Exercícios físicos deixam as crianças mais inteligentes?

Por , em 15.09.2010

Estudos anteriores mostraram que filhotes de rato, quando faziam exercícios físicos com regularidade, apresentavam um maior crescimento de certas áreas do cérebro, os tornando, basicamente, mais ativos do que os cérebros de filhotes sedentários. Cientistas testaram crianças, para descobrir se esse mesmo efeito pode ser observado em humanos.

Eles “recrutaram” crianças com idades entre 9 e 10 anos e pediram para que elas corressem – comparando seus tempos, eles as classificaram em “atleta”, “em forma” e “sedentária”. Apenas as crianças nas categorias “atleta” e “sedentária” foram usadas no estudo. Os dois grupos completaram uma série de exercícios cognitivos e tiveram seus cérebros examinados através de ressonância magnética, para que os cientistas pudessem medir o volume das áreas do órgão.

Como esperado, as crianças “atletas” se saíram melhor nos testes cognitivos, mas os cientistas conseguiram descobrir porque isso acontece. Uma área do cérebro, chamada gânglio basal, era maior nas crianças que faziam mais exercícios – essa parte do órgão é responsável pela atenção e pela habilidade de controlar as atitudes de uma pessoa.

As crianças tinham peso similar, base socioeconômica similar, o que permite dizer que o único fator que poderia interferir nessa variação do tamanho da gânglia basal era devida ao exercício mais freqüente que as “atletas” faziam.

Outro estudo similar feito na Universidade de Illinois mostrou que as crianças que fazem mais exercícios tinham um hipocampo maior.

Em conjunto, o hipocampo e o gânglio basal são responsáveis pelos nossos pensamentos mais complexos. Então é possível afirmar que, se você quer que seu filho melhore as notas na escola, seria bom fazer com que ele praticasse algum tipo de esporte. Como o índice de obesidade infantil está subindo, é importante mostrar aos pais que manter seu filho em forma não é apenas uma questão estética – é importante para a saúde física e mental da criança. [NY Times]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • Miguel:

    Não acredito nesse estudo, pois tal como foi dito em comentários anteriores, os miudos que são melhores em educação fisica geralmente não são grande coisa nas outras disciplinas. Normalmente os que não são tão bons no desporto são melhores nas outras disciplinas. Digo isto por experiencia própria, tenho 15 anos e assisto sempre a isso na minha turma…

    • Toinho:

      Espera, eu sou um dos miúdos da turma, não gosto de praticar esporte algum que não seja natação (que não está disponível onde estudo) e me dou bem em todas as disciplinas, inclusive educação física…

  • Edilson Lima:

    Para ter resultados 100%, tem que ser aplicado o TQP – Técnica Quântica PIVIMAM. Que já ocorre no Brasil, com grande sucesso completo.
    edilsonselfmanagement.blogspot.com

  • thayna:

    nao acredito nisso pq conheço gente que faz futebol e tudo e é burro que nem uma porta e eu que sou sedentaria só tiro notas boas isso vai de quanto as crianças e jovens se aplicam.

  • Eliakim Ferreira Oliveira:

    Talvez seja por esse motivo que os gregos antigos sempre foram grandes descobridores e formuladores de leis filosóficas e científicas: além de estudarem constantemente, praticavam esportes para jogarem nas olimpíadas.

    • Toinho:

      Os gregos estudiosos não praticavam como os gregos esportivos…

  • Rodrigo:

    O que é um modelo de inteligência pra você Sam?
    ah, “acaba milionário mais é certeza”, o correto é “MAS é certeza” ok.
    Talvez estas crianças não sejam nenhum “modelo de inteligência”, no entanto, acredito que sejam melhores do que se não estivessem nas escolinhas, concorda?

  • Fabão:

    Novidade! Sócrates já dizia isso há muito tempo (“mens sana in corpore sano”).

  • Sam:

    Isso estranhamente não da certo nas crianças que praticam esportes nas escolinhas de futebol, uma pequena porcentagem deles acaba milionário mais é certeza que 100% não são nenhum modelo de inteligência hashahshahhs

Deixe seu comentário!