Nós nem podemos imaginar as cores que os beija-flores conseguem ver

Por , em 16.06.2020

Os olhos dos beija-flores provavelmente têm um tipo cone extra, o que lhes permite enxergar cores que nós não vemos. Isso significa que eles podem ver comprimentos de onda ultravioleta, permitindo comportamentos específicos de alimentação, acasalamento e fuga de predadores.

Ao contrário de humanos, que temos três tipos de cones sensíveis a cores na retina, os pássaros muito possivelmente têm quatro tipos. Enquanto nós só podemos ver as luzes vermelha, verde, azul e suas misturas, eles têm acesso a um leque muito maior de cores.

Se a combinação de três cores que nós podemos ver resulta em tantas matizes diferentes, imagine o que isso representa para a variedade de cores vistas pelos beija-flores. Qual seria o resultado da combinação entre ultravioleta e verde?

“Humanos são daltônicos comparados com aves e outros animais”, diz a bióloga Mary Stoddard, da Universidade de Princeton (EUA).

Por conta do tipo de cone extra dos beija-flores, cientistas acreditam que eles possam ver pelo menos cinco cores fora do nosso espectro, incluindo o roxo e as combinações de ultravioleta e vermelho, ultravioleta e verde, ultravioleta e amarelo e ultravioleta e roxo.

Experimento com beija-flores

Para testar essa hipótese, Stoddard e sua equipe utilizaram tubos de LED programados para mostrar várias cores, incluindo cores não-espectrais, que não são vistas por nós. Esses equipamentos foram colocados perto de bebedouros de beija flor, sendo que alguns bebedouros continham água com açúcar, enquanto outros tinham apenas água.

Conteúdos diferentes dos bebedouros estavam próximos de LED com cores diferentes. Depois do primeiro round exploratório, eles mudaram a localização dos bebedouros, acompanhados de suas cores específicas. Isso foi feito com objetivo de verificar se as aves usariam as cores para identificar as estações de alimentação que continham água açucarada.

Os beija-flores podiam, com facilidade, distinguir entre as diferentes cores não-espectrais para obter a recompensa. “As luzes ultravioleta+verde e verde pareciam idênticas para nós, mas os beija-flores continuavam escolhendo corretamente a luz ultravioleta+verde associada com a água açucarada”, diz o co-autor do estudo Harold Eyster, da Universidade de British Columbia (Canadá).

Dezenas de novas cores

Apesar de impressionante, esse estudo ainda não comprova de uma vez por todas que as aves têm um sistema visual tetracromático, e mais estudos são necessários para testar os limites da percepção de cores dos pássaros.

“Será que UV+verde parece para as aves como uma mistura dessas cores (de forma análoga ao acorde duplo tocado por um violinista), ou tão sublime quanto uma nova cor (análogo a um tom completamente diferente de seus componentes)? Não podemos dizer”, escrevem os autores no trabalho, publicado na revista PNAS.

E qual seria a utilidade de ter uma visão tão poderosa? Um segundo estudo analisou a composição de mil tipos de penas de aves e quase 2400 tipos de plantas, e constatou que 30% deles tinham cores fora do espectro. Isso indica que existe todo um mundo de cores que não é acessível a nós, mas que as aves navegam com muitas vantagens para elas. [PNAS, Science Alert]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!