Depilações “à brasileira” podem estar colocando os chatos em extinção

Por , em 27.01.2013

Ao ler o título deste artigo, você pode ter pensado: “como assim, a depilação pode colocar os chatos em extinção? Inventaram uma forma mais segura de se depilar, que evita que eles critiquem o procedimento”?

Mas não se trata desse tipo de chatos. Estamos falando de um pequeno inseto parasita chamado de Phthirius Pubis, conhecido no Brasil pela alcunha de “piolho-da-púbis”, ou a mais popular, “chato”.

Devido às condições certas de calor e umidade, às regiões próximas à genitália (tanto a masculina quanto a feminina) são as preferidas deste pequeno inseto, que se esconde em roupas de cama, toalhas e nas dobras das roupas. Mas os dias de infestação do pobre chato parecem contados, porque ele precisa de um ambiente cada vez mais raro nos dias atuais: pelos pubianos.

Um centro de saúde em Sydney, na Austrália, conduziu uma pesquisa que constata uma queda vertiginosa em infestações de chatos nos últimos dez anos. Nenhuma mulher é diagnosticada com este problema desde 2008, e os casos entre homens caíram mais de 80% no período.

A razão para este novo índice é muito clara: a tendência em grande parte das culturas modernas em raspar os pelos da virilha, simplesmente porque está na moda. É um tapa na cara daqueles que defendem que a medicina estética não poderia oferecer um benefício real à saúde pública.

Quase duas décadas de cera e gilete

Nem todo mundo conhece essa história, mas um grupo de brasileiras é que está na vanguarda do movimento de raspagem da virilha. No ano de 1986, uma família de sete irmãs do Espírito Santo – Janea, Jussara, Judicéia, Juracy, Jocely, Joyce e Jonice -, que já trabalhavam com cuidados de beleza no Brasil, decidiram abrir um salão em Nova Iorque.

Nascia o J Sisters, um estabelecimento que ajudou a moldar os padrões de estética nos Estados Unidos, e por conseguinte, na sociedade ocidental. No ano de 1994, elas desenvolveram e popularizaram o método de depilação à cera, tanto na versão biquíni, quanto na de sunga, que tem ganho cada vez mais adeptos no universo masculino.

Do ponto de vista social, é discutível o padrão de beleza que trata como heresias terríveis os pelos que as mulheres conservam em regiões antigamente “permitidas”, como as axilas e a virilha. Muita gente – incluindo as J Sisters – usa esse padrão para lucrar.

Quão boa é essa notícia?

No caso do suposto benefício médico, também há mais de um lado da questão a se considerar. De fato, é positivo que as infestações de chatos tenham diminuído. Mas talvez os riscos não compensem as vantagens. Para começar, o inseto apenas suga sangue e não transmite nenhuma doença – o único grande desconforto é a coceira -, e é facilmente tratável com certos medicamentos (muita gente, inclusive, nem chega a consultar um médico quando os contrai).

Além disso, a depilação à cera nem sempre é totalmente segura. Mesmo quando feita da forma mais limpa e higiênica possível, aumenta a vulnerabilidade das áreas genitais a infecções e DSTs. Alguns doutores são terminantemente contra o procedimento da depilação por conta destes riscos. Mas é claro que não é nada fácil dizer isso à nova geração de homens e mulheres que se acostumaram a andar “pelados” por aí. [Bloomberg / Gazeta Online]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,25 de 5)

13 comentários

  • Washington n:

    É por causa desse tipo de matéria desinformante que vejo o hyperscience como um espaço de pouca credibilidade. Alguns artigos contém informações sensatas. Em outros, pura lenda.

    Depilação pubiana só tem um propósito: se igualar ao que a mídia impôs.
    Nada tem a ver com higiene nem saúde. Isso se trata com água e sabonete.
    Se fosse higiene, deveriam raspar a cabeça também de homens e mulheres.

    Depilação serve também pra atiçar o desejo de pedófilos, pois a vagina fica bem parecida com a de criança.

    Ali existem pêlos por sabedoria da natureza. É pra prevenir infecções e amortecer impacto durante sexo mais dinâmico.

    • Dinho01:

      A coisa não é bem assim.Quando éramos primitivos e vivíamos nus isso fazia sentido,mas com o uso de roupas,a depilação tornou-se um ato de higiene devido ao acúmulo de suor e sebo.Sem falar que a pele lisa aumenta o prazer no ato sexual.

    • Washington n:

      Desculpe, mas isso é que não faz sentido. Ato de higiene é feito com água e sabonete. Segue a lógica do cabelo. Vc precisa raspar a cabeça pra estar limpo? Não, vc usa xampu. Por mais que vc suje a cabeça, sempre é possível lavar.

      É a mídia que incute na mente dos mais ingênuos que pêlos pubianos são asquerosos.

