Veja como “se apaixonar” mexe com o cérebro

Publicado em 13.02.2012

Morrer de amores é uma coisa totalmente emocional, né? Pelo contrário: é totalmente “racional”.

Apaixonar-se pode causar estragos em seu corpo. O coração acelera, a barriga embrulha, você entra numa montanha russa emocional, sentindo-se delirantemente feliz em um minuto, e ansioso e desesperado no próximo.

E esses sentimentos românticos intensos não vêm do coração; vêm do cérebro.

Em um pequeno estudo, pesquisadores analisaram imagens de ressonância magnética do cérebro de 10 mulheres e 7 homens que afirmaram estar profundamente apaixonados.

O comprimento das suas relações variava de um mês a menos de dois anos. Os participantes viram fotos de seus amados, e fotos de uma pessoa com aparência semelhante.

Os cérebros dos participantes reagiram às fotos de seus amores produzindo respostas emocionais nas mesmas partes do cérebro normalmente envolvidas com a motivação e recompensa. Ou seja, esse tipo de amor usa o mesmo sistema no cérebro ativado quando uma pessoa é viciada em drogas.

Em outras palavras, você começa a desejar a pessoa por quem está apaixonado como desejaria uma droga.

Especialistas dizem que o amor romântico é uma das emoções mais poderosas que uma pessoa pode ter.

Nossos cérebros sabem que temos que escolher um parceiro. Eles se tornam motivados para conquistar o companheiro ou companheira, às vezes indo a extremos para obter a sua atenção e carinho.

A parte de recompensa do cérebro, também chamada de centro do prazer, é uma parte essencial do cérebro para sobreviver nessa situação, pois nos ajuda a reconhecer quando algo é bom. E o esforço para se sentir bem em torno de seu companheiro pode ser ainda mais poderoso do que o desejo por sexo.

Mas quando conquistamos nosso amor, esse sentimento de desejo/vício desaparece? Não completamente.

Em outro estudo, cientistas analisaram exames de ressonância magnética de 10 mulheres e 7 homens que estavam casados há uma média de 21 anos e afirmavam ainda estar intensamente apaixonados por seus parceiros.

Os pesquisadores descobriram que em cada um desses amantes de longo prazo, as regiões cerebrais também foram ativadas quando eles olharam para fotos de seus parceiros. “Amor a longo prazo” ativava regiões do cérebro ligadas ao apego e gostar de uma recompensa.

Às vezes, conquistar uma pessoa não desfaz, mas aumenta a ligação entre as pessoas, que permite que os parceiros fiquem juntos por tempo suficiente para ter e criar filhos.

Mas estudos do cérebro sugerem que o amor muda ao longo do tempo. As pessoas se acostumam com o relacionamento, perdendo o medo do parceiro as deixar, então não se focam tanto no desejo.[LiveScience]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

20 Comentários

  1. Uau, uma visão realmente promissora, eu gostei das fases do casamento e acredito ser bem assim mesmo, nem todo casal sobrevivi a isso, o fato é que na maioria das vezes um casal não consegue lhe dar com essas etapas, querem sempre ter o melhor do outro, conviver com uma pessoa diariamente requer muito esforço, até por que diferente do namoro é no casamento que vemos que todo mundo tem seu lado chato e complicado, e hoje em dia o povo se casa mais com o lado bonitinho dos outros, quando conhecem como a pessoa realmente é, ai desistem, ficam desmotivados, pelo menos é isso que vejo dos casamento de hoje.

    Thumb up 9
  2. É muito fácil ser feliz com uma mulher. Os homens tem que deixar de ser o “macho dominante” e passar essa função pra ela.

    Thumb up 15
  3. Sobre a paixão é meio complicado de se falar, pq eh algo que considero passageiro e relacionado principalmente à carnalidade, ao desejo, enfim. Acredito que a paixão combinada ao Amor é o há, o amor perdura e enfrenta o que for preciso para estar ao lado de quem se realmente ama. Claro que como já dito por alguns antes, quando estes sentimentos não são correspondidos, por algum motivo ou outro, muitas vezes se torna um sofrimento massacrante para aquele que os possui, mas infelizmente, não é possível querer se abster deles. Em um momento ou outro, por mais que resistamos, o nosso coração pulsa mais forte por alguém.
    Por esse motivo é extremamente importante se cultivar o amor (quando há certeza de que é realmente isto) e distingui-lo da paixão, para que não haja sofrimento em vão.

    Thumb up 7
  4. para procriarmos e proteger e sustentar as crias ate estas serem um peso menor,pois a femea humana nao e auto suficiente o suficiente,pelo menos nao era ultimos milhares de anos ,mecanismos evolutivos .

    Thumb up 1
  5. Sou leigo no assunto, mas eu vi que alguns hormônios são liberados pelo cérebro qnd nós lembramos ou estamos perto da pessoa que estamos apaixonados… algumas delas são a ocitocina, a dopamina e a serotonina…

    Acho interessante que esse estado de apaixonite aguda não só é de cunho da mente, mas mexe totalmente com o nosso corpo…

    E se mexe de tal maneira com o corpo, por via desses hormônios, está claro que a paixão pode até causar alguns efeitos indesejados… como é o caso das dores no peito…
    A dopamina, por exemplo é um neurotransmissor precursor da conhecida adrenalina, a qual é capaz de causar excitação no indivíduo e aumenta consideravelmente o bombeio do coração para o fluxo sanguíneo… daí aquela dor no peito quando vimos a pessoa amada.

    Como eu disse, sou leigo no assunto… me corrijam se eu estiver errado.

