Grandes mestres do xadrez usam o dobro da capacidade cerebral

Por , em 20.01.2011

Segundo pesquisas recentes, os grandes mestres enxadristas conseguem usar o dobro da capacidade do cérebro, comparados a uma pessoa normal – pelo menos para resolver problemas relacionados ao jogo.

De acordo com cientistas, eles usam as duas partes do cérebro na hora de jogar xadrez, ao contrário de jogadores amadores, que usam apenas um lado do órgão.

Merim Bilalic da Universidade de Tübingen, na Alemanha, usou aparelhos de ressonância magnética para analisar os cérebros de oito enxadristas profissionais e de oito jogadores amadores enquanto eles se concentravam em uma partida de xadrez. Os experts, que eram mais rápidos em resolver os problemas do xadrez, usavam os dois lados do cérebro, enquanto os amadores usavam apenas o lado esquerdo.

Bilalic diz que esperava descobrir que os jogadores profissionais apenas usassem uma versão mais rápida dos mesmos mecanismos cerebrais que as outras pessoas usavam. Mas as imagens dos cérebros revelaram que eles usavam a outra metade do cérebro para analisar outras coisas enquanto se concentravam em um problema principal.

Mas isso não ocorria quando os experts resolviam outro tipo de problema, sugerindo que essa capacidade “a mais” dos enxadristas é limitada apenas a habilidades treinadas. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 3,00 de 5)

12 comentários

  • lol:

    ontem um dia atras

  • Danilo:

    Isso de usarmos 100% do cérebro, na minha opinião é furado. Existem tantas coisas hoje em dia que a ciência não explica… Como existem pessoas que estão a anos sem comer? Como tem pessoas que conseguem ficar horas sem respirar?
    Como existem pessoas que conseguem calcular operação de multiplicaçõa com números de mais de 20 algarismos em poucos segundos e de cabeça?
    Como existem pessoas que decoram livros inteiros e que conseguem decorar qualquer coisa apenas lendo?
    A ciência parte do princípio que o cérebro é igual a um processador o que não é.
    Existe mais coisas pelo meio que não sabemos…

    • Daniel Dourado:

      Pessoas não ficam anos sem comer. Pessoas não ficam horas sem respirar. Me desculpe, mas você foi enganado. Não acredite em todo blog que você lê na internet, ou de truques de charlatões mundo à fora.

  • Cesar:

    Realmente, usamos 100% do cérebro, mas não o tempo todo, e não todas as áreas ao mesmo tempo. Coordenar as diferentes partes para jogar xadrez de forma mais eficiente é o resultado de mais de 8 horas de treino de xadrez diário durante a vida toda, começando desde pequenos.

  • Danilo:

    Gray, isso de fluir naturalmente, é descrito em “Inteligência Emocional – Daniel Goleman, PhD”, como, “entrar em fluxo”. A atividade passa a ser natural. Isso se consegue aperfeiçoando muito a atividade que se está exercendo.

  • Mark:

    Em suma,

    “Jogar xadrez aumenta a capacidade da pessoa de jogar xadrez”

    Millor

  • pri:

    Ludmila está corretíssima!

  • Gray:

    Provavelmente vale também para outras áreas

    Quando estou fazendo modelagem de software, após muita concentração parece que a coisa flui mais naturalmente.

  • Ludmila:

    Leco, acho que a reportagem se refere à capacidade, no sentido de quantidade de áreas estimuladas durante a atividade do jogo e não à capacidade total do cérebro.

  • Douglas Miranda:

    Como já foi dito, o treinamento é tudo. Logicamente alguns têm facilidades que outros não possuem. Ninguém pega um carro e sai como se estivesse no filme “Velozes e Furiosos”. É gradativo, você vai melhorando com o tempo. Tudo bem, certas mulheres nos supreendem piorando com o tempo. Mas é outra história… o fato é que, independente se alguém vai ser melhor que você, somos capazes de melhorar e crescer em qualquer assunto. Nosso corpo foi criado para se adaptar as situações.

  • Leco:

    É, e o engraçado é que tem pesquisas que dizem que usamos 100% da capacidade cerebral, pelo visto nesse caso eles usam 200%.

  • Dihoni:

    Acredito que não haja muito de novo, afinal, não são super-gênios e sim profissionais que se usam do cérebro para resolver problemas de xadrez, muitas horas por dia, logo estão treinando o cérebro, assim como fazemos quando jogamos bola, o quanto mais jogamos, mais aprendemos a utilizar todo o corpo em uma sintonia perfeita..

    Sugiro que os mesmos amadores de agora, sejam treinados diariamente durante um logo período de tempo, e após sujeitos ao teste novamente.. Verão que há avanço na forma em que estes, utilizam-se do cérebro. E a forma que o cérebro reage aos mesmos problemas de antes..

Deixe seu comentário!