realmente domine isso não se sujeitaria a testes, porque uma pessoa iluminada não precisa de bens materiais nem se preocupa em provar algo. Só quem aceita testes de mediunidade são charlatões, e quando caem na armadilha, toda a filosofia do meio fica desacreditada.

    • Uma experiência pessoal que não possa ser comprovada de forma ampla serve tão-somente para satisfazer as expectativas de quem a experimentou e acredita tratar-se de vivência transcendental, juntamente com aqueles que pensam do mesmo modo. Em termos objetivos não comprova coisa alguma e a dúvida continua…

      Portanto, a dúvida continua, e a hipótese mais provável é a de que se trata de fenômeno, embora incomum, tipicamente circunscrito às peculiaridades da pessoa humana.

    • Perfeitamente. Falou pouco e disse tudo.

    • Não sei até que ponto a pessoa está testemunhando fatos que acontecem distante dela. Geralmente os relatos são diferentes, e só uma grande vontade de que sejam a mesma coisa fará com que o relato e o fato em si sejam considerados coerentes.

      Eu não duvido das EQM, o que eu duvido muito é da explicação que arranjaram para elas. Só que quem já se comprometeu emotivamente com a explicação não é capaz de considerar qualquer outro ponto de vista como válido, exceto o seu.

    • Finalmente Jonatas e Bodivino revelaram seu lado esotérico, já que nesse assunto, tudo é possível de comentar, enfim fico satisfeito com essa demostração publica de humanidade, sem serem piegas , inconvinientes ou chatos. Um abraço e muita energia, e me desculpem o comentário, não consegui resistir.

  18. Está bem claro a intenção de criar polêmica sem fundamento:
    -“mas cientistas americanos SUGEREM que tudo não passa de um produto do próprio cérebro.”.-
    ‘Sugestão’ não é ciência, é palhaçada.

    • Porém, em muitos casos da EQM, os pacientes estavam clinicamente mortos. Alguns pacientes chegaram a ficar meia hora clinicamente mortos, e os neurologistas dizem que nesse estado seria impossível o cérebro criar qualquer imagem.
      Alguns casos podem até ser o sonho lúcido (casos em que os pacientes não estão clinicamente mortos, só em coma ou em semicoma (coma induzido)), mas alguns casos isso seria impossível.
      Existem até mesmo prova de que nesses casos pacientes estiveram em outra parte, vendo acontecimentos quilometros de distancia dali, e posteriormente foi constatado que o que elas viram foi realmente real. E isso, para a ciência, é completamente impossível.

    • Alguns pacientes dizem ter ido muito longe, mas se são postos em condição semelhante à EQM (nas chamadas viagens astrais) ele não consegue “ver” nadinha…

    • E você acha que isso depende mesmo das condições? E que sempre se pode lembrar de tudo numa viagem astral? se fosse por isso todo mundo lembraria o tempo todo e já saberíamos de certeza que é real. Haveriam pessoas preferindo viver em astral do que viver aqui. Não, esse lance se atinge em ocasiões especiais, é por isso que se chamam fenômenos sobrenaturais. Nem tudo pode ser medido e controlado em laboratório.

    • Fenômeno é tudo o que acontece na natureza, e pode ser observado, explicado e, às vezes, controlado.

      A questão de “lembrar de tudo” é irrelevante na verificação da realidade das viagens astrais. O que se propõe é elaborações de testes seguros, que mostrem que efetivamente há um espírito fora do corpo e atuante. Não adianta muito que alguém criativo diga coisas admiráveis sobre o mundo espiritual e quando testado sob controle nada possa informar que confirme a condição de “fora do corpo”.

      É essa testagem objetiva (que não precisa ser nada complicado, algo como, por exemplo, nomear objetos numa sala fechada) que os que dizem sair de seus corpos não mostram interesse em realizar.

      Viagens fora do corpo, EQMs, em realidade são experiências havidas DENTRO do corpo. De real nesses eventos apenas a SENSAÇÃO de estar fora. Mas não passa disso: sensação…

      Quem quiser comprovar é só fazer testes simples e objetivos. Em certos casos dá pra realizá-los até mesmo em casa…

      Vamos, viajantes astrais, façam as verificações e mostrem os resultados concretos…

      Boa sorte a todos, mas não trafeguem na contra-mão espiritual, as leis celestes são muito mais rigorosas que as daqui…

    • Testes seguros? Esses testes que tu citou são totalmente tendenciosos, eles pegam pessoas que se dizem ou acreditam ser capazes disso sem ser, é claro que não passaram. Não é assim que se pratica ciências. Seria como pegar Hawking e dizer: mostre fisicamente aqui pra mim a evaporação de um micro-buraco-negro, e tudo que ele tem é uma complexa explicação matemática de sua conclusão, mas nada palpável pra comprovar que está certo. Não se faz ciência pedindo relatos depois de acordar a pessoa e comparando com seu movimento neural, se faz ciência com teste em campo, e isso só será possível quando um sonho puder ser filmado. Não entendo porque disse que o “Não lembrar” é irrelevante, é totalmente relevante, o processo é complexo, não qualquer um que consegue a qualquer hora, trata-se de algo muito raro.

