Por que nossos músculos doem dias depois de nos exercitarmo

Por , em 10.01.2018

Você já se sentiu muito bem logo depois de uma sessão de exercícios, mas depois de dois dias acordou como se tivesse levado uma surra? Bem, a boa notícia é que você não está sozinho. Muitas pessoas passam pela mesma situação. O problema é chamado de Dor Muscular Tardia (DOMS, na sigla em inglês). Para tentar entender por que a DOMS acontece, o portal Gizmodo perguntou a alguns especialistas, entre fisiologistas, biólogos moleculares e cientistas de exercícios, as causas deste estranho fenômeno.

Não há uma resposta única, mas há um número crescente de pesquisas dedicado a descobri-las, e já existem algumas teorias convincentes a respeito.

Exercícios físicos: 4 razões para você começar agora

Alguns dos especialistas afirmaram que a dor tardia é algo natural, causada pela própria recuperação dos músculos. “A dor pós-treino normalmente atinge seu ápice 24 a 48 horas após o que consideramos o exercício prejudicial aos músculos. A DOMS ocorre porque, uma vez que o músculo é danificado durante o exercício, o processo de reparo leva tempo”, explica Elaine Choung-Hee Lee, professora de Biologia Molecular e Genética Aplicada na Universidade de Connecticut, nos EUA.

“Quando o tecido muscular está danificado, não só as células residuais do tecido ajudam no reparo e remoção de proteínas danificadas, mas também as células do sistema imunológico localizam-se no local do dano para facilitar o reparo e a recuperação dos tecidos. Um grau de inflamação local do tecido ocorre no local como resultado, enquanto células do tecido, células imunes, (células) de reparação e proteínas, e outros fatores que estimulam a reparação, todos migram para o local do dano”, aponta.

Craig Nolan, professor de Ciências do Exercício da Mesa Community College, também nos EUA, concorda com este ponto de vista. “A resposta curta é: ninguém sabe com certeza porque nós temos DOMS. Mas é semelhante a uma lesão. Digamos que eu torço meu tornozelo. Bem, nas próximas 24 a 48 a 72 horas, há um processo de reparo em curso. O tornozelo não fica melhor de repente. É preciso tempo para que essa dor diminua, e é a mesma coisa com essa dor muscular. Quando você se exercita, você está danificando seus músculos, e quando você o danifica, um tecido incha. Quando incha, empurra os nervos, o que causa dor. E esse processo de inchaço não para imediatamente. É preciso tempo para que isso diminua”, explica.

Outras visões

Uma dor prolongada e muito dolorosa, porém, pode ser um sinal de lesão ou dano mais grave, que pode requerer maior tempo de recuperação entre os exercícios físicos. Aspectos do exercício em si, como a intensidade do exercício, a duração, o tipo, e também o nosso nível de aptidão física podem afetar quão severa é a DOMS depois de um exercício. Outros especialistas defendem que a dor é causada quando exageramos tanto na quantidade quanto na intensidade. “A dor muscular de início retardado é causada por exercício extenuante, acima e além do que o indivíduo está acostumado a realizar”, respondeu Mathew Ely, do Departamento de Fisiologia Humana da Universidade de Oregon.

Ele tem estudado os exercícios físicos para descobrir o que causa este desconforto.”A causa da dor, ou seja, o aumento da ativação de nervos nociceptivos (dor), é atualmente desconhecida. Através do nosso trabalho descobrimos que a produção e liberação de histamina é aumentada durante o exercício aeróbico. Se bloquearmos as ações de histamina, diminuímos as percepções de dor e o desconforto após o exercício prejudicial aos músculos. O bloqueio das ações de histamina está associado a reduções em dois fatores neurotróficos conhecidos: o Fator de Crescimento do Nervo e o Fator Neurotrófico Derivado Glial. Esses dois fatores causam alterações nos neurônios nociceptivos causando a descarga mais frequente e com menos estímulo, causando mais dor”, explica.

Quando a dor ajuda o crescimento muscular (e quando não ajuda)

Ele alerta, porém, que a dor é um mecanismo do corpo para proteger o músculo. “Se houver dano muscular causado por exercícios extenuantes, a dor é provavelmente um mecanismo protetor que o impede de ampliar o músculo novamente e permitir que a cicatrização ocorra. Bloquear a dor pode atrasar a cicatrização ou resultar em aumento de dano se mais exercício for realizado”, aponta.