      E prazer sexual nada tem a ver com pele lisa. O pênis é introduzido na vagina, ou seja, num local que não têm pêlos, não nasce pêlo. A não ser que vc tenha fetiche por depilação. Aí é outra história. É como eu disse: pode ser pedofilia enrustida ou quem sabe apenas lavagem cerebral. Não é difícil acontecer, pois sobretudo os homens são influenciados diariamente ao verem revistas eróticas, filmes etc, com “deusas” completamente depiladas, com peitões postiços etc. Como se isso fosse sinal de saúde. Na verdade, boa parte dessas “deusas” são doentes por dentro e bonitas por fora. Fazem isso apenas pelo dinheiro. Quando chegam aos 45 ou 50 anos, estão acabadas. Pudera, com tanta cirurgia nos seios, na cintura, tinturas no cabelo…

    • Fernanda A C Feitosa:

      tintura no cabelo acaba com a saúde? OO

    • Washington n:

      Excesso(o que é muito comum) de tintura, pode causar queda de cabelo. Não é difícil encontrar mulheres que passam anos usando tinta no cabelo e estão com falhas. A indústria faz de tudo pra convencer as mulheres que pinturas não fazem mal. Esporadicamente, pode ser. Mas de um jeito ou de outro, é uma substância agressiva. Possui diversos compostos, como amônia. Já não é agradável nem cheirar enquanto aplica.

    • Dinho01:

      A depilação já era usada no antigo Egito e na Índia e sexo não é só pênis penetrando a vagina.Por exemplo,existe muita diferença entre receber um beijo com o rosto barbeado ou estando barbudo.

    • Dinho01:

      Ah,e quanto aos cabelos da cabeça…Se você andasse com eles cobertos 24 horas por dia como no caso dos genitais,teria que lavá-los muito bem com xampu todo santo dia.

    • Fernanda A C Feitosa:

      “amortecer o impacto” acho que é totalmente desconsiderável. é tbm questão de higiêne, porque o couro cabeludo não produz as mesmas secreções que os genitais. sem falar que as doenças causadas por falta de higiene nas partes intimas sao beeem piores do que as que podem ser causadas na cabeça ¬¬. e depiação não tem nada a ver com pedofilia, porque a tara do pedofilo e ficar com crianças, e nao porque os genitais das crianças não tem pelos. e depilação ainda tem mais outra vantagem, ajuda bastante no sexo oral.

    • Washington n:

      Suor, urina, fezes, sangue e sêmen são laváveis. Passou água com sabonete ou sabão na pele, está limpo. Se a pessoa tem doença venérea, é outra história.

      Não é a depilação que faz a higiene. A pessoa pode estar totalmente depilada. Se não usar água, não tomar banho com frequência, continua suja.

      Os pêlos em cada parte do corpo existem por uma razão. Por exemplo, barba. Uma das utilidades é proteger o rosto do sol. Não é extremamente necessária, pode-se usar barbeador, mas já outras regiões são mais sensíveis.
      E isso significa o quê? Que não se deve depilar. Quando a mulher teima em depilar os genitais e aparecem aquelas bolinhas vermelhas, é um sinal da natureza avisando que ela não deveria fazer isso. Faz de teimosa.
      Ela está correndo um risco um pouco maior de adquirir doenças. A agressão à pele causa ferimentos, mesmo que minúsculos, facilitando a entrada de bactérias ou vírus.

      Aí eu pergunto: vale a pena se depilar onde não deve? Em nome de supostas facilidades “no sexo oral” etc? Muitos vão dizer: “Vale, vc está dizendo uma besteira”.
      Certo, se acha que é besteira, tudo bem. Não mando na vida dos outros, logicamente. Cada um faz o que gosta, mesmo sabendo dos riscos.
      A ciência não tem papel de convencer quem quer que seja sobre Y ou X. Se tivesse, e as pessoas seguissem o bom caminho, não haveria infestação de doenças como gonorréia, sífilis, HPV, HIV, cancros, mononucleose, entre outras.

      Não pense que estou chateado. 🙂
      Só quero dizer que as pessoas vêm adotando um padrão de vida de ponta-cabeça. Depilação total é que é bom. Tomar uma cervejinha não tem problema, refrigerante de vez em quando não faz mal, comida engorda(não, não é o excesso. É a comida sozinha que faz uma mágica e a pessoa engorda), maconha faz bem, beijar um estranho na boca não “dá nada”, inserir silicone nos peitos não causa NENHUM risco de doença, afinal, muita mulher já implantou; lipoaspiração, se feita por um médico competente, tem risco pequeno de complicações, e assim por diante.
      O que é ruim é bom. E o que é bom, é ruim.

    • Beattrice R. Neves:

      De qualquer maneira, os argumentos de Washington N não vão me convencer a parar de depilar. ‘-‘

  • Thiago Soares:

    “Janea, Jussara, Judicéia, Juracy, Jocely, Joyce e Jonice”

    JESUS !!!

  • LuizEdz:

    Não só a mulher, no homem também. A depilação nas partes íntimas, no meu ponto de vista é higiênico, é saudável, é sex. Os pelos pubianos foi uma forma que a natureza proporcionou ao sexo masculino/feminino a proteção quando o ser humano era o homem das cavernas (Australopithecus). Na idade atual, o homem moderno, não é preciso os pelos pubianos.

    • Dinho01:

      Até certo ponto.Como o próprio artigo lembra,mulheres que se depilam totalmente ficam mais expostas a algumas doenças principalmente infecções urinárias.

Deixe seu comentário!