Como seu perfil do Facebook pode melhorar sua carreira

Por , em 24.02.2012

Se você pensa que apenas manter sua página do Facebook livre de fotos em que você aparece bêbado vai ajudá-lo a conseguir um emprego, esqueça.

Os fatos mostram que, se você parece falar bem e ser popular, suas chances com um supervisor podem ser muito maiores. Fotos de sua viagem para Bali; atualizações sobre o quanto você adorou ler “Guerra e Paz”; e milhares de amigos aparentemente o tornam um candidato melhor para o emprego.

Pelo menos é isso que um estudo de três universidades apontam.

“Nós desenvolvemos um ranking de personalidade no Facebook e isso está relacionado com o desempenho no trabalho”, afirma Donald Kluemper, da Universidade de Illinois. No estudo, também participaram pesquisadores da Universidade de Evansville e de Auburn.

Os pesquisadores analisaram cinco traços entre os usuários da rede social, incluindo vontade, emocional, sociabilidade, extroversão e abertura. Esses são conhecidos como os “cinco grandes” traços da psicologia, e são comumente usados em estudos organizacionais.

Os usuários do Facebook, 56 no total, receberam uma avaliação de personalidade de avaliadores independentes. Seis meses depois, esses dados foram comparados com avaliações feitas por pessoas responsáveis por contratações. E adivinhe só: aqueles com melhores índices de personalidade tiveram melhor avaliação dos contratantes.

Mas o que define exatamente uma boa personalidade? Kluemper define assim:

Vontade: isso serve para alguém que parece ser bem organizado e trabalhador, e isso se reflete no modo como a página da rede social é organizada. Pode haver vários detalhes em postagens ou no perfil, ou fotos da pessoa trabalhando com algo.

Estabilidade emocional: controlar o stress e a negatividade. Isso significa um perfil com poucos aspectos negativos e sem postagens da “fossa”; também significa controlar o nível emocional das imagens.

Sociabilidade: alguém que se dá bem com os outros e não entra em conflitos online, como debates acalorados com amigos.

Extroversão: aqui entra a quantidade de amigos, porque esse número pode ser um indicador de personalidade extrovertida. Também, fotos em situações sociais com muitas pessoas são importantes, melhor do que você sozinho no sofá.

Abertura: viagens e inteligência entram nessa categoria. Se você parece aberto a diferentes experiências e pontos de vista, então você é uma pessoa aberta. Se você posta coisas sobre literatura clássica provavelmente vai ter uma avaliação melhor do que aqueles que colocam coisas sobre o último capítulo de algum programa ruim de televisão. Fotos de viagens internacionais também são um extra.

Baseado nessa pesquisa, uma boa pontuação nessas categorias significa que você provavelmente é um empregado ideal. Esse tipo de previsão é algo que ajuda muitas pessoas responsáveis por contratar.

Kluemper não afirma que o estudo deve ser usado como lei. “Esse é um estudo e a amostragem não é grande”, explica. “Muitos outros ainda precisam ser feitos”.

Ele complementa: “Nós não estamos defendendo que os empregadores usem essa técnica”. Infelizmente, talvez seja difícil deixar de lado a personalidade do Facebook na hora de arranjar um emprego. [MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

14 comentários

  • CAROL:

    informações muito boas,vou colocar em pratica.

  • Evandro:

    Totalmente parcial, colocando como se há um PERFIL… além de partindo da premissa que a ocorrencia do fato foi

    FACE —> Sucesso na Carreira

    Quando simplesmente, pode ter sido:

    Sucesso na Carreira —-> FACE

    Para desvendar isso, seria simples. Poderia se pegar outros perfis aleatórios, depois com o ‘mesmo perfil no face’ (nesses aspectos considerados) e então ver se se tornaram pessoas de sucesso ou não.

    Ao mesmo tempo que não é bom esquecer que o mundo é uma Piramide.

    70% das riquezas do mundo estão nas mãos de nem mesmo 10% das pessoas. Ou seja, não Sucesso na Carreira, depende muito mais de outros fatores do que “um perfil”.

    Além disso, extrovertido é perfil de sucesso?
    Coitado dos analistas, academicos, contadores, financeiros, programadores, cientistas (mesmo os da NASA)… que, em sua maior parte se consiste de introvertidos.

