Humor é um ato de agressão

Por , em 25.08.2009

“Why so serious?”

É bom ficar mais esperto com pessoas que fazem você dar risada. Segundo Helga Kotthoff, da Universidade Frieburg, Alemanha, o humor é um ato de agressão, pois fazer o outro rir confere um grau de controle que pessoas dominantes exploram para mostrar que estão no comando.

“Manifestar humor significa ter o controle da situação daqueles que estão em uma hierarquia mais elevada e isso é um risco para pessoas em condição menos elevadas, antes de 1960 as mulheres raramente faziam outras pessoas rirem – elas não podiam se dar ao luxo”, explica.

De acordo com Helga, comédia e sátira são baseados na agressividade e não são legais. “Até 1960 não era elegante para uma mulher ser engraçada. Mas até agora mulheres preferem contar piadas às suas custas e homens preferem contar piadas às custas dos outros”.

A diferença entre homens e mulheres na habilidade de ser tornarem comediantes começa muito cedo. Meninos entre a idade de quatro a cinco contam mais piadas, fazem brincadeiras e palhaçadas, enquanto as meninas só dão risada. Com o passar do tempo, a mulher passa a ser mais engraçada, pois se sente mais livre não sendo vista como dama.

Até a revolução sexual de 1960, mulheres raramente faziam comédia em público ou em local privado, porque o humor era um ato de agressão. “Um estudo no final de 1980 mostrou que homens usavam piadas de cunho sexuais como uma forma de despir verbalmente uma mulher que refutasse sua investida; o humor dele era agressivo na essência. Porém, ambos usam como forma de controle”, completa.

O estudo foi publicado no Journal of Pragmatics. [Telegraph]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

15 comentários

  • Cris Marks:

    …[3] pois ela pesquisa o uso do humor na relação de gênero, na especificidade em que há o ato de depreciar a mulher, como ato de controle.

  • Cris Marks:

    …[2] percebi que essa matéria resume a pesquisa como se ela tratasse do humor como agressão de modo genérico, o que não é o caso [continua

  • Cris Marks:

    Penso que há um equívoco nessa matéria. Procurei o artigo da pesquisadora no Journal of Pragmatics e ao encontrá-los (sim é mais de um)…

  • Emerson Hoffmann Macedo:

    Comentário do Alexandre diz tudo.

  • Samuel Alencar:

    Creio que; deveras há um certo domínio do humorista concernente aos que dão risada de suas piadas. Muitos desses anedoteiros, aproveitam a situação descontraída para obterem vantagens ou algo que os interessa.

  • ligia:

    Que mentira conto piadas o dia todo e não controlo ninguem

  • aproveite a vida:

    afffffff
    nada ve isso
    tdo mundo gosta de 1 boa piada,e eu adoro contar piadas e nao eh por isso q eu controlo nimguem

  • julio:

    Quem ri de uma piada grosseira e/ou com outra pessoa sobre pessoas em condições ou situações inferiores é por que concorda com ela e, discordo do que foi dito, não por que esteja sob sua influência e, sim, por que concorda… fui claro? rs rs rs rs rs rs rs rs

  • lhca:

    Estou com o Alexandre…
    existem piadas destrutivas e também piadas saudáveis.
    rir faz bdem

  • Fernando Sávio:

    Se fazer as outras pessoas rirem é uma agressão eu quero que todo mundo seja agredido todos os dias.. Quem sabe assim não tenha tanta gente com depressão ou stress..

  • leandro santos:

    De fato, quem nos faz rir exerce um controle sobre nós. Mas alguém precisa ter esse controle.

  • Paulo:

    Realmente é verdade, sempre achei os programas humoristicos chatos eles exploram e ridicularizam doentes mentais, homosexuais, mulher e homens em inferioridade. Alem disso temos os desenhos animados que são sadismo puro e agressivos.
    A Dra. Helga Kotthoff está com a razão.

  • Augusto:

    Já viu aquela expressão matar de tanto rir?!?!

  • Alexandre:

    Mas quanta bobagem… isso só pode ser um resquício daquele pensamento medieval de que a risada era algo demoníaco. Concordo sim que existe um tipo de humor que é desagradável, mas todo mundo o conhece como “piada de mau gosto”, onde por exemplo, se satiriza a condição física de alguém, humilhando-o em público. No resto, todos sabemos como é gostoso rir e fazer rir e o quanto é saudável para a psique humana manter o bom humor.

  • Miguel Gewandsznajder:

    Nunca tinha pensado nisso, e é de fato verdade. Muito boa a matéria, ta de parabéns.

Deixe seu comentário!