7 Misteriosos eventos atmosféricos

Por , em 29.02.2012

Com o passar dos dias, nós acabamos nos acostumando com a visão do céu acima de nós, e temos a impressão de que não há nada de diferente acontecendo por lá: sempre as mesma cores e nuvens. Mas a atmosfera guarda uma série de características interessantes e alguns mistérios que ainda não foram totalmente solucionados. Confira uma lista com sete destas curiosidades:

7 – Como se formam as nuvens?

Talvez você ainda se lembre de como aprendeu, nas aulas de geografia, sobre o processo de formação de uma nuvem: devido aos ciclos climáticos, o vapor d’água existente na atmosfera se condensa e as nuvens se compõem. Pesquisas recentes defendem, no entanto, que esse processo não é tão simples assim: raios cósmicos podem estar envolvidos.

Segundo essa teoria, apoiada por experimentos feitos no CERN (famoso laboratório na fronteira franco-suíça, que simula o Big Bang), algumas partículas eletricamente carregadas, vindas do espaço, influenciam no ritmo e intensidade com que as nuvens se formam, e naturalmente isso se reflete no clima.

6 – Seres atmosféricos

Seria possível que a vida na Terra tenha se iniciado não pelos mares, e sim pela estratosfera? Cientistas têm se dedicado a estudar seres vivos que habitam o céu indefinidamente. Na maioria dos casos, trata-se de bactérias e fungos. Algumas espécies, conforme se observou, estão apenas viajando pelo ar, mas outras realmente se alimentam de substâncias químicas das nuvens.

Há mais de dez anos, cientistas de diferentes instituições têm dado atenção às bactérias que habitam pontos incrivelmente altos da atmosfera. As teorias em torno do surgimento dessas formas de vida ainda variam, mas os indicadores recentes mostram que a “fauna celeste” é mais rica do que imaginamos.

5 – Auroras luminosas

Ambas as extremidades da Terra (Pólo Sul e Pólo Norte) reservam, eventualmente, maravilhosos espetáculos de luz no céu: as chamadas Auroras Boreal e Austral. Tais auroras são causadas, segundo os cientistas, por perturbações entre o magnetismo e as partículas elétricas nos pólos.

Em 2008, a NASA foi ainda mais longe. Uma nave aparelhada para esta finalidade conseguiu detectar que o surgimento dessas auroras está a mais de 150 mil quilômetros da Terra, na direção oposta à do sol. O campo magnético da Terra, às vezes, produz uma “cauda” que se arrasta por longas distâncias além da atmosfera. Na esteira dessa cauda, correm elementos químicos que proporcionam aquele show de luzes tão fascinante.

4 – “Marés” atmosféricas

Nem todo mundo sabe disso, mas as massas de ar que circulam pelo planeta também são reguladas por uma complexa “maré”, de forma que a atmosfera seria comparável a um oceano. Este ciclo, no caso, é influenciado de acordo com uma combinação entre o aquecimento dos raios solares e a gravidade lunar, que afetam a pressão e promovem deslocamentos na atmosfera.

É claro que, para nós, na superfície e em baixas altitudes, a movimentação das marés atmosféricas é muito pouco perceptível. Apesar disso, seus efeitos são verificados no clima, na formação de fenômenos como furacões e até interfere nas comunicações por rádio e no controle de satélites na órbita terrestre.

3 – Porque existem relâmpagos?

Milhares de anos se passaram desde que o homem começou a observar fenômenos na natureza, mas um deles permanece tão misterioso nos dias de hoje quanto nos primórdios da nossa existência: os relâmpagos.

A explicação mais simples e usual é a de que partículas de gelo se chocam sob determinadas condições, que deixam a nuvem eletricamente carregada ao nível de produzir descargas. Essa teoria, no entanto, jamais foi completamente comprovada. Alguns cientistas alegam que, sob as condições atmosféricas já observadas, seria impossível que descargas tão violentas pudessem ser produzidas nas tempestades. O que há por trás deste mecanismo segue sendo um enigma.

2 – Luzes de alerta a terremotos

Em 1746, o diretor de uma prisão na Ilha de San Lorenzo, no Peru, notou estranhos feixes de luz branco-azulados no céu e resolveu colocar detentos do local para observar tais luzes o tempo todo. Três semanas depois, um enorme terremoto atingiu as cercanias de Lima, a capital, e a ilha foi atingida por um tsunami.

Alguns sinais visuais muitos sutis, outros nem tanto, podem ser detectados nos céus quando uma catástrofe natural se aproxima. No caso dos terremotos, outras evidências já foram registradas em fotografias ao longo do tempo, mas ninguém conseguiu ainda explicar as origens de tais luzes.

1 – Vida útil do ar respirável

Nem sempre o ar atmosférico foi propício para os seres humanos respirarem, e nem sempre o será. Daqui a um bilhão de anos, calcula-se que o sol será 10% mais brilhante e intenso à Terra do que hoje.

