10 famosos que se vingaram de maneiras criativas

Por , em 19.12.2014

As pessoas geralmente adoram uma boa história de vingança – é algo com o qual elas podem se relacionar, uma vez que todos nós já fomos sacaneados pelo menos uma vez na vida e quisemos resolver o assunto com nossas próprias mãos. Ao fazer isso, algumas pessoas são mais criativas que outras. Por exemplo:

10. Michael Crichton e a regra de pênis pequeno

famsoos vinganca 10
Escritores muitas vezes criam personagens baseados em uma pessoa real, e podem fazer um personagem ruim inspirado em alguém que não gostam. Isso representa um problema legal, no entanto – o escritor pode ser processado por calúnia se o acusador mostrar um vínculo definitivo entre ele e o personagem. Por conta disso, a “regra de pênis pequeno” nasceu. É uma maneira inteligente de escritores zombarem maliciosamente de um homem real, protegendo-se da alegação de calúnia ou difamação. Ao deixar bem claro que o personagem tem um pênis muito pequeno, o escritor pode evitar processos, uma vez que a maioria dos homens não quer provar em uma corte que são a inspiração para tais personagens.

Um escritor que usou esse truque, em 2004, foi Michael Crichton. Seu livro “State of Fear” recebeu uma avaliação ruim do crítico Michael Crowley, que apareceu como o personagem “Mick Crowley” no seu próprio romance, “Next”. Mick é um estuprador de crianças com um pênis muito pequeno. Além da evidente semelhança entre os nomes, tanto o personagem quanto o crítico são formados na Universidade Yale e jornalistas políticos baseados em Washington.

9. Judd Apatow e o elenco de “Freaks and Geeks”

famsoos vinganca 9
Judd Apatow é um comediante, produtor, diretor e roteirista americano, tendo trabalhado em sucessos como Ligeiramente Grávidos e o Virgem de 40 anos. Antes disso, porém, ele fez um pequeno programa chamado “Freaks and Geeks”. O show não ficou tão famoso, razão pela qual a NBC o cancelou após 12 episódios. A questão que incomodou Apatow, porém, foi a acusação de que ele lançou os atores errados. Apatow queria provar para os executivos da NBC que eles estavam errados – que o elenco que ele escolheu era bom. Então, manteve a equipe em vários trabalhos que fez durante a maior parte de sua carreira, transformando-os em histórias de sucesso. São hoje grandes nomes como Seth Rogen, Jason Segel, Paul Feig, James Franco e Jason Schwartzman.

8. Lord Byron e o urso na faculdade

famsoos vinganca 8
Lord Byron foi um dos poetas mais bem sucedidos de todos os tempos. Ele fez uma fortuna com seu trabalho e era conhecido como um homem de excessos, bem como um grande amante dos animais. Toda a sua vida, ele teve bichos exóticos como macacos, raposas, pavões, crocodilos, texugos, gansos e cabras, juntamente com inúmeros cães e cavalos. De todos eles, o seu favorito era um cão chamado Boatswain. Naturalmente, quando Byron começou a cursar faculdade na Cambridge Trinity College, queria trazer um cão com ele como companhia. Infelizmente, a regra dizia explicitamente “não são permitidos cães”. No entanto, o estatuto não fazia menção de quaisquer outros animais. Então, Lord Byron trouxe um urso consigo para a universidade. Obviamente, a instituição não o queria por perto, mas não tinha nenhum recurso legal para negar a presença do animal. O urso foi autorizado a permanecer no campus durante toda a duração da estadia de Byron.

7. Peter James e seus personagens por vingança

Peter JAMES
O escritor britânico de novelas policiais Peter James tem o hábito de criar personagens baseados em pessoas que o irritam, fazendo questão de dar-lhes um destino sinistro. Quando surge a necessidade, James também faz uso da “regra do pênis pequeno”, como ocorreu quando quis se vingar do escritor Martin Amis. Depois de uma troca de palavras particularmente desagradáveis entre os dois, James colocou no Twitter que seu próximo livro teria um personagem com um pênis muito pequeno. O resultado foi “Amis Smallbone”, um personagem com um pênis tão pequeno que uma prostituta ri dele.

