2016 foi o ano mais quente já registrado (novamente)

Por , em 19.01.2017

De acordo com um relatório conjunto feito pela NASA e pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA, 2016 foi oficialmente o ano mais quente já registrado na história.

A Terra tem visto três anos seguidos de altas temperaturas sem precedentes. As conclusões do relatório conjunto foram também confirmadas pelo Escritório de Meteorologia do Reino Unido.

Tendência clara

Desde 2001, o planeta viu 16 dos seus 17 anos mais quentes registrados.

2015 também foi o ano mais quente já registrado. Assim como 2014. E esses três anos de temperaturas crescentes significam que o planeta agora é cerca de 1,1 graus Celsius mais quente do que era no final do século XIX.

A tendência em curso é difícil de se ignorar neste momento. “Não esperamos anos recordes todos os anos”, disse o diretor do Goddard Space Flight Center da NASA, Gavin Schmidt, no relatório, “mas a tendência de aquecimento a longo prazo é clara”.

El Niño + ações humanas

Embora o fenômeno El Niño tenha contribuído para o efeito de aquecimento no final de 2015 e início de 2016, os pesquisadores reiteraram que os efeitos a longo prazo das emissões de CO2 e das emissões de gases de efeito estufa são o principal fator para o aumento das temperaturas.

Nem todas as regiões da Terra estabeleceram um recorde em 2016 – os 48 estados mais baixos dos EUA tiveram seu segundo ano mais quente, por exemplo.

Mas as temperaturas no Ártico foram especialmente ruins, atingindo 20 a 30 graus Fahrenheit acima da média e levando aos menores níveis de gelo marinho já registrados.

Preocupação

Com os efeitos do El Niño passando no final do ano de 2016, os cientistas esperam que 2017 se “refresque” um pouco.

Mas os pesquisadores estão preocupados de que os efeitos de aquecimento só acelerem nos próximos anos. Um relatório publicado na revista científica Nature por especialistas no ano passado, por exemplo, considera que a janela para limitar o aquecimento global a menos de 1,5 graus Celsius parece já ter se fechado – o que significa que não temos mais como parar uma mudança climática perigosa.

As previsões ficam ainda mais sombrias tendo em vista que o novo presidente eleito dos EUA, Donald Trump, é um negador da mudança climática, o que coloca em risco todos os avanços feitos recentemente em acordos climáticos pelo ex-presidente Barack Obama. [Engadget]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 3,33 de 5)

Deixe seu comentário!