A única habilidade matemática necessária para ter sucesso na vida profissional

Por , em 31.01.2013

De acordo com um novo estudo da Universidade de Missouri (EUA), a chave para melhorar a força de trabalho do mercado atual pode estar nas aulas de matemática das escolas de ensino fundamental.

David Geary, principal autor do estudo, explica que a falta de uma habilidade matemática específica ensinada na primeira série está correlacionada com baixo desempenho em uma prova de matemática da sétima série, usada para determinar a empregabilidade e os salários em adultos.

O estudo

A pesquisa fez uma conexão entre psicologia infantil e economia do trabalho, a fim de examinar as raízes da escassez de trabalhadores matematicamente proficientes nos EUA – dados nacionais apontam que um em cada cinco adultos americanos não tem a competência matemática esperada de um aluno do oitavo ano.

180 estudantes com 13 anos de idade participaram do estudo. Eles haviam sido avaliados quanto à memória, inteligência, cognição matemática, atenção e realizações profissionais todos os anos desde o jardim de infância. Todos esses fatores foram controlados na análise das pontuações nos testes de empregabilidade administrados na sétima série. Diferenças demográficas também foram contabilizadas.

Os pesquisadores identificaram a habilidade matemática conhecida como “conhecimento do sistema numérico”, que é a capacidade de conceituar um numeral como um símbolo para uma quantidade e entender as relações sistemáticas entre números, como fundamental na carreira profissional futura.

Existem diversos sistemas de numeração. Por exemplo, para crianças mais novas, é comum o ensino do sistema de numeração decimal, através de atividades focadas em comparar números, registrar quantidades ou realizar operações com o número 10. Uma forma de analisar esse conhecimento em alunos da 1ª a 3ª série, por exemplo, seria usar frases para que eles completem com números usando raciocínio, como “Hoje é segunda-feira e Lucas vai ganhar um presente daqui a ____ dias, na sexta-feira desta semana”.

Segundo os cientistas, ter este conhecimento no início do primeiro grau previu a melhor capacidade funcional matemática na adolescência.

Já a habilidade de resolver problemas de matemática não se correlacionou com a capacidade dos alunos mais tarde. Os alunos que começaram atrás nesta habilidade foram capazes de alcançar os mais avançados, enquanto que os alunos que estavam atrás no conhecimento do sistema numérico continuaram atrás de seus colegas.

Geary explica que um déficit de conhecimento do sistema numérico no início da aprendizagem cria uma base fraca para a aprendizagem posterior, o que pode levar a uma vida toda de problemas, não se limitando apenas a oportunidades de emprego reduzidas.

“Má compreensão de conceitos matemáticos pode tornar uma pessoa presa fácil para credores predatórios”, disse Geary. “Alfabetização numérica também contribui com a poupança em grandes compras e gestão de hipotecas e cartões de crédito, por exemplo”.

Os pesquisadores acreditam que programas de intervenção destinados a superar essa deficiência matemática precoce podem ajudar os alunos a conseguirem melhores empregos mais tarde, bem como fazer escolhas econômicas mais sábias e melhorar a força de trabalho futura geral dos EUA.

“Isolamos uma habilidade específica que tem importância real na empregabilidade e observamos como essa habilidade se relacionava ao grau de desempenho matemático da escola”, disse Geary. “Ao identificar essa habilidade numérica específica, podemos concentrar os esforços de educação em ajudar os estudantes com deficiência já na pré-escola e, assim, dar-lhes uma melhor chance de sucesso da carreira na vida adulta”.[LiveScience, ScienceDaily, RevistaEscola]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

7 comentários

  • Silvana Leal:

    Numa palavra:a meu ver, é a habilidade da ABSTRAÇÃO,que nos eleva do mundo concreto para criar novos conceitos e relações.

  • karol:

    affs o povo da minha sala não sabe nem oq é numero..

  • Carlos Malheiros:

    É um conceito a ser muito bem ensinado, portanto.

  • Edgardo Aquiles Prado:

    O conceito de que estão falando no artigo (eu acho) é o conceito de “proporção” ou de “continuidade” ou ainda “sequência”.
    Seria a capacidade de encadear o significado do numero 3 ao significado do numero 4, entender a “relação” entre eles.
    Saber que o 4 é “filho” do 3 permite que você entenda esses conceitos (“numeros” são conceitos, certo?) em vez de decorar a “somada*” de todos eles.
    A “somada” é útil mas sabé-la não resolve a dúvida “3+1=1+3?” e como muitos decoraram só o 3+1, não lembram quanto é 1+3 e, SE NÃO POSSUEM O CONCEITO dos numeros,….
    …vão querer decorar 1+3, também. Os alunos com boa memória conseguirão….e passarão.
    Como eu sempre tive má memória (graças aos deuses), eu não consegui decorar a somada, sempre fico em dúvida de quanto é 8+7=…

    * somada = equivalente à tabuada mas com soma em vez de multiplicação

  • José Marcello Vertemati Pinto:

    Ainda não entendi que habilidade é essa. “…que é a capacidade de conceituar um numeral como um símbolo para uma quantidade e entender as relações sistemáticas entre números…”, então as crianças não sabem o que são os números em si?

    • Humberto Sousa:

      Ficou estranho mesmo a explicação, mas em termos leigos significa trabalhar com sistemas de base diferentes.

      Basicamente assim:
      Base 10 Base 5 Base 2(binário)
      0 0 0
      1 1 1
      2 2 10
      3 3 11
      4 4 100
      5 10 101
      6 11 110
      7 12 111
      8 13 1000
      9 14 1001
      10 20 1010
      11 21 1011
      12 22 1100
      13 23 1101
      14 24 1110
      15 30 1111

    • HFC:

      Nem muitos adultos sabem o que são números …

Deixe seu comentário!