    • Anderson, existem evidências de que o que se considera “coma profundo” não seja tão profundo assim, e exista atividade cerebral que não foi detectada. Os cientistas estão a todo momento fazendo novas descobertas, descartar a explicação neurológica da EQM usando explicações da neurologia é complicado. Os neurologistas que sugerem que tudo não passa de uma atividade cerebral tem seus motivos e tem eles fundamentados no que se SABE sobre o cérebro.

    • O mais incrível é que a própria Física já tem os caminhos, como realidades paralelas vibrando em diferentes existências, universo multidimensional, desdobramentos espaciais, que mostram ser possíveis as coisas mais incríveis de existirem, em nós mesmos, além do que nossos cinco sentidos físicos possam conceber.
      A ciência já tem os moldes para dar esse passo adiante no entendimento de nossa própria essência, mas o conservadorismo e confiança total apenas em métodos palpáveis ainda a impede.

    • Muito bem lembrado.

    • O problema a elucidar é o seguinte: se numa EQM é possível o espírito sair do corpo e a ele voltar , então talvez haja meios desse mesmo espírito se desprender de seu envoltório carnal em condições outras, preferencialmente em condições que possam ser controladas e permitam verificar se as alegações de viajar sem corpo são reais.

      Pois bem, os que se dedicam a “viagens astrais” afirmam ser capazes de tal feito. E esses podem ser investigados com muito mais eficiência do que os que vivenciam EQM, por esta ser imprevisível.

      Então, basta selecionar os “melhores viajantes” e neles aplicar os testes.

      Outra coisa: havendo mais de uma hipótese para explicar um fenômeno e essas hipóteses forem contraditórias entre si, considera-se a mais econômica (ou seja, aquela que exige menos componentes adicionais para esclarecer o fato) a mais viável. Nesse caso, não há dúvida de que a explicação cerebral para as EQM é muito mais econômica que a hipótese mística…

    • Ah sim claro, se um cientista concordasse com você, estaria certo, um gênio, mas se ele discordasse de seu pensamento, não não, isso já não é ciência, é palhaçada, não tem fundamento nenhum, claro

      Não existe qualquer comprovação de almas, muito pelo contrário, a consciência está no cérebro, isso é fato, pode até ser triste mais é a realidade

    • O fato de você não acreditar na existencia da alma, eu sei que é pessoal, talvez voce não tenha tido nenhuma experiencia ainda, todavia pense, e não estou falando de qualquer religião ou qualquer corrente filosófica nesse campo, que o pensamento precede qualquer ação, que a mente humana está presente em tudo a sua volta, durante milênios,e olhando sob o ponto de vista da incredulidade, temos de admitir que ela é criativa, e através do individual ou coletivo, poderia criar a alma,pelo conceito da humanidade, de modo simples, com explicação simples para os simples, e complicada para alguns, poderia criar mundos paralelos,para justificar essa necessidade do existir.Em todo canto do mundo, mesmo o homem solitario, isolado, desenvolve a idéia do pós morte e do divino. É algo que que mesmo sendo ateu, ou discrente de qualquer coisa o homem pensa e começa a filosofar, pois senão fica sem objetivo, sem esperança.Espero não ter sido enfadonho, piegas ou até ofensivo, apenas senti a nescessidade de lhe dizer algo.Abraços e muita energia.

      essa

  19. A ciência precisa entender que certas coisas são inalcançáveis para nossa compreensão. O mundo da física quântica é um exemplo claro de que a verdade pode ser relativa. É preciso estudar sim mas é preciso ser humilde para reconhecer os limites do conhecimento e para respeitar a opinião alheia…

  20. Não creio que um moribundo, geralmente inconsciênte, esteja em condições de “forjar” ,com foi afirmado no texto, um sonho lúcido, uma vez que o próprio texto afirma que o sonho lúcido ocorre quando alguém tem plena consciência que esta sonhando… patético… só vejo uma razão para colocar um texto como este: criar polêmica.

    • Acho que você não entendeu o texto. Pelo texto, a experiência é real, mas a explicação fantástica de que se trata de uma espiada no outro mundo é que não é.

      Em outras palavras, o que o moribundo viu e ouviu faz parte da experiência dele, ou seja, ele experimentou realmente isto. Só que não foi uma coisa espiritual, foi uma coisa mundana, foi o cérebro dele em curto-circuito por causa da quase-morte.

