Agora sabemos quanto tempo uma peça de Lego demora para ser “eliminada” depois de engolida, se é que você me entende

Por , em 28.11.2018

Essa é uma boa notícia para pais preocupados cujos filhos pequenos engoliram uma peça de Lego ou outro objeto pequeno: aparentemente, o brinquedo não causa problemas e deve ressurgir em seu cocô dentro de alguns dias.

Sabemos disso graças a um estudo realizado por pediatras da Universidade de Melbourne, Universidade de Nova Gales do Sul, Universidade de Queensland (Austrália), Universidade de Leicester e Hospital Royal London (Reino Unido), que pediu a seis heróis que engolissem voluntariamente cabeças de bonequinhos de Lego e monitorassem quanto tempo demorava para recuperá-las.

A ciência pediátrica agradece

O estudo se refere a uma preocupação válida. Como todos sabemos, crianças pequenas adoram engolir coisas, especialmente moedas. No passado, estudos examinando a passagem de moedas através do aparelho digestivo foram realizados, notavelmente um de 1971 que determinou que a maioria das moedas era inofensivamente eliminada dentro de três a seis dias.

Até hoje, contudo, ninguém havia examinado de perto a passagem do segundo item mais comumente engolido: pequenas peças de brinquedo. “Valeu a pena avançar na ciência e no atendimento de emergência pediátrica”, disse uma das autoras da pesquisa, Tessa Davis.

E onde eles encontraram seis adultos (três homens e três mulheres) dispostos a engolir peças de Lego de propósito? Os indivíduos foram recrutados em uma comunidade online de profissionais de hospitais pediátricos. Os participantes foram questionados sobre cirurgias gastrointestinais anteriores, problemas para engolir objetos e aversão à busca por matéria fecal.

Isso porque cada sujeito precisou manter um “diário de fezes”, registrando seus movimentos intestinais antes e depois de engolir as cabeças de Lego, bem como avaliar a frequência e “dureza” de suas fezes depois de ingerir o brinquedo. Em média, eles passaram três dias examinando seus próprios cocôs para determinar quando a cabeça reapareceria.

Resultados

Cinco dos seis sujeitos recuperaram o brinquedo em 1,14 a 3,04 dias. A média foi de cerca de 41 horas. Um pobre coitado nunca recuperou seu Lego.

Damien Roland, um dos autores do artigo, disse à CBC que vasculhou seu próprio cocô por duas semanas esperando que a peça reaparecesse, sem sucesso.

Advertências

Os pesquisadores deixaram claro que o experimento foi pequeno e em adultos, de forma que a média do tempo de passagem pode variar mais amplamente na população geral. Além disso, outras peças pequenas de brinquedo de formas variadas podem levar tempos mais curtos ou mais longos para atravessar o sistema digestivo.

Os pais podem ficar tranquilos, entretanto.

“[No geral], um brinquedo passa rapidamente por sujeitos adultos sem complicações”, concluíram os autores, acrescentando uma importante advertência: “Os pais devem ser aconselhados a não procurar o objeto nas fezes, pois é difícil encontrá-lo”.

Um artigo sobre o estudo foi publicado na revista científica Journal of Paediatrics and Child Health. [ArsTechnica]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 3,75 de 5)

Deixe seu comentário!