Formigas zumbis são infectadas e controladas por fungos

Por , em 10.05.2011

Um fungo parasita é capaz de manipular uma formiga, enchendo sua cabeça com células fúngicas e comandando seus músculos de modo que a formiga morra apenas quando e onde o fungo quiser.

Não, isso não é o roteiro de um filme de ficção científica. Segundo uma nova pesquisa realizada em uma floresta tropical tailandesa, os fungos de uma espécie chamada Ophiocordyceps podem realmente infectar uma formiga, de forma que ela vaga que nem um bêbado pelo chão da floresta, comandada por ele, antes de morrer no local que ele deseja.

As formigas, de uma espécie chamada Camponotus leonardi, vivem nas copas das árvores, mas vão ao chão ocasionalmente, quando podem contrair o fungo. Formigas saudáveis andam em trilhas totalmente diferentes das infectadas, que ziguezagueiam sobre a vegetação baixa, às vezes caindo e convulsionando antes de dar sua mordida final.

Nesse estudo mais recente, os pesquisadores examinaram formigas saudáveis e infectadas para comparar seus movimentos e revelar os efeitos fisiológicos do fungo. Em um estudo anterior, publicado em 2009, eles descobriram que o fungo manipula as formigas infectadas para levá-lo ao lugar ideal para se reproduzir.

Os cientistas observaram um total de 42 formigas infectadas, sendo que algumas das quais foram dissecadas. A cabeça das formigas estava preenchida com células fúngicas, e os músculos que operavam sua mandíbula, ou maxilar, estavam atrofiados.

No contexto de morder, eles permitem que as mandíbulas trabalhem em um sentido e direção únicos. Normalmente, elas abrem e fecham, mas, neste caso, só podiam fechar.

O fungo também parece sugar todo o cálcio das formigas, provocando uma condição semelhante ao rigor mortis (sinal reconhecível de morte causado por uma mudança química nos músculos, que endurece os membros, fazendo com que eles não possam se mexer ou serem manipulados).

Olhando para 16 formigas infectadas, os pesquisadores descobriram que suas últimas mordidas ocorreram perto do meio-dia, indicando que elas são sincronizadas pelo sol ou outra sugestão relacionada, como temperatura ou umidade.

Apesar das formigas morderem a folha ao meio-dia, elas não morrem de fato até anoitecer. Provavelmente essa estratégia garante que o fungo tenha uma longa noite pela frente, durante a qual ele pode, literalmente, explodir a cabeça da formiga para se libertar e começar a crescer.

O caminho estranho que leva à morte da formiga é completamente fora de sintonia com o seu comportamento normal, e parece ser uma forma do fungo obter um local perfeito para crescer e espalhar seus esporos.

Não é a primeira vez que um fungo é observado manipulando o comportamento de artrópodes, como grilos, abelhas, vespas e talvez até aranhas. Além disso, mais amplamente, muitos parasitas, sejam eles vegetais, animais ou vírus, podem alterar o comportamento de seus hospedeiros.

Os pesquisadores acreditam que existam fenômenos semelhantes em uma ampla gama de organismos. Para os fungos, é um truque evolutivo muito eficiente usar os músculos de um animal para transportá-lo para outro ambiente, já que muitos fungos dependem do vento ou de outros meios passivos para dispersar seus esporos.
[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • Mateus:

    Tambem existe uma especie de celula eletromotora capaz de emitir pulsos eletricos que podem controlar musculos tanto estriados quanto lisos e tambem capazes de controlar o raciocinio e ainda são parasitas

  • eduardo:

    Inclusive o T-Vírus foi criado a partir desses fungos…. Resident Evil é baseado em fatos reais….

  • Ricardo:

    Há indícios de que isso pode acontecer com humanos também. Alguns estudos indicam que a toxoplasmose causada por um parasita que infecta gatos e humanos pode causar mais agressividade nos homens e submissividade nas mulheres.
    Referência:
    http://dam-age.com/?p=273

  • Heron:

    Muito interessante! Vou pesquisar mais sobre esse tema.

Deixe seu comentário!