      Repito, você NÃO entendeu o texto. E quem está procurando polêmica é você.

    • A interpretação que temos do mundo é relativa e depende de nossas próprios convicções e valores.O que é certo pra você pode não ser tão certo assim para outra pessoa. Lendo seus comentários, concluo que sua racionalidade é seu próprio tormento. Escraviza sua mente cartesiana em busca de respostas lógicas muito provavelmente para dar sentido ao seu vazio existencial. Tente relaxar um pouco…não leve vida tão a sério

    • Cesar,
      Apelação tem limite. Curto-circuito no cérebro provoca visões nítidas ou sonhos lúcidos? Você costuma ser um pouquinho mais lúcido quando não está em curto-circuito.

    • é verdade marcos,valta criatividade neles

  21. Eu gostaria que explicassem como pessoas que tiverem Experiência de Quase Morte relataram acontecimentos em outros quartos e até mesmo fora do hospital. Eles estavam em coma mesmo assim relataram tudo o que acontecia em outros lugares.

    Os médicos e outras pessoas confirmaram tudo. Tudo o que relataram era verdade. Como pode uma pessoa estar em coma e ver e ouvir o que acontecia em outros quartos e fora do hospital? Isso eles não explicam. Agora vem dizer que Experiências de quase morte são apenas sonhos lúcidos? Eles não explicaram o principal.

    Eu acredito que a morte do corpo é apenas uma passagem, nossa mente não morre, apenas se livra da carne.
    A Experiências de quase morte para mim é real, não é sonho lúcido.

    • Não tem nenhuma prova do que você falou é verdade.
      Drauzio Varella já teve experiência de quase morte e falou que não viu nada, apenas uma escuridão (normal), e também já atendeu vários pacientes em estado graves (preferência dele) e também não relataram nada

      Isso você encontra em um entrevista dele, que está no youtube para quem quiser ver

    • Espero que não vc precise utilizar os serviços do Dr Drauzio Varela… não deve ser nada consolador…

    • Não ocorre com todos.

    • Eu próprio já tive várias paralisias do sono (que pode ser diferente de sonho lúcido), no início eu tinha medo de me sufocar sei lá, mas pesquisando melhor, conseguir administrar.
      Fico com olhos abertos, sem conseguir se mover um músculo, e vejo exatamente como é meu quarto agora, mas com várias alucinações, imagens, sons, que é normal neste caso (tão real, assim como to escrevendo isso agora), mas eu sei que isto é coisa do meu cérebro e nada mais!

    • ”Eu acredito que a morte do corpo é apenas uma passagem, nossa mente não morre, apenas se livra da carne.”
      Interpresante eh que a ”mente” tbm faz parte da ”carne”, seu cérebro que guarda suas memoria habilidades e personalidade, e isso eh provado, pois pessoa que perdem parte do cérebro já experimentaram mudanças bruscas de personalidade, se vc acredita que a mente eh independente do cérebro em que lugar seriam guardados suas lembranças e personalidade?

    • Acho que o próprio sonho lúcido também é algo real, e uma realidade a qual podemos construir e alterar livremente. Vai ver nossa própria existência já é um sonho lúcido de alguém.

    • Acho que voce já leu Florinda Donner-Grau!?!?!

    • Desconhecia, agora que você citou vou dar uma olhada. Obrigado.

    • Já houve relato em que a pessoa que passou pela experiência de quase morte visualizou algo colocado acima de um móvel, onde o paciente não poderia ver o objeto a partir da cama.

      Como poderia ser um sonho lúcido, se a pessoa não havia visto aquele objeto e o relatou ao retornar do coma ?

    • Porque, acredito, o “sonho-lucido” é tão real como nossa vida cotidiana. A unica diferença é que percebemos a vida cotidiana com nosso corpo fisico. Já o sonho lucido é percebido SEM o corpo fisico, mas atravez dele, por uma percepção (atenção)extra-corporea (achei o termo pessimo, mas no momento não encontro outro melhor.).

    • Sim… e os computadores, quando quebram, seus S.O vão para o céu onde um dia você irá reencontra-lo e usa-lo.
      Acredito que talvez, com muita sorte, a conciencia possa escapar da destruição total mas não do jeito que os outros pensam.

    • Engraçado é que ninguém (ou quase) vivencia idas e voltas ao inferno. aliás, nem do céu conseguem dizer nada de útil: tem quem veja Jesus Cristo, outros encontram parentes, amigos. Soube de um sujeito que teria encontrado o bicho-papão, razão pela qual ele preferiu voltar. Então, não há quem tenha nada de produtivo a dizer a respeito da dimensão espiritual. Mas alguns afirmam ter visto o que se passou na sala de cirurgia e daí surgem relatos de que os médicos “confirmaram tudo”. Mas quem são esses que dão tais depoimentos? Justamente os apologistas das EQMs… Desconhece-se que médicos em peso, diante de eventos de EQM, testemunhem que os pacientes efetivamente presenciaram o desenrolar da cirurgia. Em outras palavras, temos de acreditar naquilo que os que acreditam garantem ser a verdade dos fatos.

