Caçador ilegal de rinoceronte é morto por elefantes e comido por leões

Por , em 9.04.2019

Cinco caçadores ilegais invadiram à pé o Parque Nacional Kruger na África do Sul na primeira semana de abril para matar rinocerontes que vivem lá, dizem autoridades locais. Mas apenas quatro deles saíram vivos.

O quinto homem foi pisoteado por elefantes e depois devorado por um grupo de leões, segundo as autoridades informaram em uma nota. “Entrar no Parque Nacional Kruger ilegalmente e à pé não é uma coisa sábia, lá há muitos perigos e este incidente é evidência disso”, afirmou Glenn Phillips, um dos administradores do parque.

Os quatro caçadores que sobreviveram foram presos e devem ser julgados em breve.

“Seus cúmplices dizem que carregaram o corpo dele até a estrada para que pessoas que passassem por ali pudessem encontrá-lo no dia seguinte. Então eles fugiram do parque”, diz o policial Leonard Hlathi.

Os outros caçadores ligaram para a família do homem para avisar sobre o que aconteceu, e a família ligou para um dos guardas da reserva da região, que começou a organizar a busca pelo corpo.

Um grupo de resgate foi montado, mas nada foi encontrado no dia seguinte ao incidente. Apenas no segundo dia os guardas encontraram um par de calças e um crânio humano. Esses restos mortais estavam perto de um rio frequentado por leões e rinocerontes.

Phillips agradeceu o trabalho dos guardas, que conseguiram devolver os restos mortais do caçador para a família, ajudando no processo de luto. “É muito triste ver as filhas do falecido sofrendo pela perda do pai, e pior ainda, só conseguir recuperar muito pouco de seus restos”, escreveu ele.

Pó de chifre como remédio para febre

O Parque Nacional Kruger tem quase 2 milhões de hectares e é a maior reserva nacional da África do Sul. Este é o lar de leões, elefantes, rinocerontes, leopardos e búfalos africanos. Em julho de 2018, outros três caçadores ilegais foram mortos por leões na mesma reserva ambiental.

O que motiva essas pessoas a invadirem o parque à pé mesmo com o enorme risco de entrar no território dos leões é o chifre do rinoceronte, que chega a valer US$9 mil por cada 453 g.

O chifre moído é vendido como medicamento para febres e ressacas, mas na verdade sua composição não passa de queratina. O chifre é como se fosse o cabelo humano concentrado.

Este é um dos produtos de vida selvagem mais caros no mercado ilegal. O quilo do chifre vale mais que cocaína e até ouro. Os caçadores conseguem mais dinheiro se entregarem um chifre completo, mas isso causa a morte do animal.

Os caçadores anestesiam o rinoceronte e usam machados para cortar o chifre, cortando parte da face do animal. Ele acaba morrendo por hemorragia.

A África do Sul é lar de cerca de 20 mil rinocerontes selvagens, o que equivale a 80% da população global. Desde 2008, mais de 7 mil rinocerontes foram mortos ilegalmente, sendo que 1.028 foram mortos apenas em 2017. Em pouco tempo essa conta não vai fechar, e esses animais vão desaparecer bem debaixo dos nossos narizes. [Science Alert, The New York Times]

Caçador ilegal que matou centenas de animais é condenado a assistir a Bambi repetidamente

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (18 votos, média: 4,72 de 5)

Deixe seu comentário!