6 inacreditáveis histórias de pescador que são verdade

Por , em 1.10.2011

Se você pescar no lugar certo, o que surgir do outro lado da linha pode muito bem ser qualquer coisa do espaço profundo do fundo do oceano. É claro, geralmente, o que você pesca está no reino das coisas que você estava esperando. Outras vezes, parece uma criação de filmes de terror.

E, ocasionalmente, o que você puxa para cima é tão improvável que eles não podiam colocá-lo em um filme da Disney por medo de que crianças de cinco anos descrevessem o que aconteceu na tela como “altamente improvável”. Por exemplo…

1 – Tubarão tigre soluciona caso de homicídio

Em 1935, os australianos Charles e Albert Hobson deixaram uma linha de pesca na costa de Sydney durante a noite. Quando eles voltaram de manhã, todos os peixes e até mesmo um pequeno tubarão que tinham sido pegos estavam estraçalhados. Conforme eles foram puxando os peixes cortados e desmembrados, descobriram a causa: um gigantesco tubarão tigre de 4,27 metros tinha ficado preso na linha, absolutamente furioso.

Os dois homens conseguiram atrair a besta para a praia com cordas, e quando ela se recusou a morrer, levaram-na para o Aquário Coogee, nas proximidades. Depois de uma semana em cativeiro, o tubarão, determinado a manter o seu status de celebridade recém-descoberta, começou a vomitar um braço humano em frente a uma multidão de espectadores aterrorizados, oficialmente tornando esta a coisa mais legal que alguém já pagou para assistir antes da invenção de TV.

Além do mais, o braço em questão ainda tinha um pedaço de corda amarrado ao pulso, e uma autópsia determinou que o braço tinha sido removido do seu corpo com uma faca. Determinou-se que alguém tinha cortado o braço da pessoa, e que o tubarão tinha apenas o engolido e cuspido.

Este é o lugar onde a história iria acabar, se o braço não tivesse uma tatuagem rara que permitiu que os investigadores o identificassem como pertencente a Jim Smith, um ex-boxeador que fez uma carreira mais tarde cometendo pequenos crimes e fraudes. Aparentemente, Smith tinha sido um informante da polícia e tentou chantagear os caras errados. Quando ele terminou em dezenas de pedaços em um baú no fundo do mar, o assassino pode ser pego devido ao tubarão (e ao braço) que serviu como prova de que ele realmente matou Smith.

2 – Barry Hunter captura o crânio de seu amigo

Em 2007, o pescador Barry Hunter derramou milhares de peixes se contorcendo na frente dele, e notou entre eles um crânio humano.

Barry levou sua descoberta a polícia, e a investigação forense revelou que o crânio era do desaparecido Brian Allison.

Apesar do que este artigo leva você a acreditar, as chances de restos humanos terminarem nas redes de um pescador são bastante reduzidas. Mas o fato de que o pescador e proprietário do crânio costumava ser amigo do esqueleto desaparecido é o que torna tudo ainda mais ao estilo “maldição cigana”.

O navio no qual Brian Allison e seu meio irmão Robert Temple estavam tinha sido encontrado no fundo do Mar do Norte três anos antes. Os corpos nunca tinham sido encontrados e a família, amigos e colegas pescadores como Hunter lamentaram a perda trágica.

Hunter pelo menos trouxe esclarecimento e um ponto final para a família e amigos, o que é – basicamente – um final feliz para uma história triste.

3 – Pescadores mexicanos encontram tubarão de um olho só

Até agora, as capturas, apesar de em circunstâncias estranhas, foram todas bastante plausíveis, até isso:

Photoshop! é provavelmente a única maneira de começar e terminar qualquer conversa sobre a foto acima. O site piscesfleet.blogspot.com publicou a história de um tubarão de um olho só capturado perto de Baja California, por um pescador comercial em junho deste ano. Com apenas duas fotos para análise, o coro de usuários de internet gritavam “faaaaaaaaaaaaaaalsas”. Aqui está a segunda foto:

Os comentaristas on-line apontaram como na primeira foto o cara segurando o tubarão estava supostamente cobrindo a área onde seu olho deveria estar. Quanto a segunda foto, a conversa virou-se para o quão fácil seria tirar um olho no Photoshop. Ninguém levou as fotos a sério. Até aparecerem essas fotos:

Nessas fotos, a criatura está visivelmente em um estado um pouco pior em comparação com as originais. O cavalheiro nas fotos acima é o Dr. Felipe Galvan, um dos pesquisadores de tubarão mais renomados do México, membro de um respeitado instituto de ciências marinhas, onde atua como professor e pesquisador desde 1982.