Em outra ocasião, James usou como inspiração uma leitora que cruzou a linha entre fã devotada e perseguidora. Ela aparecia em todos os seus eventos, e mandava e-mails quando não podia ir; eventualmente, em uma sessão de autógrafos, James esqueceu o nome dela, e isso a deixou tão furiosa que a mulher lhe enviou um e-mail com um discurso raivoso de 10.000 palavras. James precisou envolver a polícia. Já a louca tornou-se a inspiração para um personagem de um fã que persegue e assassina uma atriz famosa.

6. Jonathan Swift e a pegadinha

famsoos vinganca 6
No início do século 18, John Partridge era um dos astrólogos mais bem sucedidos do mundo, autor de muitos almanaques populares. Por acaso, Partridge também era inimigo do escritor Jonathan Swift, que não gostava dele por conta de seus ataques contra a igreja. Ao mesmo tempo, Swift era um famoso brincalhão. Em fevereiro de 1708, ele criou um esquema de vingança que só foi resolvido alguns meses depois. Ele inventou a persona de Isaac Bickerstaff, outro astrólogo que publicou seu próprio almanaque do nada, como todos os tipos de afirmações típicas, como uma previsão muito incomum: em 29 de março, por volta das 11:00, John Partridge morreria de uma febre. Partridge respondeu a bizarra alegação, descartando Bickerstaff como um amador e um charlatão. Isso capturou a atenção do público. As pessoas estavam contando os dias, imaginando quem estaria certo. Swift estava preparado para isso: em 29 de março, publicou um panfleto dizendo que Partridge tinha morrido. Muitas pessoas acreditaram na notícia, e Partridge teve que publicar uma carta para informar a todos que ainda estava vivo. Eventualmente, o próprio Swift pôs fim à fraude através de uma outra publicação intitulada “A Vindication of Isaac Bickerstaff”.

5. Mark Twain e o homem petrificado

famsoos vinganca 5
Mark Twain, o famoso escritor, é pseudônimo de Samuel Clemens. Quando ele era apenas um funcionário do jornal Territorial Enterprise, resolveu fazer uma pegadinha com que um juiz chamado Sowell, que Twain considerava um tolo pomposo. Twain também estava irritado com todas as histórias de petrificação presentes nos jornais, contos bizarros de corpos humanos perfeitamente preservados. Ele decidiu matar dois coelhos com uma cajadada só, e escreveu sua própria história que envolvia a descoberta de um homem petrificado nas montanhas perto de Gravelly Ford. Twain deu uma descrição detalhada da criatura e fez questão de mencionar que o juiz Sowell era o encarregado pelo corpo. Twain viu seu trabalho apenas como uma sátira, mas ninguém mais o viu do mesmo jeito. A história foi republicada em jornais de todo o país. Depois de alguns meses, apareceu até em uma publicação de Londres. Twain não fez nenhum esforço para esconder sua gracinha e ficou muito satisfeito com o resultado. De acordo com ele, mandou todos os jornais que citavam o homem petrificado a Sowell, para irritá-lo. O juiz recebia diversos jornais por dia, que acabava enterrando em seu quintal.

4. Montgomery Meigs e o cemitério para militares

famsoos vinganca 4
Montgomery Cunningham Meigs era general do Exército dos EUA durante a guerra civil americana, e um patriota inabalável que considerava qualquer um que se alinhasse com a Confederação um traidor da nação. Em sua mente, ninguém merecia esse título mais do que o comandante do exército confederado, Robert E. Lee. Meigs já havia servido sob o comando de Lee, mas agora achava que só uma sentença de morte era apropriada para ele. Embora isso não tenha acontecido, Meigs teve outra oportunidade de se vingar de seu ex-comandante. Durante a guerra, vítimas eram feitas a todo momento, e assim surgiu a necessidade de um novo cemitério militar. Meigs pediu que seus homens explorassem a área para encontrar o melhor local, e o ponto escolhido foi a ex-casa de Lee. Ela na verdade pertencia a sua esposa, uma descendente de Martha Washington. O nome da propriedade era Arlington House. Meigs não perdeu tempo em transformar a casa em um cemitério, com a intenção expressa de torná-la inabitável se Lee resolvesse obtê-la de volta. O local se tornou o Arlington National Cemetery, o famoso cemitério de 624 hectares reservado para militares e suas famílias. O próprio Meigs foi enterrado lá, juntamente com seu pai, sua esposa e seu filho.

