O que realmente são experiências de quase morte?

Publicado em 19.03.2012

Pacientes em estado de coma ou outras situações de proximidade com a morte geralmente vivenciam experiências inéditas nas próprias mentes.

Por alguma razão que ainda intriga a ciência, alguns “cenários” são recorrentes, tais como a pessoa se imaginar avançando por um longo túnel com uma luz no final. Muita gente considera que um indivíduo neste caso esteve, de fato, prestes a conhecer o lado dos mortos, mas cientistas americanos sugerem que tudo não passa de um produto do próprio cérebro.

Este mecanismo cerebral é conhecido e tem nome: sonho lúcido. Ele acontece quando alguém tem plena consciência de que está sonhando e sobre o que é tal sonho, podendo até interferir na sua história.

Geralmente, ele pode ser forjado por qualquer pessoa: se você dormir pensando intensamente em algo, se concentrando na vontade de sonhar com aquilo, as chances de ter um sonho lúcido são grandes.

Uma pesquisa da Universidade do Kentucky, em Lexington (EUA) fez uma experiência de monitoramento cerebral. Eles descobriram que as situações de proximidade com a morte, durante um sono induzido por anestesia, ativam os mesmos mecanismos neurológicos que entram em ação quando uma pessoa tem sonhos lúcidos. Ambos seriam estimulados pelo córtex dorsolateral pré-frontal, uma área que normalmente só funciona quando estamos acordados.

Na Califórnia, existe o Centro de Pesquisas de Experiências Fora-do-corpo (OOBE Research Center, na sigla em inglês), especializado no assunto. Baseados no estudo de Kentucky, eles conduziram uma pesquisa com quatro grupos de voluntários, cada grupo tendo entre 10 e 20 integrantes.

Os participantes foram colocados para dormir, com a condição de imaginarem ao máximo a ideia de estarem entrando por um túnel com final luminoso e tentarem sonhar com isso. Dezoito voluntários afirmaram terem sido capazes de sonhar com isso.

Outros, embora não tenham conseguido, tiveram a experiência de “sair do corpo”, vendo a si mesmos flutuando para o alto, eventualmente tendo a visão de um ente querido já falecido.

Entre os que saíram do corpo, o momento da ocorrência foi mensurável: em geral, acontecia durante a tênue linha entre estar acordado e adormecido. Isso se observou como ponto em comum entre todos os participantes, o que indica, segundo os condutores da pesquisa, que se trata de um mecanismo cerebral pré-programado.

Por essa razão, os pesquisadores pedem cuidado na hora de interpretar o que um paciente vê em estado de coma. Quando ele vê um familiar já falecido, isso pode parecer uma prova inegável de vida após a morte, mas os estudos dão evidências de que tudo pode ser apenas um reflexo condicionado do cérebro, que gera um sonho com extremo realismo. [LiveScience]

Autor: Dalane Santos

Dalane Santos tem 21 anos, é recém-formada em jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e escreve para o Hypescience desde fevereiro de 2012.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

97 Comentários

  1. Jé vi inúmeros artigos científicos sobre projeção astral. A verdade é que nenhum estudo consegue realmente saber do que se trata.

    Psicologicamente você dizer que a pessoa teve uma projeção e isso aconteceu porque ela conhece sobre o assunto (projeção astral) e projetou isso na mente dela (e isso fez com que a experiencia fosse igual a de muitas pessoas)é aceitável.

    Porém, conheço inúmeros casos de pessoas que se quer ouviram alguma teoria espiritual ou comentário sobre a existência desses fatos e tiveram projeção astral, as vezes encontrando antepassados ja mortos.

    Essas coisas são explicadas pelo o espiritismo, ao mesmo tempo em que diversas teorias cristãs são criadas pra explicar o porque de o fato “bater” com as teorias espíritas. Eu realmente não consigo acreditar que seja algo meramente fruto da mente humana – um simples estado de sono.

    Dai eu venho aqui e leio um comentário de um ateu praticamente expulsando pessoas – que acreditam que projeção astral sejam coisas espirituais – do site. Achei isso ridículo, afinal, eu vim aqui na esperança de conhecer estudos científicos que me ajudem à criar minha própria teoria sobre o assunto.