      E se estivem exagerando (o que é provável)? E se estiverem somente dando vazão ao desejo de confirmar suas crenças?

      Não tem jeito, só com investigações seguras se chega a conclusões seguras. E não se faz isso baseando na empolgação dos crentes…

    • Empolgacao dos crentes?????
      Tem various casos de ateus que tiveram EQM e depois mudaram para uma vida religiosa.

    • O mistério, o fantástico, o mágico, sempre atrai mais a alguns que coisas concretas e objetivas. Se se diz que a vivência de EQM é fenômeno cerebral isso não tem muita graça. Agora, se alguém afirma ter dado uma pisadinha no céu (no inferno não, né?) a alegação goza de elevado prestígio.

      Se surgem explicações baseadas em investigações neurológicas, os místicos a repudiam: afinal médico não sabe nada sobre coisas espirituais. Quem sabe mesmo explicar tudo tintim por tintim é quem vivencia a experiência: este sim, entende tudo de cérebro e do mundo transcendental…

      Como diria o grande filósofo Chapolim: Oh, quem poderá nos defender?

    • moimoi,
      -”Se surgem explicações baseadas em investigações neurológicas,?????” – Por favor. Nos diga onde surgiram essas explicações. Nós queremos aprender. Não seja egoísta.

    • Cite um.

    • moimoi,
      Céu e inferno são alegorias ou simbologias. Não existe um lugar chamado céu e outro chamado inferno. Ninguém precisa morrer ou passar por uma EQM para estar no céu ou no inferno. Aquí mesmo você cria o seu céu ou o seu inferno dependendo da sua vibração mental, dos seus desejos e do seu modo de vida. Os que passaram por uma EQM, apenas experimentaram essas sensações em uma dimensão mais sutil. A matéria é a dimensão mais densa da espiritualidade, enquanto que o espírito é a dimensão mais sutil da materialidade.

    • Concordo com você,e só acho que as vezes não adianta argumentar, e comento aqui que quando alguem que se diz ateu, dá uma topada grita :Ai meu Deus.Cada um tem seu tempo para a busca espiritual, que é humana e Divina, A luz da Verdade,é uma busca nata no se humano independente de religião,ou qualquer corrente filosófica. Esse posicionamento de ateu, é um voluntarismo, as vezes modismo, e até pensamentos populares como”politicamente correto”, fazem que as pessoas tomem decisões e posturas que seus corações não querem.Um abraço e muita energia.

    • Bovidino,

      Você me cobra informações sobre experiências com EQMs:

      ” -”Se surgem explicações baseadas em investigações neurológicas,?????” – Por favor. Nos diga onde surgiram essas explicações. Nós queremos aprender. Não seja egoísta.”

      Se deseja conhecer experimentos tais, basta pesquisar na internet. Caso não queira ter trabalho releia o artigo que inspira esses comentários: nele se noticia experimentos tais.

      Quanto à inexistência de céu e inferno concordo plenamente e isso é mais uma evidência de que EQMs são vivências cerebrais que parecem (apenas parecem) excursões espirituais.

      Agora, se prefere acreditar que almas saem impunemente de seus corpos e viajam ao léu e créu, ou a alguma dimensão mística, nada contra. É melhor crer nessas coisas que beber cachaça…

      Saudações,

    • moimoi, meu caro,
      1)-Eu não estou te cobrando ‘informações’, mas ‘explicações’, como você disse que elas surgem baseadas em investigações neurológicas. Informações vagas e inconclusivas, opiniões, teorias e achismos, realmente a internet está cheia. ‘Explicações’ mesmo não há, até porque a ciência não as tem. Cérebro e consciência, ainda são enigmas indecifrados pela neurociência.
      2)-Admitir a inexistência de um céu e um inferno físicos, não constitue evidência da inexistência de outras dimensões mais sutis, onde a consciência e o espírito realmente residem. Acreditar nisso não é uma simples questão de religiosidade, até porque a própria ciência já admite pela metafísica, a existência de universos ou dimensões paralelas. Entretanto para se crer nisso com convicção, é necessário muito estudo, muita vivência e ter suas próprias experiências.

  22. São duas as palavras de hoje em dia: médicos dizem que você tem uma simples virose; e cientistas dizem que qualquer acontecimento não físico é sonhos lúcidos…

Envie um comentário