Cientista brasileira descobre que pessoas com DNAs opostos se atraem

Por , em 25.05.2009

Já revelamos que o dito “os opostos se atraem” não é nada mais que um mito, mas parece que este não é o caso quando falamos de genética. Cientistas mostraram que os humanos parecem estar ‘programados’ para buscar parceiros com DNA diferente, para fazerem bebês mais fortes.

Um estudo envolvendo noventa casamentos achou diferenças chaves no sistema imunológico chamado ‘complexo principal de histocompatibilidade’ (CPH). O CPH é uma região genética situado no cromossomo 6 e encontrada nos vertebrados.

O CPH varia de pessoa para pessoa. Os cientistas mostraram que aqueles que tinham o CPH mais divergente tinham uma tendência maior a ficarem juntos do que com o CPH similar. Esta é uma estratégia evolucionária para garantir uma descendência saudável e maior vriedade genética.

A professora Maria da Graça da Universidade Federal do Paraná (UFPR) diz que apesar de parecer tentador acreditar que os humanos escolhem seus parceiros pelas similaridades, a pesquisa mostra que as diferenças é que fazem a reprodução ser saudável. A importância da pesquisa é o papel numa reprodução que garante que as crianças nasçam com um sistema imunológico mais forte para lidar com infecções. Quanto maior a variação de CPH, maior a chance de reconhecer um invasor.

Este padrão de tomar decisões diminui o perigo de escolher parceiros dentre a família e aumenta a variabilidade genética dos filhos, diz o estudo. Esta variabilidade genética é uma vantagem para a prole.

O efeito do CPH também prova a eficiência do sistema imunológico. Os cientistas acreditam que as descobertas vão ajudar a entender a concepção, fertilidade e fracasso nas gestações. Já é comprovado que casais com CPH similares tiveram maior intervalo entre os filhos. [Telegraph]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

8 comentários

  • Alexandre Söldann:

    Sinceramente, isso foi uma pesquisa de há quanto tempo?

    Tenho livros de Biologia de quando eu ainda estava no ensino médio que já atestam o que se diz nessa matéria.

    Pessoas com DNA diferentes atraem-se porque isso aumenta as chances de terem uma prole saudável. Eis onde reside o perigo dos casamentos entre primos, por exemplo. Ou nos casos de pedofilia, em que um pai engravida uma filha ou um tio, uma sobrinha.

    • Bovidino:

      Casos de pais que engravidam filhas e outros de parentesco, é ‘incesto’. Pode ser com a agravante de pedofilia se a vítima for menor.

  • Bovidino:

    O estudo, só confirma que o dito popular é verdadeiro.
    É evidente que os opostos se atraem.
    Começando pelo sexo. Homens são atraídos por mulheres e vice-versa.
    O estudo e as pesquisas sobre o dito popular não provaram nada sobre a verdadeira atração que une os casais.
    Sabe-se perfeitamente que por mais que uma pessoa idealize seu companheiro ou companheira, acaba se casando com outra/o completamente diferente. A atração é decisiva e ainda não se conhece os verdadeiros motivos.

  • luizin:

    Luis Fernando,

    nem todo dna “perfeito” seria necessariamente igual, apesar de o ser humano ter uma variação muito pequena comparada a outros mamiferos

  • Fern Leitão:

    As PEQUENAS diferenças genéticas são necessárias apenas para evitar incestos. Na verdade buscamos pessoas o mais parecidas possíveis, com certa variabilidade genética em relação a nós, mas ainda assim muito parecidas.

    O título da matéria dá a entender que buscamos alguém COMPLETAMENTE diferente, o que não é o caso.

  • juka:

    Interessante, mas hà um erro de escrita: a terceira palavra do segundo parágrafo deveria ser Envolvendo e não Involvendo como está escrito.

  • Luis Fernando:

    mas se meu DNA é perfeito significa q nig vai gosta d mim ou todos vão gosta d mim?

  • Danielle’:

    Por favor, corrigir a palavra “envolvendo”

Deixe seu comentário!