A forma com que um casal se toca revela mais do que afeição

Por , em 14.03.2011

Depois de algum tempo de convivência, muitos casais desenvolvem uma linguagem própria, que vai além dos apelidos carinhosos e constrangedores, das palavras e até mesmo do olhar – eles passam a se comunicar pelo toque.

Cientistas descobriram que casais conseguem se comunicar melhor do que estranhos através do toque, e transmitindo sentimentos alheios à afeição que sentem um pelo outro, como inveja e orgulho.

No estudo, os pesquisadores analisaram como 12 sentimentos seriam transmitidos através do toque, desde tristeza à gratidão e simpatia. 30 casais, com idades entre 18 e 54 anos, participaram do experimento. Em média, eles estavam juntos por cerca de dois anos.

Os casais sentavam um em frente ao outro, com uma cortina escura entre eles. Um membro do casal (chamado de decodificador) colocava o braço do outro lado da cortina enquanto seu parceiro tentava transmitir emoções apenas pelo toque.

Depois os casais eram trocados, e estranhos tentavam transmitir emoções um para o outro.

Apesar de ser óbvio que os casais conseguiriam transmitir melhor suas emoções, pela experiência que eles possuem juntos, os cientistas se surpreenderam com a habilidade deles transmitirem emoções como “inveja” e “orgulho”, que são complexas, apenas com um toque.

Agora os cientistas querem analisar se outros tipos de relacionamento, como o elo entre os pais e o filho ou então entre irmãos também produzem a mesma intimidade em relação ao toque ou se isso é uma exclusividade de relacionamentos amorosos. [The Body Odd]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • Paulo Sergio:

    Esse artigo me lembra uma palavra… Saudade

  • Ezio José:

    Existem comportamentos que são hipócritas também. Pessoas que se mostram para sociedade de uma forma mas na realidade nunca se entenderam entre si.

  • Jrah del Valle:

    Hhmmm… Nao sei se e baboseira, nao.

    Alias, baseado na minha experiencia de vida, ate fico inclinado a dizer que esteja correto e que seja quase obvio, basta ter o conhecimento e o tempo necessario para aprender a “ler” as pessoas.

    Entretanto, a parte mais interessante e que se aceitarmos isso, seremos levados, obrigatoriamente, a questionar se os animais possuem linguagem ( e, por conseguinte, “sentimentos” ) muito mais complexa do que sabemos.

    😕

  • luvialca:

    Baboseira.

    • Rosana Oliveira:

      Não é culpa dos pesquisadores se você nunca conseguiu se envolver de verdade com alguém.

Deixe seu comentário!