Florestas podem armazenar menos carbono do que se pensava

Publicado em 9.09.2010

Um estudo indica que as florestas tropicais podem armazenar muito menos carbono do que se pensava.

Pesquisadores utilizaram mapeamento por satélite, sondagem de mata rasteira e levantamentos de solo local em uma grande área de floresta tropical do Peru. O objetivo era estimar quanto carbono realmente é bloqueado nas florestas.

Os resultados revelaram uma variabilidade grande, até então desconhecida, na densidade de carbono armazenada nas florestas. Segundo os pesquisadores, esse armazenamento de carbono diferiu entre os tipos de floresta e de geologia básica. Por exemplo, onde as rochas subjacentes eram mais jovens, os solos e as florestas continham mais carbono.

O estudo também revelou grandes perdas de carbono devido ao desmatamento, agricultura, mineração e construção de estradas, mesmo em áreas ainda cobertas por floresta. Mas foi descoberto bastante carbono acumulado ao longo de florestas naturais que recresceram em terras abandonadas.

O Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática diz que deve haver cerca de 587 milhões de toneladas de carbono armazenados na área de estudo, 43.000 quilômetros quadrados de floresta de várzea na região de Madre de Dios no Peru. Porém, os pesquisadores afirmaram que o número real é apenas 395 milhões de toneladas, um terço menos.

A descoberta é considerada importante, já que há planos para que governos de todo o mundo se juntem para ajudar a proteger os países tropicais, justamente por causa de suas florestas. Mas se elas não forem realmente úteis em reduzir o aquecimento global, não valeria a pena aplicar esse dinheiro.

Ainda assim, é preciso que os países com grandes florestas tropicais as protejam, porque cerca de 15% das emissões globais de dióxido de carbono são provenientes do desmatamento tropical.

Pesquisas similares estão sendo desenvolvidas em outras áreas do mundo, para melhorar as informações sobre florestas tropicais e carbono. [NewScientist]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

2 Comentários

  1. Muito importante as informações divulgadas acima, porém a conclusão mais importante a que obviamente chegamos é que necessitamos ainda mais preservar as florestas e o meio ambiente em geral.

    Conclamo você a apoiar também a preservação e a criação do Parque Augusta em São Paulo, por ser área remanescente da mata Atlântica veja o endereço a seguir e poderá entender melhor sobre o assunto .
    Reunidos em 07.09, os Aliados do Parque Augusta decidiram organizar uma manifestação com dois objetivos:

    1) Reivindicar a criação do Parque Augusta;
    2) Protestar contra a depredação que vem ocorrendo na área, inclusive com o patrocínio das organizações preservacionistas.

    Data da manifestação: 23.09.2010
    Horário: 10 horas
    Local: rua Augusta esquina com rua Caio Prado, Consolação – São Paulo.

    Aproveito a oportunidade para convidar a visitar o blog e obter mais informações: http://parqueaugusta.blogspot.com

    Todos nós, gostaríamos de contar com o apoio e a participação dos ativistas colegas e da comunidade, para que possamos alcançar o objetivo.

    Thumb up 3

Envie um comentário

Leia o post anterior:
bonobos
Para o bonobo, sair junto com a mãe aumenta as chances de acasalar

Você provavelmente n...

Fechar