    Não sou nenhum tipo de físico nem nada, mas acredito que: a projeção astral é induzida por esse estado de sono, e dai você vai para ~outra dimensão~, ouvi falar que existem teorias científicas que provam que existe bem umas 13 dimensões. Bom, o plano para que a pessoa vai na projeção poderia ser uma delas. Se esse plano é algo espiritual, dai já não sei… pode ser, mas dai já não sei de nada.

    Thumb up 1
    • Toda viagem fora do corpo é uma viagem dentro do corpo. Não há coisa alguma que “saia” do organismo para passear impunemente por onde bem queira. Mesmo que exista uma alma dentro do ser humana esta estará a ele agregada enquanto viver, se sair babou!

      Mas, como saber disso com certeza? Simples: testando. Se a alma consegue sair do corpo em certas circunstâncias provavelmente essa circunstância poderá ser induzida com técnicas adequadas. Pois é justamente isso o que defendem os praticantes da “projeção astral”, também chamada “projeção de consciência”.

      O caso é que em todos os testes que se fazem com pessoas em projeção de consciência não se comprova que esta estivesse realmente fora do corpo. Quer uma prova simples? Ponha alguns objetos numa sala diferente de onde o “viajante” esteja e peça-lhe que quando projetado vá até lá e relacione o que viu. Se conseguir é porque estava de fato fora do corpo. Porém, já deixo uma dica: o projetado não vai conseguir… Se duvidar faça o teste.

      Felicidades.

      Thumb up 1
  2. Olhem, a experiência de quase morte é realmente muito polêmica, mas o fato de não ter sido provada pela matemática e física não significa dizer que não existe. A matéria escura que, segundo os cientistas, preenche mais de 90% do Universo não teve sua existência comprovada, mas muitos acreditam nela. Explicaria muita coisa que eles não entendem.
    Eu passei pela EQM onde presenciei coisas e comprovei isso confirmando, após sair da EQM, os fatos que vi durante a experiência. Mas será somente a minha palavra contra a de todos que não estavam no local naquele momento. Isso não tira de mim a certeza do que ocorreu.
    Eu li há muito tempo no jornal O Globo a história de um cardiologista Holandês, desculpe mas não lembro o nome, que ficou intrigado com o relato de um paciente que tinha acabado de ser ressuscitado por ele, após uma longa parada cardíaca, e resolveu estudar o assunto. O paciente havia testemunhado um acidente de trânsito, que havia ocorrido a quatro quarteirões do hospital, enquanto o médico tentava ressucitá-lo e o relatou nos mínimos detalhes (marca e cor dos carros envolvidos, o nome da rua, o tipo físico das pessoas e etc). Ninguém sabia do acidente naquele momento, os médicos só souberam depois quando as vítimas foram encaminhadas ao hospital. O médico holandês, vencendo resistências de colegas, documentou o fato e passou a pesquisar o assunto.
    O que diferencia o médico holandês do pesquisador que quer entender e provar a existência da matéria escura no universo? Nada os diferencia, todos dois se defrontaram com fatos estranhos que não podiam ser explicados pelas teorias vigentes e passaram a estudá-los. O médico holandês, acho que é o Dr. Pim Van Lommel, se aprofundou no tema, achou algumas respostas e muitas outras perguntas. Os cientistas que estudam a matéria escura no universo estão no mesmo caminho. Por que devo acreditar mais em um do que em outro? Porque o primeiro mexe com a nossa transcendentalidade e com isso faz emergir dogmas e preconceitos?
    Vamos ficar assim, não praguejaremos contra os que acreditam nem contra os que não acreditam, mas não podemos deixar de permitir e estimular que se pesquise o assunto, sem ideias preconcebidas.

    Thumb up 46
    • Veja o documentário “Quem somos nós” nele tem fundamentos científicos que chegam a essa parte de EQM’s e viagens astrais, o documentário não é sobre EQM, com todo o conteúdo baseado em física quântica e filosofia você chega a umas respostas no mínimo filosoficas a esse fenômeno.
      Eu particularmente já passei por isso, mas não foi por conta de acidente, foi sem querer eu nem conhecia tal fato, depois que pesquisei lembrei de fatos que aconteceram comigo quando bem criança e me assustava um pouco, mas eram tudo viagens astrais até que se prove o contrário.

      Thumb up 5
    • materia escura não teve sua existência comprovada?????
      passe a frequentar mais o blog filho…e menos igreja

      Thumb up 3
    • Marcelinho

      O HypeScience já postou artigos mostrando pesquisas de indícios da existência da Matéria Escura.