  • Maria Clara:

    Realmente tem muitas empress que olham sim, perfil em sites. Agora fico na dúvida, pois também há um problema de “SUPER QUALIFICAÇÃO”, já fui dispensada de continuar um processo seletivo, por ter “qualificações” diiiiii… mais para o cargo oferecido. Chego a ficar maluca com tantas coisas, pois quando NÃO SE TEM QUALIFICAÇÃO, não passa pelo processo, depois é TER “QUALIFICAÇÕES” e ser dispensada por isso…. Acho muito cruel, as pessoas serem chamadas para uma entrevista, tendo o avaliador o seu curriculo em mãos (com muitas informações), depois de passar por entrevistas exaustivas, dinamicas, etc… você ser dispensado por ter “muitas qualificações”, IDADE… Seria muito mais elegante das empresas, já colocarem que querem pessoas com “tal nível de instrução” e também idade. Sei que ainda há pessoas que passam ainda por constrangimento maior, que é o da aparência física ou por estar “acima do peso”. Esta semana, ouvi dizer, que vão pesquisar no serasa, e se essa pessoa estiver “negativada”, poderá também não ser “chamada”. Se essa pessoa está procurando emprego, creio que não tenha dinheiro para “quitar” suas dívidas, portanto, se não tem emprego, não tem dinheiro, logo, como vão “limpar o nome”?

  • claudemir da silva:

    realmente na logica é pura verdade

  • Carlla Vicna:

    Nossa! Eu já tomo cuidado com o que posto no facebook, não tenho muitos amigos, porque só adiciono quem eu conheço( e pretendo continuar assim),e fotos…eu estou sozinha nelas, mas me considero uma pessoal bastante sociável. Enfim, eu me lembro de outra reportagem daqui do hypescience, ” São os tímidos que mudam o mundo” ou alguma coisa assim. Na minha opinião, se os empregadores começarem a utilizar essa técnica eles não deveriam utilizar o quesito Extroversão. Afinal tem varias pessoas tímidas que se sairiam melhor no trabalho que as sociáveis. Na minha opinião…

  • marcos:

    Então eu to perdido pq to sentando a lenha principalmente nessas noticias terriveis que andam por aí…

  • fernando dahm:

    As respostas que nós damos a colegas ou algum amigo ela esta compartilhada com todos ,torna-se publica sem a gente se dar conta .Depois começam uma chuva de rsrsrsrsasdfghe tc….

  • carlos manuel da silva simoes:

    Lamento informar que o perfil no facebook é muito prujudicial,
    eu tenho na pele essa prova, tanto que anulei a conta nessa rede social. Tenho as minhas dúvidas que o facebook seja de confiar, a não ser para estar na escuta com outras redes, o
    que me aconteceu, reclamei, tentaram remediar, mas nada aconteceu, daí a anulação da conta do facebook.
    Solicitaram-me para voltar, mas eu não voltei a ter essa rede social, para mim é muito suspeita.
    A escuta das redes sociais com o facebook, é uma constante.

  • kato:

    Algumas vezes nem percebemos nossos “erros” e acabamos nos “condenando”. Ótimo assunto, valeu pessoal, pelo puxão de orelha, vou me “reorganizar” rsrsr

  • gracilda souza:

    Legal! Eu observo muito o que as pessoas postam e vejo cada barbaridade que se fosse um empregador descartaria na hora.
    Matéria educativa gostei.

  • roseli:

    Muito boa estas informações. Vou melhorar meu facebook.
    Obrigada por dividirem um detalhe tão importante com a rede.

  • Paulo Eduardo:

    O esquema é você meter as caras na empresa e não ficar esperando que um empregadgor olhe seu perfil no facebook!

  • elisa:

    Então eu simplesmente não existo, pois não coloco meus dados em redes sociais.

    • Ezio Jose:

      Tem gente que coloca todos os dados nas redes sociais, principalmente no FaceBook e no Orkut. Outros jogam todas as cartas do baralho com os números da espada, do paus, da copa, do ouro, do celular ao telefone residencial. A maioria escreve numa linguagem que foge da compreensão. Erros gramaticais e ortográficos são absurdos que vemos nesses sites de relacionamentos e veja bem que, aparentemente, quem os escreve se diz formado n’alguma especialidade acadêmica.
      Não precisamos nos identificar por completo como fazemos à um policial numa abordagem ou quando vamos às compras nos crediários. Apenas ser simples e demonstrar como somos já é o suficiente. Mas isto deve ser natural, sem exageros ou orgulho.
      Esta matéria que o HS publicou é muito oportuna e valiosa.
      Estão de parabéns.

Deixe seu comentário!