Embora tenha sido relatado por Pisces Fleet que o Dr. Galvan tinha “visto, estudado e elaborado um documento inicial sobre este animal sobrenatural”, que estava aguardando revisão e publicação, os céticos ainda expressaram seu desdém, queixando-se agora que o tubarão tinha de ser uma criação de um artista de efeitos especiais.

Até que o Dr. Galvan foi contatado, e confirmou a autenticidade das fotos. Aparentemente, quando uma tubarão-touro grávida foi capturada por um pescador comercial no Mar de Cortez, o tubarão ciclope albino foi um dos fetos encontrados no seu interior.

O pescador se recusou a doar o personagem da Pixar para estudo (presumivelmente vendo possibilidade de dinheiro nisso), mas permitiu aos cientistas examiná-lo temporariamente, que é onde Galvan entra em cena.

“Isso é extremamente raro, tanto que eu sei de menos de 50 exemplos de uma anormalidade como esta registrada”, explica Galvan. Deformação resultante de poluição foi eliminada por Galvan. “A água no Mar de Cortez é uma das mais limpas do mundo, por isso não é provável que este tenha sido um fator”, conta.
A explicação é provavelmente uma coisa chamada holoprosencefalia. NÃO faça uma pesquisa no Google Imagens sobre holoprosencefalia, a menos que você e seu almoço queiram se reunir novamente para um segundo encontro.

4 – Thomas Swindal e a overdose de cocaína

No verão de 2011, os irmãos Thomas e Kenneth Swindal estavam pescando perto da cidade de Marathon na Flórida quando notaram um objeto estranho, quadrado e branco flutuando na água nas proximidades. Estes eram homens maduros (Thomas tinha 53), e sendo de Flórida, um destino muito popular para traficantes e contrabandistas, eles tiveram bastante certeza de que acabavam de encontrar um quilo de cocaína.

Os irmãos levaram o tijolo para o barco, olharam para ele por alguns minutos, e depois o guardaram. O que Kenneth planejava fazer com ele não se sabe, mas por enquanto, apenas continuou a pescar.

Pouco tempo depois, Kenneth olhou e notou que seu irmão, que tinha idade suficiente para ser um avô, tinha sido possuído por um fantasma. Essa é a única maneira de explicar por que Thomas não só abriu o pacote de pó branco, mas estava comendo-o e cheirando-o como um homem faminto que acabou de encontrar uma caixa de biscoitos.

Em um desenvolvimento que surpreendeu ninguém, exceto ele, o pescador na casa dos cinquenta não pode lidar com as drogas.

Menos de meia hora depois, Kenneth disse que seu irmão começou a ficar frenético. Primeiro, jogou seu rádio VHF portátil e telefones celulares para o lado. Em seguida, começou a esfaquear o motor do barco com um gancho e removeu a capota, fazendo com que o motor afundasse no mar, efetivamente os encalhando.

Em um esforço para falar a única língua seu irmão agora entendia – a linguagem de jogar coisas no mar -, Kenneth jogou todos os objetos cortantes e o tijolo gigante de drogas fora do barco. Ele subiu ao topo do navio e gritou por socorro até que seus gritos foram notados por um velejador, e os irmãos foram rebocados para a praia.

Thomas foi levado para o hospital mais próximo, onde morreu do que mais tarde foi conclusivamente determinado como overdose de cocaína. A polícia sentiu a necessidade de lembrar ao público que coletar contrabando suspeito da água é mal aconselhado, e que, “certamente nunca é seguro ingerir qualquer substância, se você não sabe o que a substância é ou o que potência a substância poderia ter”. Isto é, se sua crise de meia-idade não lhe tender a fazer uma má escolha.

