Futuro: carne produzida em laboratório

Uma equipe de cientistas sediada em Eindhoven (Holanda) já está em estágio avançado na criação de um produto que pode redefinir conceitos da alimentação humana. A partir de células de ratos ou de porcos, os pesquisadores estão desenvolvendo uma carne “in vitro”, que pretende imitar no maior número possível de aspectos a carne original.

Para produzir toneladas dessa carne, conforme explicam os cientistas, não seria preciso matar um único animal. O procedimento começa quando os pesquisadores coletam células tronco de porcos, disponíveis entre os refugos da carne nos matadouros. Ou usam células de ratos de laboratório.

Em ambos os casos, as células são submersas em uma solução de aminoácidos, sais minerais e carboidratos, e o composto resultante é uma espécie de “leite”. Essa solução, então, é colocada em pacotes de revestimento biodegradável, para que as células possam se desenvolver. Conforme o tempo passa, as células tronco formam um tecido muscular, que então sofre maturação e pode ser processado para imitar o papel da carne moída ou carne de porco.

Esta carne, até o momento, foi produzida apenas em um pedacinho de oito milímetros de comprimento e dois de espessura, o que equivale a uma lente de contato. Para visualizar um futuro no qual essa carne in vitro seja realmente consumida, os pesquisadores respondem principalmente a uma pergunta: o gosto da carne.

Os pesquisadores ainda não chegaram nesse ponto. No estado atual, a carne parece um pequeno excremento de rato, sem cheiro nem sabor. Mas eles garantem que as características de sabor e textura podem ser manipuladas em laboratório.

Para parecer carne de verdade, como um bife, seria preciso desenvolver mais do que um músculo artificial através de células tronco; é necessário pensar na estrutura corporal de um animal e imitar a maior parte dos seus processos. Ainda há um longo caminho a percorrer para que esse protótipo possa se tornar alimento em larga escala.

Os cientistas, apesar disso, se mostram confiantes, e garantem que é apenas questão de tempo. As vantagens dessa carne sintética, conforme eles enaltecem, vão além de evitar a matança de animais. Essa carne seria muito mais barata e eficiente do que o caminho que se traça entre o matadouro e as nossas panelas. [Gizmodo]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

35 respostas para “Futuro: carne produzida em laboratório”

  1. Eu não quero e não vou comer carne de Rato. A de porco eu nunca comi também. Acho nojento! E as implicações ruins disso, de produzir, para comer, Carne em laboratório? Uma Espécie não pode comer carne da mesma espécie, ainda mais sendo herbívoros, está aí a doença da Vaca Louca que não me deixa mentir, pois que as rações tinham em seu conteúdo, farinha de ossos de bovinos e foram usadas para alimentar bovinos…

  2. Apoio. Não sou vegetariana, porém não como carnes, o sofrimento alheios aos nossos animais, não permitem que eu seja uma carnívora, aprecio mto vegetais e legumes e por uma alimentação a base de soja, me faz melhor. É complexo discutir a forma do consumismo animal. Parabéns aos cientistas.

  3. O ser humano é muito oportunista e sem vergonha mesmo!!! É só olhar nossa dentição que logo se percebe que não somos animais carnívoros, inclusive já lí alguns trabalhos sobre esse tema. A matança é pelo puro prazer da degustação, e não venham falar que os nutrientes da carne fazem falta não, porque eu muitos da minha família somos vegetarianos e estamos todos saudáveis, fato inclusive atestado nos exames médicos periódicos anuais que a maioria faz. Bem falou o D.R. em seu comentário, pois se deixamos de ser canibais, o próximo passo em nossa evolução como seres conscientes seria deixar de comer carne.

    • Corrigindo, não é “ornívoros”, é onívoros, e nós podemos falar que somos qualquer coisa, até “metalívoros”, não tém pessoas que engolem metais? Ou ainda “vidrívoros”, que comem vidro? A faculdade de pensar e raciocinar nos dá a opção de afirmar que somos o que quisermos, o limite é nossa imaginação, mas caindo na real, é só analisar nossa dentição e a de outros carnívoros, acho que qualquer um deve perceber que é bem diferente né? Fora outros detalhes anatômicos, como falta de garras, suco gástrico mais forte (por que vc acha que fica com o esômago pesado e má-digestão quando se empanturra de churrasco?), etc. Não custa nada ser sincero e afirmar: como carne por que aprecio o sabor, mesmo sabendo que não é minha alimentação natural, e que isso custou o sofrimento e a morte inútil de um ser vivo que sente dor e aflição, assim como eu.

    • Só que analisando todo o TGI se conclui que somos onivoros, de fato, nao herbivoros, pelo comprimento e conformação do nosso intestino delgado e grosso que mais se assemelha ao de outros onivoros do que dos herbivoros nao ruminantes, entao é nossa alimentação natural se assim quisermos, assim como chimpanzés comem carne quando querem, também

    • aff ,vc falou merda agora!”A matança é pelo puro prazer da degustação” errado! matamos os animais para sobreviver.Vc “meio” que disse que a carne não faz diferença no organismo!?!?!?!?!Então automaticamente vc quer dizer que a carne não faz e não fez diferença para o ser humano,parabéns vc é um idiota!

