Mesmo sem sintomas, portadores do vírus da herpes podem contaminar parceiros sexuais

Publicado em 15.04.2011

Pessoas que carregam o vírus do herpes genital, mas não apresentam nenhum sintoma visível – mesmo que nem estejam cientes de que estão infectadas – ainda têm cerca de 10% de chances de transmitir o vírus adiante. Foi o resultado a que chegou um novo estudo publicado na revista da Associação Médica Americana.

Estima-se que 16% dos adultos dos EUA estão infectadas com o vírus herpes simplex tipo 2 (HSV-2), que pode causar inchaços, bolhas ou feridas na região genital e áreas adjacentes, junto com dor e coceira.

No entanto, apenas cerca de 10% a 25% dessas pessoas efetivamente sabem que são portadoras do vírus. Enquanto algumas pessoas infectadas têm surtos frequentes, a maioria apresenta sintomas e outros têm apenas uma ou duas crises eventuais.

Pesquisas anteriores já haviam mostrado que pessoas infectadas com o HSV-2 podem transmitir o vírus para outra pessoa através do contato genital mesmo se eles não sofrem dos sintomas. O novo estudo – o maior desse tipo até o momento – ajuda a quantificar esse risco, segundo  Christine Johnston, uma das autoras do estudo e professora de Medicina na Universidade de Washington, em Seattle, Estados Unidos.

“Muitas vezes as pessoas são diagnosticadas com HSV-2 através de um teste de anticorpos, mas não sabem o que fazer com essa informação”, relata Johnston. “Agora nós temos um número que podemos passar para as pessoas”.

O estudo incluiu 498 adultos com sistema imunológico saudável ​​que tinham recebido diagnóstico de herpes genital ou que testaram positivo para o HSV-2. Diarimente, durante pelo menos 30 dias, os participantes se autoinspecionaram em busca dos sintomas e coletaram amostras de secreções genitais, que foram armazenadas e, posteriormente, analisadas em laboratório.

As 410 pessoas com histórico de sintomas de herpes apresentaram “derramamento” do vírus em 20% dos dias em que houve coleta, contra 10% dos dias para aqueles que nunca tiveram sintomas.

As pessoas sem sintomas lançaram a mesma quantidade de vírus quando houve liberação se comparadas às pessoas sintomáticas quando elas não estavam enfrentando um surto. A quantidade de vírus aumenta, porém, os sintomas estão presentes.

O valor de 10% é uma média, nota Johnston, algumas pessoas vão liberar o vírus com mais frequência, enquanto outras, com menos. “Além disso, as pessoas vão interpretar esses 10% de risco de maneiras muito diferentes “, acrescenta. “Para alguns, 10% de chance de contaminação é muito. Para outros, é demais”.

“O estudo ressalta a importância de praticar sexo seguro e conhecer bem o seu parceiro sexual”, diz Richard Whitley, ex-presidente da Sociedade Americana de Doenças Infecciosas e professor de medicina na Universidade do Alabama, EUA. Whitley é um dos maiores especialistas em herpes, mas não esteve envolvido no estudo atual.

Todos devem saber se portam o vírus HSV-2, alerta Whitley. Além do risco de inadvertidamente infectar parceiros sexuais, as mulheres grávidas sem sintomas podem transmitir o vírus para seus bebês. Dentre as possíveis consequências, está a morte do recém-nascido. O risco da transmissão continua elevado (entre 30% e 50%) se a mãe for infectada durante os últimos meses de gravidez.

Além disso, a infecção pelo HSV-2 pode causar complicações em pessoas com sistema imunológico debilitado devido a doenças crônicas, além de pode aumentar a probabilidade de uma pessoa de contrair HIV, informa Whitley.

Evitar a contaminação, porém, é fácil – nada de diferente do que aprendemos quando adolescentes no colégio. As pessoas com HSV-2 podem proteger os seus parceiros de contrair o vírus usando preservativo masculino ou feminino durante o sexo, ou tomando medicamentos que suprimem o vírus. Cada medida reduz o risco de transmitir o vírus a um parceiro sexual pela metade. [CNNHealth]

Autor: Bruno Calzavara

Bruno Calzavara é recém-formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e está de volta à equipe do Hype após dois anos. Adora todos os esportes, exceto futebol. Gosta de chocolate e de sorvete, mas não de sorvete de chocolate.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

6 Comentários

    • quem falou isso??

      Thumb up 1
  1. Uma mulher pode engravidar sem problemas se for portadora do virus HSV-2? E se durante a gravidez tiver um surto? Pode causar danos no feto?
    Sou portadora do virus e tenho crises todos os meses, tenho medo de engravidar e causar lesoes ao bébé. Podem-me ajudar a quebrar estas dúvidas?
    Obrigada

    Thumb up 10
    • pergunta pro teu ginecologista, acho que aqui não é o lugar

      Thumb up 1
  2. Ttiana…,

    1 – As pesquisas sobre a Vacina contra o Herpes, estão adiantadas.., e já não demorará muito, para que ela esteja ao alcance do público !!!
    .
    2 – O ENAX pode ser tomado, por tempo indeterminado…, desde que você não seja alérgica ao produto.., nem sofra de problemas hepáticos !!!
    .
    3 – SIM. – A contaminação só ocorre, durante o período dos “sintomas” e/ou “lesões” !!!

    Um Abraço,

    herstat.brazil
    *gmail
    *com

    Thumb up 5
  3. Gostaria de saber como andam as pesquisas sobre a cura da herpes,
    e gostaria de saber tb por quanto tempo pode ser tomado o ENAX?
    E quanto a contaminação! Ja houvi no programa de Leda Nagli vários
    médicos falando que a contaminação só se dar quando se está em crise
    que toalhas e sabonetes não contaminam?

    Thumb up 7

Envie um comentário