5 – Pescador americano captura uma quimera

Quando Alan Robinson saiu para o mar em Bar Harbor, Maine, EUA, em julho de 2006, ele, como todos os pescadores comerciais, estava esperando por um pouco de sorte. O que ele transportou em seu barco naquele dia, entretanto, foi um pouco mais do que isso: uma descoberta de 1 em 50 milhões.

Parece uma iguaria de tortura de peixe japonesa, onde apenas metade da lagosta é fervida para que você possa ouvir o grito da outra metade, mas na verdade é um fenômeno natural. Bem, isso se você considerar algo que acontece praticamente nunca um fenômeno natural.

Uma quimera ocorre quando dois zigotos com células diferentes, e às vezes de espécies diferentes, se combinam para formar uma única criatura (ou pessoa). Sim, tem havido quimeras humanas, que são o equivalente genético de ter gêmeos não idênticos em um só corpo, tamabém conhecidos como siameses. Infelizmente, as versões humanas são muito menos dramáticas do que o que se poderia esperar com base na lagosta.

Lagostas carregam uma variedade de pigmentos, geralmente amarelo, vermelho e azul. De acordo com a National Geographic, lagostas “crescem de forma simétrica, com cada metade do corpo se desenvolvendo de forma independente da outra”. A lagosta quimera capturada por Robinson não tinha pigmento azul e amarelo em um lado, o que a fez parecer “meio” deliciosa.

O crustáceo surpreendente está atualmente vivendo em um oceanário. Enquanto quimeras são extremamente raras, a distribuição desigual dos três pigmentos na lagosta é menos incomum, e pode resultar ocasionalmente em outras anormalidades, como lagostas arlequim ou azuis.

6 – O peixe e o fim do casamento

Em dezembro de 2002, Jamie Artzt e Blake Liebeskind estavam tentando distrair seu amigo Eric Bartos, cujo casamento estava acabando. Eles o levaram para a costa de Fort Lauderdale. Bartos pescou um grande aguilhão vela, porém, não conseguia parar de pensar na sua esposa.

Em um ato que provavelmente assustou seus amigos, Bartos colocou sua aliança de casamento no “nariz” (“espada”) do peixe, e o devolveu ao mar. Ele alegou que era para simbolizar o início de sua nova vida como solteiro, que acreditamos que se traduz em “eu estava bêbado”.

Em 2005, os três amigos encontraram-se novamente em um navio de pesca ao largo da costa da Flórida. No fim do dia, houve finalmente um grande sucesso em uma das linhas, e Bartos agarrou um peixe, notando algo brilhante em torno de seu nariz.

Era a aliança de casamento que ele tinha encravado no aguilhão vela em dezembro de 2002.

Depois de um silêncio constrangedor, os homens começaram a tirar fotos da coincidência ridícula. O nariz peixe tinha claramente crescido no perímetro em torno do anel, prendendo-o firmemente no lugar.

Quando a notícia da estranha coincidência chegou à mídia, as pessoas acharam que era mentira e Bartos concordou com um detector de mentiras, passando com sucesso, no que foi descrito como “extremamente verdadeiro”.

Embora os testes de detector de mentiras sejam notoriamente falíveis, há também a questão do por que Bartos inventaria uma história em que ele tortura um peixe gigante para se vingar de sua esposa.

Confundindo as intenções do peixe claramente disposto a se vingar, Bartos tomou isso como um “elogio” e uma “história milagrosa”. Capturar o mesmo peixe duas vezes é extremamente raro, e o equivalente a ganhar na loteria. Só que em vez de ganhar milhões, Bartos perdeu dinheiro dando a sua ex-mulher mais uma razão para pensar que ela estava certa sobre ele e seus amigos idiotas, afinal. [Cracked]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,00 de 5)

30 comentários

  • Dean Tarik:

    Todo mundo procurando holoprosencefalia no Google, kk se alguém já comentou isso eu to nem ai.. kk Até porq eu não li os comentários.. (:

    • Vitor Guilherme:

      Me arrependi de pesquisar por imagens disso…

  • EB:

    uhuauaahuh vocês tinham que ver como meu amigo fisgou o chinelo da esposa uns 100 metros rio abaixo passando por uma queda d’agua uns 10 minutos depois de ela perder.

