Cientistas finalmente conseguem suprimir o hormônio da fome

Por , em 16.09.2008

Cientistas tiveram sucesso ao suprimir significativamente os níveis do “hormônio da fome” chamado ghrelin em suínos, usando meios minimamente invasivos de vaporizar o vaso sanguíneo principal que carrega sangue para a parte superior, ou fundo, do estômago. Cerca de 90% do ghrelin se origina do fundo, que não pode fabricar o hormônio sem suprimento de sangue.

“Com a embolização química da artéria gástrica, [procedimento] chamado de GACE (na sigla em inglês) não há cirurgia de grande porte”, disse o Dr. Aravind Arepally, professor de radiologia da Universidade John Hopkins, nos EUA. “Em nosso estudo com porcos esse procedimento produziu um efeito similar ao da cirurgia bariátrica, ao suprimir níveis de ghrelin e subseqüentemente reduzindo o apetite.”

Aravind publicou seu estudo na edição de 16 de setembro da revista científica Radiology onde reportou que os esforços durante mais de uma década tiveram pouco sucesso ao tentar suprimir o hormônio ghrelin.

Cirurgia bariátrica (também conhecida como cirurgia de redução do estômago) é eficaz para suprimir o apetite levando a emagrecimento significativo, mas é uma cirurgia de grande porte (com exceção desta cirurgia experimental) com riscos substanciais de complicações. “A obesidade é o maior problema biomédico dos EUA. Uma alternativa minimamente invasiva faria uma enorme diferença , de escolha e resultados, para as pessoas obesas”, disse Aravind.

O médico e seus colegas conduziram seu estudo durante quatro semanas utilizando 10 porcos saudáveis em crescimento; depois de uma noite de jejum eles foram pesados e amostras de sangue foram colhidas para medir os níveis do hormônio da fome. Os porcos foram a melhor opção, segundo ele, por causa da anatomia e fisiologia similares à dos humanos.

Guiados por raios X, os membros da equipe de pesquisas introduziram um tubo fino através de um grande vaso sanguíneo dos animais até as artérias gástricas que levam o suprimento de sangue para os estômagos. Em cinco porcos os cientistas injetaram um composto químico que destruiu a artéria. Em outros cinco porcos (controle) os cientistas injetaram apenas uma solução salina.

Um mês depois os pesquisadores coletaram novamente sangue dos animais e descobriram que os níveis de hormônio, nos porcos que tiveram suas artérias vaporizadas, haviam suprimido mais até 60%.

“O apetite é complicado por que envolve tanto a mente quanto o corpo. Os níveis de ghrelin flutuam durante o dia respondendo a todo tipo de cenários emocionais e psicológicos. Mas mesmo que o cérebro diga ‘produza mais ghrelin’, o GACE evita fisicamente que o estômago fabrique mais hormônio da fome”, disse Aravind. [ScientificBlogging]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

  • João Henrique:

    Até que enfim, uma noticia animadora para nós gordinhos!

    Imaginem as possibilidades. Só de pararmos de comer mais do que precisamos, inúmeras outras doenças poderão ser evitadas.

    Já estou me sentindo mais leve!

    Parabéns pelo site!

Deixe seu comentário!