Galinha de borracha sobrevive a viagem por tempestade solar

Por , em 8.05.2012

Vocês provavelmente lembram da última super tempestade solar, que aconteceu em março e foi considerada a maior desde dezembro de 2006. E vocês também devem ter aprendido na escola sobre os vários objetos e seres – vivos ou não vivos – enviados para o espaço (quem aqui lembra da primeira criatura viva a ir para o espaço, o cachorro Laika?). Mas e uma galinha de borracha, como iria se comportar em órbita?

Camilla, a galinha, subiu até quase 37 mil metros para analisar a radiação da tal tempestade de março. Além de um traje espacial exclusivo, similar ao usado por cientistas em usinas nucleares para suportar a carga energética, ela carregava equipamentos para fazer medições.

Nós aqui sonhando em ir para o espaço, nem que seja por apenas cinco minutos, e a galinha fez não apenas um, mas dois voos. O primeiro foi no dia três, com duração de uma hora e meia, e o segundo no dia dez, durando duas horas e meia. Isso tudo para que os cientistas pudessem comparar a radiação em um dia “comum” e em um dia de “tempestade”.

Além do brinquedo, foram enviados também alguns companheiros de viagem para Camilla: sete insetos e 24 sementes de girassol. De acordo com satélites, a tempestade no dia dez de março chegou emitir prótons em quantidade 30 mil vezes maior do que normal.

Infelizmente, os insetos acabaram morrendo. Já as sementes foram plantadas, para que os cientistas possam descobrir se alguma modificação aconteceu. O experimento foi realizado por um grupo de estudantes da Califórnia,, com o apoio da NASA. A ideia é lançar, até o fim do ano, micróbios para o espaço, para analisarmos o que acontece. Algum palpite? [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

17 comentários

  • Deep:

    Gripe espacial seria horrível!

  • Renato Almeida:

    Tem muita coisa pra resolver aqui na terra e os caras ficam gastando milhoes de dolares pra fica levando brinquedos para o espaço , microbios etc… sabendo se q nada disso pode sobreviver la fora afff esse mundo esta perdido mesmo .

  • Junior:

    se ela virasse um frango assado iria para uma comida de cenário?

  • Tatiane:

    Isso mesmo Lisandro.
    Cada um aqui comenta o que pensa sobre o assunto, a resposta pode ser ruim para uns e boa para outros.

  • Caio Alencar:

    Gostaria de ter uma galinha destas de estimação. Ela seria muito famosa!

  • Vega:

    Porque não enviam humanos no lugar? sabe aqueles que ja estão com pena de morte…

    • Jonatas:

      Não da amigo. Já tem muito lixo espacial em órbita…

    • Cesar Grossmann:

      E reclamam da crueldade dos criminosos… Se o cidadão comum consegue ser tão cruel, o que sobra para quem é criminoso?

    • Edmar Batista Do Nascimento:

      Porque se começarmos a cortar a cabeça dos que julgamos muito errados, no final vão cortar a nossa. Lembra da revolução francesa. Quem vai pagar a conta? Rêrêrê!

  • marcosvsousa:

    Quando me referi ao fato de enviar micróbrios ao espaço e trazê-los a Terra, foi um jeito diferente de dizer que, com a radiação espacial, possa alterá-los substancialmente, não se sabe as consequências, se é que há. E meu caro Jonatas, fique tranquilo porque penso muito bem antes de exprimir minha opinião, mesmo assim obrigado pelo conselho.

    • Jonatas:

      É que me pareceu daqueles que tem mania de dizer que pesquisa espacial e tecnologia não tem utilidade alguma, sendo usuários diários como qualquer um de nós. Mas quanto aos microorganismos, o máximo de mutação que sofreriam no espaço seria no sentido de adaptação. Para um extremófilo, por exemplo, pouca ou nenhuma diferença existe entre a Terra e Marte, ou entre um planeta com pressão atmosférica e o vácuo sideral.

    • Marcos Eilert:

      Jonatas….

      “Mas quanto aos microorganismos, o máximo de mutação que sofreriam no espaço seria no sentido de adaptação.”

      Não necessariamente, a mutação via seleção natural não é a única possível… O problema é que poderia existir mutação causada pela própria radiação solar ou mesmo pela radiação cósmica agindo diretamente no DNA dos microorganismos…

      Eu acho que não seria muito mais provável de acontecer uma mutação no espaço do que em Chernobyl por exemplo… mas ainda assim seria possível…

      Mas o mais provável é que os microosganismos simplesmente morressem mesmo =P

  • Wesley Leandro:

    “galinha de borracha sobrevive a tempestade solar”

    como sobrevive se não é um ser vivo?

    • Cesar Grossmann:

      Por que “vida” é uma palavra que envolve vários conceitos. Por exemplo, uma lâmpada também não é um ser vivo, mas tem vida útil. Da mesma forma, quando algum objeto é submetido a um stress e permanece intacto, dizemos que ele sobreviveu ao teste, embora continue tão morto quanto antes.

      Esta é uma coisa chamada linguagem conotativa, onde as palavras não devem ser entendidas ao pé da letra, mas como uma metáfora.

      Faz parte do cérebro humano fazer este tipo de abstração.

  • Jonatas:

    Não se deve subestimar as galinhas de borracha…
    Mas falando sério, os micróbios eu acho que podem resistir sim e voltarem vivos.

    • marcosvsousa:

      Se os micróbios forem mandados para o espaço, preparem-se para a invasão de mutantes, tais como Pokémons e Digimons. Os micróbios irão evoluir e dominar todos os terráquios. Apocalipse Now! Que experiência mais sem fundamento, mandar um material sintético para o espaço, e na forma de galinha… PRA QUÊ? Enquanto isso pessoas morrem de câncer e em consequência da AIDS. Vamos trabalhar mais cientistas.

    • Jonatas:

      Os micróbios JÁ dominam a Terra, estão por toda a parte e fazem parte até do funcionamento do nosso organismo. No teu corpo existem mais micróbios do que células, poucos animais superam humanos em número de parasitas, como no caso do porco.
      E quanto à ciência, a galinha é só uma iniciativa bem humorada pra testar aparelhos. O fato é que inúmeros recursos do teu dia a dia, até a pasta de de dente que usou hoje de manhã, curas e tratamentos, foram possíveis graças aos estudos feitos durante a navegação espacial, gravitação zero e vácuo em pesquisas químicas foram um grande avanço. Portanto, pense melhor antes de postar textos como esse.

Deixe seu comentário!