Google Mars: Imagens ao vivo do planeta vermelho

Publicado em 16.03.2009

google marte

O Google atualizou seu serviço “Google Mars” para que ele mostre mais como Marte foi no passado e como ele evoluiu para o que é hoje em riqueza de deltalhes.

Os usuários podem acessar as imagens fornecidas pela câmera Themis, instalada na nave “Mars Odyssey” (Odisséia de Marte). Também estão disponíveis mapas antigos do planeta, datados de um século atrás, assim como as últimas imagens captadas.

Estaremos aptos a explorar a superfície do planeta vermelho, acompanhar os objetos que o orbitam e, até mesmo, dar uma boa olhada na famosa face sobre a superfície de Marte.

Também poderemos pegar uma carona com a Odyssey e com as sondas de reconhecimento da órbita do planeta, em vôos virtuais.

A nova iniciativa fez com que especialistas afirmassem que a expectativa de encontrar vida em marte não é de 500 para 1,como antigamente, mas dez vezes maior – 50 para 1.

De acordo com funcionários da Google, a empresa está oferecendo uma perspectiva nunca antes vista, com imagens que estavam, até mesmo, fora dos mapas até um tempo atrás.

Cientistas acreditam que, dentro do sistema solar, Marte é o planeta com maiores chances de abrigar água líquida e formas primitivas de vida.

Os dados coletados pelas sondas, até agora, mostraram gelo e água concentrados nos pólos do planeta.

A sonda Phoenix coletou água diretamente do solo de Marte em 2008.

Atualmente, três sondas orbitam ao redor de Marte: Mars Odyssey, Mars Express e Mars Recoinnassance Orbiter. [Google Mars, Telegraph]

Autor: Cezar Ribas

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

7 Comentários

  1. POR QUE VCS CIENTISTAS NAO PROCURAM VIDA EM MARTE NO CENTRO QUER DIZER NO SUBSOLO DENTRO DO PLANETA

    Thumb up 2
    • Bom, eu não sou um dos cientistas, mas a resposta é óbvia – não é por que os cientistas não querem ou nunca tenham pensado nisso, é por que não conseguem. Mandar uma sonda capaz de penetrar o solo marciano e extrair amostras do mesmo é complicado. Um dos problemas maiores é colocar um equipamento de perfuração na superfície de Marte, logo depois de chegar lá. A atmosfera é muito tênue, então ela não vai desacelerar muito a sonda, e ela chega ao solo com muita energia cinética. Usar o recurso dos balões presos do lado de fora, para amortecer o impacto, enquanto quica pela superfície do planeta até dispersar a energia cinética talvez não seja possível com um equipamento de perfuração (muita massa, o que implica em muita energia cinética).

      Acredito que a perfuração vai ter que esperar até termos um elevador espacial em Marte.

      Thumb up 4
  2. gente isso é show !! eu ja descobri em marte muitas regiões muito parecidas com rios secos e tambem regiões que parecem uma lagoa

    Thumb up 2
  3. Só lamento, mas as imagens do Google Maps, do Google Mars e do Google Moon não são “ao vivo”. E provavelmente continuarão não sendo por muito tempo.

    Thumb up 1

Envie um comentário

Leia o post anterior:
laser-mosquito-grande
Laser para queimar mosquitos em pleno vôo é esperança contra malária

A 'arma' laser pode ...

Fechar