O volume de água que evapora dos oceanos vai aumentar, criando uma camada de moléculas que deve acelerar o que se chama hoje de efeito estufa. A Terra se tornaria uma espécie de Vênus úmida: muito calor envolto em uma camada atmosférica espessa, como um gigantesco cobertor de água fervente.

Quando a água escapar para a estratosfera, será quebrada pelos raios ultravioleta em oxigênio e hidrogênio. Os átomos de oxigênio ficariam retidos lá em cima, sem voltar à superfície, e pouco a pouco teríamos cada vez menos disponível para nós. Com apenas hidrogênio para respirar, a morte de todos os seres vivos seria apenas questão de tempo. [NewScientist, Foto]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

26 comentários

  • Henrique Telles Dos Santos:

    minha hipótese é que se sobrevivermos daqui a bilhões de anos,nossa espécie estará tão evoluida que poderá se salvar migrando se para outros planetas(com vida)pois nossas técnologias estará mais avançada e assim salvaremos a nossa espécie.

  • Lucas Sonaglio:

    faltou os Sprites

  • Ramon De Souza Vieira:

    Amei a matéria, eu já tinha lido sobre esses sinais luminosos no céu antes de terremotos, e já testemunhei fenômenos estranhos, como um raio que caiu ao lado da minha casa, cujo a cor era laranja…

    • Lucas Sonaglio:

      cara, já vi raios alaranjados, é esquisito e nao sei o pq dessa cor

  • Wallace Silva:

    Eu acho que so vamos conseguir saber de todos esses misterios quando morrermos, que e quendo o nosso espirito abandona o corpo e se move para qualquer lugar, planeta, galaxia…

  • GRASIELA:

    HÁ MUITO MAIS MISTÉRIOS ENTRE O CÉU E A TERRA DO QUE SONHA OS NOSSOS FILOSOFOS OS NOSSOS CIENTISTAS, OS NOSSOS GEÓLOGOS, E ESTUDIOSOS EM GERAL…..

  • Adauto Leite:

    Sobre todo esse universo de duvidas e suposições, eu gostaria que algum cientista especialista no assunto, podesse me responder as seguintes questões:
    a) O deslocamento de ar quente proviniente de milhares e milhares de turbinas a jato dos aviões, funcionando initerruptamente no espaço poderia estar influenciando o processo?
    b) E a queima enorme de combustiveis, dos lançamentos de foguetes espaciais com enorme deslocamento de ar por onde navegam, influenciam o processo?

  • Mario:

    e tem gente preocupada com rôbozinhos, ta viajando.

  • Roni Pensador:

    3- raios: existem muitos mistérios ainda. Documentário no youtube . ” relâmpagos discovery channel legendado hd “. O melhor de todos.

  • João da cru\ vieira leite:

    Bastante cignificant a prigem da vida,só não acredito na teoria de charlea darwim que, o homem veio do macacaco(uma aberração)para tudo que explica a origem da vida ainda, é bastante *carismática e ainda estamos bem longe estabelecermos uma concluzão para esta coisa inesplicavel origm da *VIDA.
    Seje do espaço, da agua do macaco,ou de onde for que vier esta prospécção,
    nossa origem que mais se coaduna com a realidade; é que fomos trasidos não mandados, por uma População ja estinta a milhres de Anos, bem distante de nossa Galácsia*.

  • Marte:

    Faltaram os Sprites e os ELVIS, dois bons misteriosos.

  • RF:

    Uma coisa que não entendo ocorre com o que parecem ser tempestades elétricas. Acho que todo mundo já viu, em algum momento da vida, aquelas nuvens que parecem ficar “emitindo” raios, mas sem som algum…
    Acho isso estranho, pois o som é uma consequência comum de qualquer descarga elétrica grande como a de um raio ou relâmpago em nossa atmosfera. Com o aquecimento absurdo e repentino do ar a expansão dos gases é muito grande, gerando o som.
    Afinal de contas, alguém entende o porque é que ocorrem estes raios sem a produção de som?

    • Glauco:

      É o som que tá longe demais prá vc ouvir.

    • Glauco:

      O som se dissipou, só isso.

    • darkmetal:

      como o glauco citou, dependendo da distância não lhe permitirá ouvir o som pela questão de velocidade do mesmo. A luz é cerca de 874.030 x mais rápida que o som.

  • Glauco:

    Isso tudo o McCanney já desvendou em seu livro Principia Metereologia, mas os metereologistas morrem de medo de abrir esse livro.
    7-) Como se formam as nuvens.
    A humidade do ar do processo cíclico da água existe, e por isso as nuvens se formam, mas a energia necessária para condensá-las e transportá-las de uma parte a outra vem de fora do planeta, e é elétrica. Essa eletricidade já existe o tempo todo ao redor do planeta, mas em certas condições astronômicas se tornam fortes o bastante para criar as nuvens.

