Nova moda na China – chaveiros vivos

Publicado em 3.04.2011

Os vendedores ambulantes dos metrôs chineses comercializam um produto que está virando febre no país – os chaveiros vivos.

Contendo pequenas tartarugas ou peixes, eles são considerados amuletos que trazem boa sorte. Mas, para os grupos de proteção animal, é simplesmente uma forma criminosa de tratar os bichinhos. Afinal, eles ficam confinados em um espaço mínimo de plástico lacrado.

Segundo os vendedores do produto, como a água colorida tem nutrientes, os bichinhos podem viver no plástico por vários meses. Mas vale lembrar que não há entrada de oxigênio, então não dá para esperar que o seu chaveiro continue vivo por muito tempo.

Ativistas protestam contra esse tipo de produto, mas a lei de proteção aos animais na China se estende apenas para animais selvagens. Como esses bichos são criados em cativeiro, a lei não os protege.

Claro que a maioria das pessoas compra os chaveiros esperando ter boa sorte. Mas há uma pequena parcela que compra os chaveiros apenas para furar o plástico e dar liberdade aos bichinhos.



[OddityCentral]

Autor: Luciana Galastri

é jornalista. Viciada em livros, lê desde publicações sobre física a romances de menininha do estilo "Crepúsculo". Toca piano desde os oito anos de idade e seu estilo de música preferido é o metal.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

93 Comentários

  1. A dita modernidade promulga tendências que vão contra a diversidade das sociedades arcaicas e equilibradas, por exemplo, as tentativas em estabelecer regimes democráticos ou o socialistas. Dessa tentativa surgem aspectos caóticos de Kali-yuga por meio da inversão de valores éticos e morais; as ciências humanas e divinas, meios pelos quais se alcançavam de fato, o progresso e auto-realização, hoje se limita em muito às técnicas materialistas do consumo e do mais-valia; o conhecimento especulativo dos ditos cientistas e intelelectuais e a prática superficial das chamadas religiões oficiais, responsáveis pelo aspecto dogmático da vida cotidiana, se tornou o culto meramente doutrinário e espetacular no âmbito das igrejas, templos e limitados aos fins de semana, levando ao cotidiano quase totalmente profano; a reflexão profunda ou meditação, momento de pensar a si mesmo em busca da auto-realização, se transmutou nos negócios das chamadas “yogas” e “psicologias de auto ajuda”. Desta forma, notamos que a dita igualdade de oportunidades nesta sociedade não passa de uma faceta caótica de Kali-yuga.

    Thumb up 0
  2. E tao fofo… mas usando a logica e uma ideia ridicula como pode tirar os animais de sua liberdade e prende-lo em um pequeno pedaco de plastico? Isso e um absurdo

    Thumb up 9
    • não é tirar a liberdade se eles são criados em cativeiro

      Thumb up 0
  3. É uma idéia ridícula mas… é tão fofo, eu queria uma tartaruga! *-*
    Compraria, tiraria uma foto e depois o colocaria num aquário depois. (:

    Thumb up 11
  4. cada vez mais me surprendo com o comportamento do ser humano mais uma prova que com o passar do tempo o mundo esta se deteriorando cada vez mais tenho vergonha de fazer parte dessa experiencia que deu errado e nos gerou

    Thumb up 9
    • Concordo!

      Thumb up 3

Envie um comentário

Leia o post anterior:
torn
Torneiras automáticas são mais sujas do que as manuais

Que ironia, hein? Um...

Fechar