O futuro está aqui: enxame de drones bombardeou duas bases russas na Síria

Por , em 15.01.2018

O tempo em que ataques de veículos aéreos não tripulados era coisa de ficção científica já passou. O Ministério da Defesa russo confirmou que suas bases na Síria foram bombardeadas por drones caseiros de inimigos não identificados.

Esta foi a primeira vez em que drones guiados por GPS foram utilizados para um ataque militar, mas certamente não será a última.

O ataque

O ataque ocorreu no dia 5 de janeiro, e foi confirmado pela Rússia no dia 8 de janeiro.

13 pequenos drones visaram dois locais de defesa russos diferentes: a Base Aérea de Khmeimim e uma base naval no porto de Tartus.

Seis dos drones foram interceptados por unidades de guerra eletrônica russas, com três sendo capturados e três explodindo em contato com o solo. Outros sete foram “eliminados” por mísseis antiaéreos Pantsir-S disparados pela defesa russa.

Não houve casualidades ou danos.

Foto divulgada pelo Ministério de Defesa russo

Perigo

Ao examinar os drones capturados, os militares russos descobriram que eles foram grosseiramente montados e que carregavam bombas feitas localmente sob suas asas.

Foto divulgada pelo Ministério de Defesa russo

Enquanto as fotografias dos veículos aéreos passam a impressão de que eles não eram potentes, a análise dos russos revelou que foram lançados a partir de um local a mais de 50 quilômetros de distância de seus alvos, navegando via GPS e sensores de controle de altitude.

Um exame técnico indicou que os drones teriam uma faixa de ataque efetiva de cerca de 100 quilômetros, o que é bastante aterrorizante.

Isso significa que locais que podem parecer imunes a bombardeios estão, nessa nova era tecnológica, na verdade expostos.

Consequências

Embora o uso desse tipo de veículo para a guerra não seja algo novo, um ataque como este sofrido pelas bases russas na Síria é inédito.

Ainda não se sabe quem está por trás dos explosivos, uma vez que nenhum grupo assumiu responsabilidade pelo ataque.

Foto divulgada pelo Ministério de Defesa russo

No entanto, de acordo com o portal Science Alert, os russos insinuaram que a tecnologia utilizada era muito avançada para militantes locais, o que pode ser interpretado como uma sugestão de que eles tiveram ajuda das forças americanas nas proximidades, algo que o Pentágono diz que é “absolutamente falso”.

Há muito sobre esse incidente que não está claro ainda, mas uma coisa da qual podemos ter certeza é que este “avanço” pode abrir todo um novo capítulo no livro dos combates militares, com um final potencialmente sombrio. [Futurism, ScienceAlert, InterestingEngineering]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (25 votos, média: 4,56 de 5)

3 comentários

  • Eder:

    Episódio de Black Mirror?

  • Abelanarco Carpen Die:

    Os russos precisam de uma guerra para saírem da estagnação econômica, então ficam acusando os nada bonzinhos/inocentes americanos.

  • Roberto Monteiro:

    Eua? Imagina se os mocinhos seriam capazes de algo deste tipo.
    Basta olhar a criação do isis e outros tais.
    Tudo anjo! Tudo anjo!

Deixe seu comentário!