    Thumb up 12
  6. Igor, voce é um estupico mesmo!!!, nao duvide disso, o fato dela ter tomado a iniciativa e dirigir a palavra, foi por instinto, toda mulher procura no meio da multidão de candidatos(provavelmente ela deve ser bonita e muito assediada) um menos chato e diferente, um que seja superior a ela-ou seja que nao precise ficar adulando por atenção-, e que encaixe ao homem de perfil ideal na mente ja pre definido no inconsciente feminino, este sim vai ser o merecedor da atenção, e a sua indiferença motivada pela sua timidez mascarou um dos requisitos do perfil ideal. Mas nao se iluda, quando ela perceber isso, provavelmente voce fara parte da multidão dos candidatos comuns, de pouco interesse para ela. A paixão sintetiza a condição humilhante e de entrega total do homem ou, vice versa, para a mulher. E quando a mulher, que sabe mais do que o homem lidar com os sentimentos, percebe essa fraqueza começa o jogo de tortura, onde desencadeia no plano irracional um vai e vem de interesses e emoções jamais entendido pelo homem, um ser racional e logico. Fisgado pela paixão, o homem libera os mais diversos tipos indesejaveis de sentimentos, tais como o odio, vingança, traição, duvidas, etc, todos irmãos proximos e originados pelo sentimento contrario da paixão, assim, torna-se objeto de tortura e brinquedo nas mãos da mulher. Considero como uma doença do sentimento, a paixão, necessário a morte do ego para cessar seus efeitos. Evite a paixão, seja inteligente e nao estupido…

    Thumb up 14
    • Rapaiz, vc falou tudo cara!!!!!!!!!!!!
      Parabéns pelo texto!!! Pena que muita gente ainda tenha uma visão ingênua e romântica da paixão…
      Abraço

      Thumb up 7
    • Que comentario duro, mas pra falar sinceramente eu até que concordo, a paixão muitas vezes nos deixa num estado humilhante, eu já acreditei na paixão romantica, mas hoje eu creio que isso é mito, essa tal “paixão” é tentadora, fato, mas em contrapartida é ruim, tem muito efeitos negativos, dependendo do ser a quem é destinada pode ser realmente perigosa, nos deixa cegos.

      Thumb up 5
  7. Uma coisa é certa: estar apaixonado é como uma doença, algo danoso para o organismo. A pessoa se torna quase um zumbi, deixa de comer, trabalhar, se divertir… pensando só na pessoa “amada”, que muitas vezes tá nem aí com a paixão alheia. O importante nessa vida é ser feliz, mas geralmente a paixão é algo incômodo, e devemos evitá-la para crescermos como pessoas e aproveitar mais o que o mundo nos proporciona.

    Thumb up 20
    • Com palavras simples e texto resumido, disse tudo sem complexidade.

      Thumb up 4
    • Verdade

      Thumb up 1
    • Outra visão interessante e realista, como o proprio texto dá a entender:
      “Esse tipo de amor usa o mesmo sistema no cérebro ativado quando uma pessoa é viciada em drogas.”

      Ou seja, a paixão é realmente uma droga, não me levem a mal, mas os beneficios geralmente são a curto prazo, será que vale a pena correr o risco? O pior é que em sua maioria é incontrolavel.

      Thumb up 3
    • Realmente estar apaixanodo é muito bom…quando essa paixão é correspondida, por quê do contrário é puro sofrimento!!!

      Thumb up 28
  8. Paixão mexe com o cérebro da mulher, no caso do homem é mais em baixo que alguma coisa mexe!!

    Thumb up 8
  9. Falem pra min quem ja se apaixonou, eu fui pra escola nova e vi uma menina qe nunca tinha visto, ela me chamou muito a atenção, e fique olhando pra ela achei que ela tinha um sorriso lindo e muito encantador, no dia seguinte a mesma coisa, eu sou muito tímido e não falava com ngm, ela foi a primeira que tomou iniciativa de falar cmg, e isso so me fez ficar mais encantado com ela, depois disso passei 2 dias sem ir pra escola por doença, e depois quando fui parecia que não sentia mais aquilo, mas quando ela foi embora e eu não vi mais ela eu fiquei com vontade de ver ela de novo, sera que estou apaixonado, ou sou apenas estúpido?

    Thumb up 2
    • Não, Igor, não és estúpido, e sem ofensa, és parvo, porque isso se chama amor à primeira vista, tenta falar com ela que o teu socesso está garantido, vai em frente meu irmão, FORÇA.

      Thumb up 1
    • Pois eh cara, queria muito falar com ela, mas acho que não tenho chance, tem caras de olho nela eu acho, e eles já tem mais amizade com ela, mas eu vou tentar, não vou desistir dela assim tao fácil, eu achava q isso de amor a primeira vista não existia, mais só de olhar pra ela já senti uma coisa estranha(q nunca havia sentido antes.

      Thumb up 0
    • Eu não chamaria de paixão não, mas tão pouco de estupidez. É simplesmente interesse. Acho meio difícil se apaixonar à primeira vista, quando se pensa que isso aconteceu geralmente nos decepcionamos, porque é bem provável estar apaixonado pela ideia que se tem da pessoa e não pelo que ela é. Como disse a matéria, paixão é um sentimento muito forte. Agora, sempre vale a pena tentar se aproximar da pessoa em quem está interessado, porque quem sabe não vira uma paixão? Boa sorte.

      Thumb up 3

Envie um comentário

Leia o post anterior:
shyness_2134220b
Timidez pode ser classificada como doença

Agora, comportamento...

Fechar