7 fotos belíssimas das árvores mais velhas do mundo

Por , em 1.07.2013

Em uma área protegida no alto das Montanhas Brancas no leste da Califórnia, 25 quilômetros a leste de Bishop, você pode encontrar as mais antigas árvores vivas do mundo.

Com uma beleza encantadora e retorcida, os pinheiros Pinus longaeva, conhecidos em inglês como “bristlecones” (palavra que pode ser traduzida como “cones de cerdas”), têm entre 1.000 a cerca de 4.800 anos de idade.

Às vezes é difícil até mesmo imaginar a quantidade de história que essas plantas viram passar. “Essas árvores eram jovens quando machados de pedra eram usados pela primeira vez na Europa, quando a Grande Pirâmide de Khufu (Quéops) estava sendo construída, e tabletes cuneiformes de argila estavam sendo usados no norte da Síria”, diz o website da cidade de Bishop.

Para ver essas maravilhas naturais inspiradoras, é preciso ir até a “Ancient Bristlecone Pine Forest” (floresta antiga dos pinheiros bristlecones) e subir cerca de 3.080 metros até Shulman Grove (pico Shulman) ou mais 20 quilômetros até o pico Patriarch (Patriarch Grove) a 3.415 metros.

Naturalmente, você será recompensado depois de tanta caminhada. Em Patriarch Grove, você encontrará o maior pinheiro bristlecone do mundo, a Árvore Patriarca. Uma visão tão surreal que diversos fotógrafos viajam até este bosque para registrar a paisagem espetacular.
É nesta floresta que fica também uma das mais antigas árvores da Terra, apelidada de “Matusalém” (em homenagem a Matusalém, a pessoa que viveu por mais tempo na Bíblia), com quase 5.000 anos de idade. No entanto, boa sorte em encontrá-la, já que sua localização exata não é revelada pelo Serviço Florestal dos EUA, para protegê-la de vandalismo.

Apesar dos bristlecones ainda serem considerados as árvores mais antigas do mundo, em abril deste ano pesquisadores encontraram um outro pinheiro, que recebeu o nome de Velho Tjikko, na montanha Fulufjället, em Dalarna, na Suécia, que parece ter 9.550 anos. No entanto, esse ser vivo é como uma cópia genética da primeira árvore que esteve ali – um “clone”. Sob a coroa do pinheiro, foram encontradas na verdade quatro “gerações” da árvore, com 375, 5.660, 9.000 e 9.550 anos. Como os abetos podem se multiplicar através de raízes penetrantes, eles podem produzir cópias exatas de si mesmo – a árvore que está crescendo naquele local parece “nova”, mas os pedaços de madeira com 9.550 anos têm o mesmo material genético.

A floresta de bristlecones pode ser visitada de meados de maio até o final de novembro. Para os fotógrafos, bem como amantes da natureza, este é um destino imperdível. Confira algumas imagens deslumbrantes dessas árvores incrivelmente antigas:[MyModernMet]

2 3 4 5 6 Reach for the Stars 8

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 3,20 de 5)

4 comentários

Deixe seu comentário!