Termina simulação de missão em Marte

Por , em 13.11.2011

Seis astronautas voluntários, da China, Rússia e outros países da Europa, passaram os últimos 520 dias fingindo que estão em Marte. É a mais nova e inusitada missão da Agência Espacial Europeia, que simularam uma situação o mais semelhante possível a uma viagem tripulada ao Planeta Vermelho.

O projeto, chamado de Mars500, custou 26 milhões de reais aos cofres da entidade espacial. O que aconteceu, de maneira geral, foi uma temporada de mais de 17 meses, sem interrupção, com seis cosmonautas presos na escotilha de uma base aérea de Moscou (Rússia,) como se estivessem a caminho de Marte.

O ambiente e as condições de uma viagem como essa foram imitados no maior número possível de detalhes: em um espaço de 550 metros cúbicos, mais ou menos o tamanho de uma sala média. Tirando a ausência de peso e a radiação solar, as outras condições físicas de uma missão como essa serão simuladas.

O traje dos astronautas pesa 32 quilos, e a comunicação da cápsula com o mundo exterior teve um atraso de 20 minutos. A saúde dos voluntários foi minuciosamente medida nesse período. Amostras de urina e de sangue foram coletadas, já que eles só se alimentaram de ração espacial e raramente tomaram banho, bem como acontece em qualquer travessia no espaço.

A situação de isolamento que os participantes vivenciaram é parte das preocupações dos organizadores da missão. Haverá câmeras monitorando o comportamento diário dos seis “tripulantes”, e até psicólogos apontaram problemas que podem acontecer.

Em uma missão semelhante, em 2000, dois astronautas se agrediram fisicamente e tentaram assediar uma tripulante feminina, devido ao desequilíbrio mental que a experiência causou. Diante de intermináveis dezessete meses presos em uma escotilha desconfortável, cada astronauta afirma que já planejou passatempos para suportar a missão. [Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

18 comentários

  • EltonPaes:

    Jornalista morre, mas não muda o que escreveu!
    Trágico!

  • Renann:

    Pra quem não é ativo o suficiente de fazer uma simples pesquisa sobre a veracidade ou não das missões Apollo, a viagem a Lua foi mesmo uma BRUXARIA.

  • Gustavo J C. S.:

    Não já acabo essa missão? passou até na globo…

  • Carlos Veiga:

    Desatenção nesta matéria = a + uma repetição. 520 dias é de loucos x 2 são 1.040 para quem não tem juízo algum!… e em apenas 550m3.

  • eli:

    SERIA MELHOR GASTAR ESSE DINHEIRO INVESTIDO NESSA MISSÃO,PARA MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA DO NOSSO PLANETA,COMO HA MILHARES PASSANDO FOME,MORRENDO DE DESNUTRIÇÃO,POXA EUROPA VIVEMOS AQUI NÃO EM MARTE, VAMOS AGIR AGORA ENQUANTO HA TEMPO,O HOMEM É UMA RAÇA DE OTÁRIO MESMO.

    • Cesar:

      Uma missão espacial custa mais ou menos o mesmo que um filme “blockbuster”. Uma missão espacial custa dez por cento do que é gasto desenvolvendo um cosmético. Existem 100 vezes mais filmes blockbusters e 1.000 vezes mais novos cosméticos do que novas missões espaciais. Mais ainda, com os recursos atuais seria possível acabar com a fome, bastando que as colheitas fossem melhor distribuídas. Pense nisso da próxima vez que você for votar.

    • EltonPaes:

      É, mas tudo tem que ter retorno, os filmes dão lucros os cosméticos também.
      A pergunta é, vc gastaria seu único milhão, pra nunca mais ter um?
      É o capitalismo fera!

    • Cesar:

      Quem é que lucra com filmes e cosméticos? A indústria, principalmente. O comércio ganha alguma coisa, mas o grosso fica com as indústrias, concentradinho lá nos cofres deles.

      E quem é que lucra com a pesquisa científica? Todo mundo. As descobertas científicas acabam respingando para a vida das pessoas das formas mais inusitadas, desde produtos médicos, alimentares, até itens de vestuário.

      Lucro não é só dinheiro. Tecnologia e conhecimento são uma riqueza que acaba enriquecendo todo mundo, e não só alguns.

      O capitalismo deve estar a serviço da humanidade, e não o contrário.

    • EltonPaes:

      Quem dera que fosse assim!

    • Murilo Mazzolo:

      No caso da dúvida de existir ou não “Lucros” nos investimentos espaciais, deem uma olhada na matéria do próprio Hypescience:

      https://hypescience.com/10-utilidades-diarias-que-vieram-do-espaco/

  • Campos:

    Viagem aos planetas, só será possível com o aprimoramento dos robôs. Não se justifica gastar tanto para uma viagem de praticamente ida e volta. Temos muito o que conhecer nestes planetas e a cada duvida mandar tripulantes, é impossível. Teremos que aguardar portanto a evolução dos robôs.

  • Gude:

    Afe, agora tão contratando tradutoras que nem entendem o que traduzem? Coloca logo a tradução do google translator que fica melhor

  • Nik:

    Até eu que sempre defendo esse pessoal do HypeScience daquelas pessoas que acham realmente que são eles que escrevem estes artigos tenho que admitir… Tá errado isso aqui. o_O”

  • drew:

    É mesmo essa missao ja acabou na semana passada,e eles não tiveram nenhuma sequela após o isolamento,mostrando que o ser humano aquenta viajens isoladas de longos períodos…

    o hiperscience tem que ficar atento pq os avanços e “espacias´´ desse tipo sao cada vez mais rapidos,kkkkkkkkkkkkkk

    • Capixaba:

      Essa já é outra missão. Não é a mesma que acabou na semana passada.

  • Renan:

    A simulação não vai começar, ela já terminou. Inclusive, o artigo é do dia 3/11/11. Do texto original:

    “The crew of an isolation experiment to simulate a 520-day mission to Mars are in the final countdown before the opening on Friday of the hatch on the windowless cells in which they have been locked away since June last year.”

    “before the opening on Friday” – antes da abertura [da escotilha], que foi na sexta-feira (4/11).

  • Denis:

    Não to entendendo? Mars 500 já acabou, semana passada! Pq postar essa noticia novamente, de uma coisa que ja era?
    No sense! :/

  • Paulo Roberto:

    Só uma pequena correção.
    Esta experiência não está começando agora.
    Ela está terminando agora.

Deixe seu comentário!