  4. Apesar de haver me dado um pouco de gastura, sobre este tipo de carne, as implicações que este novo meio de alimento terá para a humanidade, vão muiiitíssimo alem da alimentação. Tanto para o mal quanto, acredito, principalmente para o bem! Não apenas se poderá evitar a matança, quanto toda a cadeia de producao de carne deixará seu formato de fazendas (com problemas de desmatamento e excesso de gazes animais que contribuem para o aquecimento global) quanto para a preservação da natureza, e diversos outros benefícios como controle de qualidade. O único porém mesmo, será o fato de que vai bagunçar a economia pecuarista de grandes e pequenos produtores.

  5. Graças a Deus, não vou mais precisar virar vegetariano! Sempre que como um pedaço de carne, não consigo deixar de sentir um pouco de culpa e de pensar na maldade humana que tira a vida de um animal só para satisfazer seus prazeres.

    Sempre pensei que, da mesma forma que os homens um dia deixaram de ser canibais, o homem só se tornará mais humano quando um dia deixar de matar animais; pelo jeito, não terá que se esforçar muito, graça à tecnologia.

    Por outro lado, a coisa está ficando cada vez mais difícil para aqueles que não detém a tecnologia; coitado dos pecuaristas, não terão como concorrer com uma indústria desse tipo. Logo logo, vão começar também a produzir vegetais artificialmente; e, aí, será a vez dos agricultores.

    Vejam esse interessante artigo da WIKIPEDIA em português: HISTÓRIA DO VEGETARIANISMO. Vale a pena ler!

    Segundo o artigo, parece que até Pitágoras e Leonardo da Vinci eram vegetarianos e que isso era comum na Idade Média. E São Franscico, que muita gente pensa que era vegetariano por seu amor aos animais e às outras criaturas (irmão Sol e irmã Lua…), não o era e nem a ordem que ele fundou.

  6. NO caso da carne no brasil ,pode pesquisar em todas bolsas é de 94 reais a 103 reais a arroba bovinos,e suinos é 52,00reais arroba, bom este produto vai ao frigorifico só para repassar ao consumidor com um preço elevado, o produtor e o consumidor é q paga o mico, quem ganha 1 salario comer carne é algo um sonho !!!!!!!!!!!!

  7. Sempre imaginei esse como sendo o futuro da carne, comida em geral… jah existe mais cabeças de gado no brasil do que pessoas, está se tornando inviavel a produção de comida do modo tradicional para alimentar o numero de pessoas no planeta. Imaginem Natal de 2050, prato prinicipal: Carne Bovina de verdade… hehehheh

    • Rui, essa é uma das ideias destes cientistas qndo eu li o artigo em outro lugar. Acabar com a fome mundial é um dos pensamentos deles. Pena que nem sempre é o pensamento de empresas, que irao fabricar e distribuir este tipo de alimento. Vamos ver

    • Não acredito que a solução para acabar com a fome mundial seja “distribuir” comida.
      Quem produz nunca tem fome!

    • porque teriamos o triplo de pessoas passando fome daqui a mais alguns anos, o que melhoraria as condições da África a longo prazo é conhecimento, não comida, comida só serve no momento, sem conhecimento e educação o máximo que eles fariam é se reproduzir mais ainda, e com isso potencializar o problema.

    • É! e pode acada com as matanças e a fome.
      mais o gosto sabo rato ñ sei se vai ser
      muito popular.-_-,

    • Que isso dexa outros fora dessa coitado no Glauco ele não tem culpa se outros(ou apenas vc)acham comentarios dele malucos.Muitas vezes as pessoas tem somente criatividade.

    • E ainda tem quem positiva estes m a l u c o s …
      Outro dia o doidinho escreveu que tem marcianos em Marte e ganhou 25 positivos…

    • Pior é quem positiva estes malucos… Outro dia o Glauco escreveu que tem marcianos em Marte e ganhou 25 positivos…

    • E ainda tem quem dá trela pros lunáticos… O zé maconha escreveu que existe marcianos, e tem quem acredita…

  8. E aproveitam para imbutir na carne proteinas para alterar as células do cérebro permitindo que os Illuminatti controlem a mente das pessoas que comerem dessa carne.

    • Sim, isso é verdade.

      Para a frente publicaremos uma lista sobre das coisas que os Illuminati podem fazer

    • Na boa amigo, mais isso ja é paranoia. Viva sua viada, cresça, reproduza, envelheça e morra apos uma vida feliz sem pensar nisso, que garanto que uma mente livre de paranoias conspiratórias é mais sadia.

    • Eu acho que o franco é um iluminati, calma, calma só to sendo sarcástico, igual o anti-iluminati e todo mundo que fala nessa doideira, prefiro ser anti-macedo,que ta comprando brasil como dinheiro dos miseráveis que enchem o envelope.

Deixe uma resposta