  • antahumana:

    diferentes espécies misturadas?
    po! imagine encontrar um touro metade cobra, ou um cavalo metade galinha, ou um lagarto metade cachorro? leão metade vaca comendo a si mesmo? esta matéria esta me saindo mitologica (ou mentirosa) demais! ciclopes, seres hibridos, maldições ciganas?
    que confusão

    • Rafael Souza Lima:

      infelizmente ( ou não ) devo lhe informar que seu nick “Antahumana” faz Jus ao seu intelecto… o artigo se refere á Espécies de LAGOSTAS.
      existe mais que uma …. e a Quimera no caso é a mistura de Espécies diferentes de LAGOSTA …..

      antahumana, se comparado ao comentário do dono este é o nick mais honesto que já vi por aqui .

    • A.S.S.:

      Nem todas as misturas sexuadas são compatíveis, em vez de touro-cobra eu apostaria em um ser meio urso panda e meio urso pardo.

  • FelipeBleichvel:

    se não tivesem falado: não pesquisem no google holoprosencefalia.

    eu nunca perderia meu tempo pesquisando algum termo cientifico que não vale nota na internet.

    Os ciclopes da vida real, não são nada agradavel de se ver.
    Fico pensando se existem mais seres com aparencia mitologica perambulando por ai.

    • 3dx:

      eu também vi os “ciclopes” eles são muito estranhos e feios, apesar de sentir pena deles…

  • gabriel dos anjos:

    POR FAVOR NAO PESQUISISEM HOLOPROCEFALIA POR FAVOR

  • lucienio:

    Quanto ao tubarão de um olho só, a vidasubmrina tem muitos mistérios que o homem ainda não desvendou. Podeser uma espécie que já existe a milênios ou é consequeciade alguma mutação genética causada pelo desequilibrio ecológico.
    Mas a verdade é que no mundo conteporaneo que vivemos ainda vai aparecer muitas coisas que noscausarão estranhesas.
    O planeta terra está passando por um novo ciclo de evolução.
    É só termos mais atenção nos acontecimentos.
    Esse é um tempo que muitas novas descobertas virão< e para os padrões de nosso entedimento vai parecer bizarro. Portanto, apenas será o nosso planeta cumprindo seu ciclo de evolução.

    • Victor Sampaio:

      leia a matéria, não é um tubarão de espécie desconhecida, é um feto mal formado!

  • Andrearuth:

    Eu não devia ter pesquisado holoprosencefalia e muito feio.Agora a questão da aliança é dificil de aceitar.E o mesmo que o tubarão que vomitou o braço do homem,é realmente uma historia de pescador

  • clarice:

    eita historias de pescador,,,deveriam ouvir as do meu falecido pai….ksksksksks

  • ElD:

    Esquecerão de publicar a vez em que pesquei um lampião aceso…

  • Lee:

    Concerteza a matéria pode ser verdaeira…ja ví vídeos de casos assim como a do tubarão e das lagostas em seres humanos.!!! É orrível!!!Passei mal e até hoje as imágens não saem da minha cabeça…Não recomendo para ninguém!!!
    Quando assistí e ví bebês como o tubarão..ou piores…nossa…pensei….caramba, não sabemos metade das coisas ruis que acontecem neste mundo!!!

  • Anderea:

    não divia ter pesquisado holoprosencefalia….:0

    • Mariana:

      AHH…eu devia ter escutado você.!!!

  • José Ricardo:

    Muito interessante as imagens sobre holoprosencefalia no Google,entretanto minha mãe não achou isso e agora estou de castigo, e tenho que passar duas horas sem livros de matemática e física.

