Astrônomos estimam o número absurdo de planetas que existem na nossa galáxia

Por , em 13.02.2020

Um novo estudo de colaboração internacional – que envolveu, entre outras, pesquisadores da Universidade Pierre e Marie Curie (França), Universidade de Heidelberg (Alemanha), Universidade de St Andrews (Reino Unido), Universidade da Tasmânia (Austrália), Instituto Niels Bohr (Dinamarca) e Universidade de Notre Dame (EUA) – determinou o número de planetas que deve existir na nossa galáxia: um para cada estrela.

Em média

É claro que essa é uma média. Muitas estrelas têm mais do que um planeta – nosso sol tem oito, por exemplo.

Algumas estrelas, por outro lado, não têm nenhum. No entanto, se vivem tempo suficiente, as estrelas acabam formando planetas – essa tem sido a regra mais do que a exceção.

O que acontece é que os pesquisadores não podem mapear todas as bilhões de estrelas da nossa galáxia para descobrir quantos planetas cada uma delas possui, exatamente.

Então, como fazer essa estimativa?

A estimativa

Por enquanto, os astrônomos já confirmaram a existência de 4.108 exoplanetas no universo.

Apesar disso, eles sabem o que não podem ver – nossos telescópios não são poderosos ou precisos o suficiente para descobrir exoplanetas muito pequenos e distantes de suas estrelas, ou exoplanetas orbitando estrelas muito distantes de nós, por exemplo.

Ao mesmo tempo, existem algumas regiões do espaço muito bem mapeadas, as quais os cientistas têm bastante certeza do número de planetas que existem por lá.

Ao combinar esses dois conjuntos de informações – os exoplanetas conhecidos com a ciência daqueles que talvez não estejamos enxergando -, os pesquisadores determinaram que deve haver cerca de um planeta por estrela em nossa galáxia. Ou seja, bilhões de planetas!

Um artigo sobre o estudo foi publicado na revista científica Nature. [Astronomy]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (40 votos, média: 4,38 de 5)

Deixe seu comentário!