Churchill recebeu um atestado médico que lhe obrigava a beber cachaça todo dia

Por , em 13.04.2016

O que você faz se você é um poderoso político conservador britânico bêbado e beligerante, durante uma visita aos Estados Unidos em plena Lei Seca?

Diferentemente da nossa Lei Seca, que apenas nos proíbe de beber e dirigir, a Lei Seca americana foi um período (de 1920 a 1933) no qual toda a produção, transporte e comercialização de bebidas alcoólicas foi banida. Logo, o então primeiro-ministro do Reino Unido, Winston Churchill, precisaria ficar sem sua cachaça por uns dias.

Ou não. Ele podia simplesmente pedir a um médico que lhe receitasse álcool como remédio. Uma oportunidade que certamente não perdeu.

De acordo com informações do Winston Churchill Archive no site Art Tattler, uma carta do Dr. Otto Pickhardt aprovou o consumo de álcool por Churchill em 26 de janeiro de 1932.

O ex-primeiro-ministro estava visitando Manhattan em 13 de dezembro de 1931, quando cometeu o erro clássico de inglês na América e olhou para o lado errado quando saiu do táxi. Ele foi atingido por um carro, o que exigiu que fosse para um hospital a fim de cuidar de sua saúde.

Como bom estrategista e malandro que era, Churchill viu uma bela chance de virar o episódio a seu favor, assegurando que o Dr. Pickhardt lhe prescrevesse o famoso álcool medicinal que hoje em dia todos nós costumamos tomar sem receita mesmo. [BoingBoing, MundoEstranho]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!