      Em termos de “em que” os cientistas “acreditam”, há o exemplo do Bóson postulado pelo físico Peter Higgs, que é a culminância teórica de toda a Fisica de partículas conhecida até agora.

      É irônico, mas, se a existência do Bóson de Higgs (que é ficção científica!) não for demonstrada, vai derrubar toda essas teorias físicas, de modo que terão que partir “do zero” (quantico….rsrsrsrs) para reconstruir tudo, mas sem qualquer direção nova a seguir!

      Reze, portanto, para que a “partícula-Deus” seja real para além das pranchetas dos projetistas do LHC, senão frequentar blogs de ciência não vai ser diferente de frequentar igrejas por aí.

      Thumb up 5
  3. Somos seres humanos,portanto especiais.Cientista nenhum conseguirá nos desvendar por completo,ainda que façam picadinho de nosso corpo.
    Deus ilumine sempre a ciência que trabalha em benefício da humanidade. Melhora e muito a vida em nosso planeta.
    Parabéns ao Bovidino e ao Jonatas,seus comentários são bem fundamentados.

    Thumb up 4
    • Nós não somos seres especiais. somos da mesma materia organica que uma lesma, uma arvore, e até daquilo que sai do teu colon. somos uma materia organica podre como tudo em volta a terra. quando morrer, ai sim, talves teremos algum significado para o resto dos organismos.

      Thumb up 7
    • O que deus ou deuses tem haver com ciência? aqui não é site de crenças para ficar pregando aqui

      Thumb up 7
  4. Vale ressaltar ainda que esta é uma notícia veiculada pelo Hype Science que pode conter erros de conceito, como já foram encontrados em outras notícias. (Há pouco li uma matéria do Hype Science sobre a relatividade que continha vários erros!) Dessa forma, será preciso pesquisar em outras fontes de informação para saber o que de fato foi observado pelos cientistas, em que pé andam as investigações, a que conclusões de fato chegaram, para se poder discutir com mais certeza.

    Thumb up 3
  5. na boa,

    esse site é pra ateus, pessoas ligadas a ciência e em busca da verdade.

    peço aos demais que procurem sites ligados a religião, conto de fadas e amigos imaginários; não a ciência.

    grato.

    Thumb up 19
    • Ai quanta besteira! Ciência e religiosidade estão cada vez mais caminhando juntos e isso é justamente o que falta para a melhor compreensão da vida e seus acontecimentos.
      Não seja insipiente!

      Thumb up 32
    • Isso mesmo, Angel M.. Na verdade a ciência e a religião estão VOLTANDO a caminhar lado a lado! Antes da idade média elas eram uma coisa só, na mesma ALQUIMIA.

      Thumb up 8
    • Não estão, nunca estiveram. E cada vez mais os cientistas, e a ciência está mostrando o quão inútil e atrasada a religião foi para a humanidade.

      Thumb up 5
    • RAFAEL

      Informe-se sobre “Robespierre”, que na Revolução Francesa ergueu uma estátua representando a “Deusa Razão”.

      E informe-se sobre Auguste Comte, que de fato criou uma “Religião da Humanidade” (a Igreja Positivista) com rituais e pompa imitada da católica, para “adoração” da Ciência e “culto sagrado” à Razão.

      Assim, Comte demonstrou na prática que “evolui-se” do 3º estado (o positivista) para…o teológico!!! De novo!!!

      Entonces…a Religião e a Ciência estão se reencontrando!

      Há até apelos de ateus para se contruirem templos em Londres!

      E por todo o mundo cresce a “Religião Jedi”, uma forma de religiosidade ATÉIA!!!

      Em relação ao passado ocidental, se não existisse a Igreja Católica, Carlos Magno não teria iniciado a “Renascença Carolíngia”, que preparou o terreno para o “Renascimento do século XII”, principal precursor do Renascimento Italiano.

      Sem essas etapas prévias, não teria existido “CIÊNCIA” no mundo contemporâneo.

      Thumb up 3
    • Para se ser cientista, e bom, não precisa de ser ateu. Basta ser inteligente, e não ter preconceitos. A religião e a descoberta ou a invenção não são incompatíveis, muitas vezes são complementares. Só é preciso saber alguma coisa sobre as duas…

      Thumb up 5

Envie um comentário

Leia o post anterior:
forgetful-man-in-mirror
Porque algumas pessoas bebem e esquecem o que fizeram?

Ele ou ela disse que...

Fechar