  • Reg:

    Tem razão, mas são necessários…e dessa vez, pra mim foram muito divertidas. Estava olhando justamente a foto do pobre animalzinho, meio penalizada com a situação e de repente sobe paulatinamente a legenda “Compre lentes de contato”. E olhei de novo e vi o tubarãozinho “sorrindo” e com o único olho arregalado, enxergando maravilhosamente bem, com sua lente de contato! Um dos palpites infelizes dos anuncios Google.

  • DALVA:

    “FERVER A METADE DO CORPO DA LAGOSTA PARA OUVIR O GRITO DE DOR DA OUTRA METADE”. Isso é simplesmente HORROROSO! E pensamos que eles representavam uma raça mais avançada e inteligente do que os outros povos… Existem outros (não lembro agora quem são), que simplesmente TRUCIDAM GOLFINHOS para tomar banho no sangue deles para provarem que já são HOMEMS… Certamente em nosso mundo de pessoas “INTELECTUALMENTE AVANÇADAS” cometem-se muitas outras barbaridades contra seres vivos em nome do progresso… Realmente está na hora de Deus trocar esta criação por outra, pois esta já provou que NÃO DEU CERTO. Pelo menos para alguns!

    • Danórton Tadeu:

      Dalva. criação de humanos claro. as outras especies vão muito bem obrigado. O erro está nos ditos “inteligentes”

    • Tiago Moah Weimer:

      Sobre os golfinhos, acredito que esteja se referindo ao massacre que ocorre nas Ilhas Faroe, pertencentes ao reino da Dinamarca.
      Sim, concordo que é uma atrocidade terrível, odeio ver essa matança de animais mas me diga:
      Do que isso se difere da matança de, que tal o exemplo das galinhas?
      As Ilhas Faroe são um arquipélago de ilhas, de pequena área, quase toda ela rochosa e possuem como vegetação principalmente gramíneas, utilizadas como pastagem para as cabras.
      Não existem lavouras lá, eles tiram quase que totalmente o seu sustento através da pesca, ou seja, tudo que vêm do mar.
      Os golfinhos também estão nesta lista e sim, serve meio que como uma passagem de iniciação dos jovens para a idade adulta mas, também serve como fonte de alimento. Os golfinhos são atraídos até a baía da ilha, e lá as pessoas chegam e cortam o principal nervo que liga o sistema nervoso ao cérebro, visando assim diminuir a dor da morte dos animais. (não existe diminuição da dor, você sendo trucidado com uma faca, a dor é imensa).
      É este corte que faz jorar tanto sangue.
      É agora que vêm a comparação com as “galinhas”:
      Estes golfinhos não são deixados no mar, para boiarem para sabe-se lá aonde. Eles são cortados e sua carne é distribuída entre a população e mercadores.
      Isto te faz lembrar as galinhas mortas em um frigorífico servindo de alimento postumamente para nós?
      Sabe qual é a diferença?
      É que nós, aqui no Brasil não estamos acostumados com a morte de golfinhos, servindo-os como nosso alimento. Mas as galinhas, estas sim podem morrer pois já estamos acostumados e gostamos. 😉
      Espero ter esclarecido um pouco esta questão!!

    • Ezio José:

      Thiago, você foi feliz em seu comentário. Parabéns! As pessoas tem a mania de sentar no próprio … e ficar falando do … dos outros. Cada cultura é uma cultura distinta e se assemelha em divesros pontos uma com a outra.

  • luiz varjão:

    para vc que gosta do mar

  • fabricio:

    eu pesquisei sobre
    holoprosencefalia ( me lembro um ciclope)

  • Acyr:

    NÃO faça uma pesquisa no Google Imagens sobre holoprosencefalia, eu recomendo amiguinho!!

  • Simon:

    me de um resumo de holoprosencefalia pra eu nao precisar pesquisar huahuahuahua

    • Bruno Ramos Godinho:

      Eu gostaria do mesmo. Alguem se propoe?

    • juuuk:

      ‘Ciclope’

    • CAIPIRÃO:

      JUUUK,lá na fazendinha ‘tivemo’que fazer um ‘ciclope’ pra entijolar em cima quando fomos construir uma casinha,esse tubarão que ajudou a solucionar um caso de homicidio também ajuda a matar a fome se for bem fritinho…

Deixe seu comentário!