Disco “5D” pode armazenar dados até depois que o sol não existir mais

Por , em 17.02.2016

Quem ainda sofre com HDs externos que não suportam arquivos suficientes ou com aquele pacote de iCloud que mal aguenta os seus vídeos e fotos do celular, aqui vem uma boa notícia: um disco de vidro que usa nanotecnologia poderá guardar 360TB de dados.

Cientistas do centro de pesquisa ótica da Universidade de Southampton (Reino Unido) anunciaram nesta semana que finalmente aperfeiçoaram uma técnica que pode gravar dados em cinco dimensões e armazenar tudo por bilhões de anos.

O método “entalha” os dados em um disco termicamente estável usando raios laser que duram um femtossegundo (um segundo dividido por um trilhão). O disco suporta temperaturas até 1000° C e em temperatura ambiente pode durar até 13.8 bilhões de anos.

disco de vidro

Cada arquivo é composto de três camadas de pontos na escala nanométrica (um metro dividido por um milhão). O lado, orientação e posição dentro das três dimensões clássicas padrão constituem o que foi chamado de cinco dimensões, ou 5D. Esses pontos mudam a polarização da luz que viaja pelo disco. Essa luz é lida usando um microscópio e um polarizador.

O grupo de cientistas demonstrou a nova tecnologia pela primeira vez em 2013, quando conseguiam armazenar 300kb no disco. Nos últimos três anos, eles aperfeiçoaram a técnica e gravaram em um disco todo o conteúdo da Declaração Universal dos Direitos Humanos, da Magna Carta, da Bíblia do Rei Jaime e da Ótica de Newton.

declaração dos direitos humanos

“É empolgante pensar que criamos a tecnologia para preservar documentos e informação para armazenar isso para gerações futuras”, afirmou o professor do centro de pesquisa, Peter Kazansky. “Essa tecnologia pode assegurar as últimas evidências da civilização: tudo o que aprendemos não será perdido”. [Engadget, Petapixel]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,75 de 5)

5 comentários

  • Sérgio Castilho de Oliveira:

    O desafio humanístico de ensinar as gerações imediatas a ler é maior que o tecnológico de escrever a gerações muito além da nossa humanidade

    • Cesar Grossmann:

      Por que insistir em tentar barrar o avanço da humanidade alegando que ainda tem problemas para resolver? Obviamente existem problemas de fome e analfabetismo, mas estes são problemas que se resolve com dinheiro e vontade política, não é cortando verbas da ciência que você vai conseguir resolver aqueles problemas.

  • Elvis Lorenzin:

    O título diz que o disco conserva dados por 13,8 milhões de anos, e o corpo do texto diz que seriam 13,8 bilhões.

    • Ysaelton Bez-Batti:

      Também vi esse erro de digitação, mas de qualquer forma, mesmo que seja o “milhões de anos” e não o “bilhões”, ainda sim é muuuuuuito tempo!

  • Mkbraga Mkbraga:

    Humm então são estes os cristais do Superman…

Deixe seu comentário!