    6-) Seres atmosféricos.
    Bactéria tem em todo lugar.

    5-) Auroras luminosas.
    Essa explicação eles tiraram do trabalho do McCanney, antes eles pensavam que era reflexo da luz do Sol.

    4-) Marés atmosféricas.
    Não é coincidência que as principais dessas marés ocorram de oeste para leste nos Trópicos e de leste para oeste no Equador: esse é o caminho que as correntes elétricas presentes ao redor do nosso planeta faz, criando uma espécie de bateria ao redor do planeta. As cargas presentes nos Trópicos é predominantemente positiva, enquanto a do Equado é predominantemente negativa.

    3-) Por que existem raios?
    Tudo se encaixa: o campo elétrico presente ao redor da Terra, quando se torna forte e cria zonas de baixa pressão que chegam a se conectar com o solo, formam os raios. Os cientistas vão passar mil anos tentando explicar o que não tem explicação: partículas de gelo colidindo nunca terão energia suficiente para criar descargas elétricas de milhões de volts.

    2-) Luzes de alerta a terremotos.
    Em alguns casos, conexões elétricas presentes na ionosfera podem causar terremotos e gerar essas luzes, mas nem sempre isso ocorre, pois terremotos podem ocorrer simplesmente por acomodação de placas. Esse mesmo processo elétrico pode desencadear furacões e erupções vulcânicas.

    1-) Vida útil do ar respirável.
    Não faz sentido nenhum: se a quantidade de água evaporando dos mares aumentar, a quantidade produzida de neves nos trópicos vai aumentar, e se nuvens densas se formarem, o planeta vai se esfriar ao invés de aquecer, afinal de contas o Sol é a única fonte de calor da Terra. Se tampar a luz do Sol, acaba o calor! Mesmo as nuvens ácima do planeta vão se resfriar, afinal elas serão brancas, e a luz branca reflete luz e calor!!

    • Ezio Jose:

      Contestações muito bem exemplificadas e bem explicadas. Não tem como discutir. Parabéns, Glauco!

    • Glauco:

      Gud! tks!

    • Marcos-DF:

      Glaucão,
      uma explicação fudência !
      Valeusssss !!
      🙂
      Abração

  • JHR:

    2- Luzes de alerta a terremotos:
    Uma explicação para o fonômeno aponta para correntes eletricas induzidas a partir compressão de camadas de rochas no local do abalo císmico ( efeito piezoelétrico ). Contudo, testes de laboratório com rochas submetidas a elevadíssimas pressões não induziram correntes eletricas capazes de reproduzir o efeito….

    • Cesar:

      JHR, tem alguma referência para o estudo em laboratório das rochas piezoelétricas? Queria saber por que acharam que a energia elétrica produzida por rochas comprimidas foi pouca para explicar os fenômenos luminosos próximos a falhas geológicas em atividade.

    • JHR:

      Também não encontrei muita coisa sobre este assunto. Mas existe um documentário no NetGeo chamado “Luzes Misteriosas”. Este documentário mostra este e outros fenômenos bastante interessantes que tem deixado cîêntistas um tanto constrangidos.

    • Marcos-DF:

      Por sinal, muito bom !
      Mostraram os testes e tudo o mais…
      Abraços

  • R^ml:

    7- Se a formação de nuvens é estimulada por eventos extra-terrenos, então tempestades e inundações também.

    6- Micro-organismos se formando no topo de nuvens congelantes e em meio ao ozônio hiper-reativo? Complicado…

    3,2- Não sabia que a formação dos raios ainda era um enigma, muito menos imaginava que feixes luminosos poderiam “avisar” um [futuro] terremoto. LEGAL!

    1- É certo então que a dissociação da água na estratosfera já tenha “levado” parte de nosso oxigênio no passado. Quanta água já foi pulverizada a esta altitude por impactos de meteoros num passado não tão remoto?

    • Victor B. Iturriet:

      quanto aos micro organismos super resistentes há pouco tempo fui em uma palestra sobre vida extra terrestre na PUC de Porto Alegre – RS, lá ele nos apresentou a forma de vida mais provavel de ser encotnrada fora da terra, uma bactéria que aguenta temperaturas que vao de cerca de -150C até cerca de 200C, níveis de radiação mais de 1000 vezes superior ao que o ser humano aguenta, resiste ao vácuo, mas também resiste a pressões absurdas, enfim, é uma bactéria quase indestrutível fisicamente, creio que ela talvez seja encontrada nestas áreas

    • R^ml:

      Caro.

      Isso é o mínimo que tal mo. deveria suportar para sobreviver, não significa que de fato exista. Para sabermos, teremos que coletar amostras.

Deixe seu comentário!