Crescimento dos nervos?

Um mistério sobre a DOMS é a demora com que ela aparece, o que faz com que ela não possa se encaixar na descrição de um machucado comum. “Qual outra ferida dói mais depois de dois dias? Geralmente, se você se machuca, se houver dano direto nos tecidos, você sabe disso praticamente de imediato, e certamente não leva 36 horas para atingir a intensidade máxima. Essa velha ideia de que você acabou de se danificar é quase certamente errada, ou apenas uma pequena parte da imagem total”, diz Paul Ingraham, editor do site PainScience.com.

Para ele, não é possível procurar uma sustância que seja unicamente responsável pela DOMS, como afirma Ely em relação à histamina. “Uma das razões pela qual as pesquisas (sobre a DOMS) falharam é que continuamos procurando por uma substância associada a ela, um biomarcador, e agora sabemos que isso provavelmente nunca acontecerá. Algumas pesquisas recentes revelaram que existem vários marcadores biológicos associados a DOMS, e que eles provavelmente só têm um efeito quando estão todos juntos, por isso é um ensopado químico. Não é que os músculos produzam uma substância, ou há uma molécula que está causando dor. São várias de uma só vez, e esse problema tem muito a ver com o motivo pelo qual não conseguimos entender isso”, aponta.

Ele cita uma outra teoria, desenvolvida por pesquisadores japoneses, que diz que a dor está relacionada a fatores neurotróficos – substâncias que saem das células musculares que estimulam o crescimento nervoso. “Este é um mecanismo adaptativo – seus nervos estão crescendo após o exercício porque receberam a mensagem de que ‘ei, precisamos de mais aqui, temos que melhorar esses músculos’. E quando os nervos crescem, é desconfortável, e isso certamente pode explicar por que demora um pouco a correr, ou porque ele aumenta com o tempo”, relata.

Outra teoria citada por Ingraham é que a DOMS funcionaria mais ou menos como uma resposta imunológica do organismo: nós expomos nossos músculos a algo, o sistema imunológico reage e a próxima vez que nos exercitamos o sistema imunológico está mais pronto para aquilo e, então, não dói tanto. Isso explicaria por que sentimos muita dor depois de fazer um exercício novo, mas na semana seguinte, quando o repetimos, a dor não é tão grande.

Dor muscular? Nós temos o remédio

Ele acredita que o problema seja tão difícil de estudar por dois motivos: primeiro, apesar dos avanços na medicina nos últimos anos, a maioria dos estudos teria sido a respeito de doenças mais graves. Questões menores, como dores musculares, teriam começado a ser estudadas apenas há poucas décadas, o que faria este tipo de pesquisa não ter muito orçamento para serem exploradas. E em segundo lugar, este pode realmente ser um mistério bastante complicado. “Nenhuma das coisas óbvias parece ser a resposta, e isto acabou por ser este pequeno enigma biológico super difícil. É uma experiência muito familiar, todos sabemos disso, todos sabemos como é, mas é simplesmente difícil de explicar biologicamente”, acredita.

Seja qual for a razão, a DOMS é algo que acontece com todo mundo que se exercita, mas é bom prestar atenção para isso não se tornar um problema. “Se exercitar é um estresse para o seu corpo. É um bom estresse, se você está fazendo certo e seu corpo se adapta aos estressores. Se você fizer a mesma coisa uma e outra vez, e não aumentar o peso ou algo assim, seu corpo se acostuma e não precisa ficar dolorido. A DOMS é uma coisa boa até certo ponto, mas muitas pessoas baseiam seu treino no fato de estarem doloridas o tempo todo. Bem, se você está dolorido o tempo todo, então isso não é bom, porque seu corpo precisa se adaptar ao exercício. Se você está dolorido o tempo todo, provavelmente está exagerando”, alerta Nolan. [Gizmodo]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (17 votos, média: 4,71 de 5)

1 comentário

  • terezagomez:

    A dor é sinal de que o exercício está fazendo o efeito necessário. Agora se essa dor for num nível extremo o exercício deve ter sido realizado de forma errada.
    Vamos nos cuidar também para realizar o exercício.

Deixe seu comentário!