3. Friz Freleng e Chuck Jones e os desenhos animados contraditórios

famosos vinganca 3
Friz Freleng e Chuck Jones eram animadores da Warner Brothers e ajudaram a criar personagens icônicos como Pernalonga, Gaguinho e Patolino. Eles também foram responsáveis pela criação de alguns dos episódios de desenho animado mais bem sucedidos que o estúdio já fez, muitos dos quais feitos apenas para contrariar um produtor, Eddie Selzer, presidente da Warner Bros Cartoons de 1944 até 1957. A primeira vez que ele realmente irritou os animadores foi em 1947. Frajola era um novo personagem que Freleng queria emparelhar com outro recém-chegado, Piu-Piu. No entanto, Selzer queria que Frajola fizesse parceria com um pica-pau, porque aparentemente um pica-pau seria mais engraçado. Freleng teve de ameaçar sair do estúdio para Selzer ceder. O resultado foi não só um dos pares mais populares do estúdio, mas também “Tweetie Pie”, um episódio que deu o primeiro Oscar à Warner, de Melhor Curta de Animação. Logo, os animadores simplesmente começaram a fazer exatamente o oposto do que Selzer queria. Outra das suas opiniões foi a de que um gambá que falava a língua francesa não seria engraçado. O resultado: Pepé Le Pew (ou Pepe Le Gambá), em 1950, que rendeu um segundo Oscar à Warner. Selzer felizmente subiu ao palco para receber os dois prêmios, é claro.

2. Dante Alighieri e o livro com o papa

famosos vinganca 2
O Papa Bonifácio VIII tomou o poder quando duas facções, os guelfos e os gibelinos, estavam brigando sobre a possibilidade de apoiar o papa ou o imperador do Sacro Império Romano. Os guelfos eram subdivididos entre duas facções: a preta e a branca, com base em diferentes ideologias. Os guelfos pretos, que apoiavam completamente o poder do papa, finalmente venceram a batalha, e Bonifácio VIII começou a se vingar dos brancos. Um dos mais proeminentes guelfos brancos era Dante Alighieri que, eventualmente, viu-se exilado de sua cidade natal, Florença. Pouco tempo depois, Dante passou a escrever a mais famosa obra literária italiana da história: A Divina Comédia. O poema épico detalha o caminho de Dante pelo purgatório e pelo céu, mas é principalmente famoso por sua descrição dos nove círculos do inferno. Dante se vingou do papa colocando-o lá. Especificamente, ele se encontra no oitavo círculo, culpado de simonia, que é o ato de vender favores divinos e cargos nas igrejas. Bonifácio ainda estava vivo quando Dante escreveu A Divina Comédia, mas o poeta contornou esse pequeno detalhe meramente prevendo a eventual condenação do papa. Hoje em dia, Bonifácio é mais conhecido por sua aparição no poema do que por qualquer coisa que ele já fez como papa.

1. Pedro I e a matança por amor perdido

famosos vinganca 1

Esta é uma história de amor proibido que tem lugar no século 14 em Portugal entre o príncipe Pedro I e a bela aristocrata Inês de Castro. Pedro já tinha sido casado por seu pai, o rei Afonso IV, à Constanza, a filha de um poderoso aliado. Ainda assim, isso não impediu que ele e Inês tivessem um tórrido caso. Todos toleraram esse relacionamento até a morte de Constanza, em 1345. O rei, temendo repercussões políticas, proibiu Pedro de ver Inês, mas o filho o desobedeceu. Com o tempo, o rei não viu outra opção senão ordenar o assassinato de Inês. Três homens a capturaram no mosteiro de Santa Clara-a-Velha e mataram-na. Pedro se revoltou contra seu pai, mas foi derrotado dentro de um ano. Ele, então, escolheu uma abordagem diferente e fingiu pedir perdão completo. Ele estava, na verdade, apenas comprando tempo: logo mais, em um ano, Afonso morreu e Pedro se tornou o rei de Portugal. Em seguida, buscou vingança contra os homens que tinham matado Inês. Um deles conseguiu escapar, mas Pedro executou os outros dois rasgando seus corações para fora de seus peitos. O rei então afirmou que havia se casado em segredo e nomeou postumamente Inês rainha de Portugal. O corpo dela foi transferido para um suntuoso mausoléu no palácio. Alguns registros da história contam ainda que Pedro exumou seu cadáver e o colocou no trono, fazendo todos os cortesãos beijarem sua mão. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

Deixe seu comentário!