Esqueça o IMC: cientistas desenvolveram uma maneira mais simples e precisa de medir sua gordura corporal, o IMR

Por , em 5.09.2018

O índice de massa corporal, ou IMC, é atualmente o método mais utilizado para avaliar se alguém está acima ou abaixo do peso.

No entanto, os cientistas há muito sabem que essa ferramenta é problemática. Ela não é perfeita – não leva em conta as diferenças de gênero, nem sempre reflete com exatidão a massa muscular, e os resultados podem ser distorcidos para crianças e idosos.

Agora, um novo estudo do Cedars-Sinai Medical Center (Califórnia, EUA) propõe uma alternativa que os pesquisadores dizem ser mais precisa: o índice de massa gorda relativa, ou IMR.

Como funciona o IMR

O IMR pode ser determinado apenas com uma fita métrica. Não é necessário balança para calculá-lo.

Isso porque é a circunferência em torno de sua cintura em relação à sua altura que conta, ao invés de seu peso. Os pesquisadores dizem que esse dado dá uma ideia melhor se a gordura corporal de alguém está em um nível saudável ou não.

“Queríamos identificar um método mais confiável, simples e barato para avaliar a porcentagem de gordura corporal sem usar equipamentos sofisticados”, explicou um dos membros do estudo, Orison Woolcott. “Nossos resultados confirmaram o valor da nossa nova fórmula em um grande número de indivíduos. A massa gorda relativa é uma medida melhor da gordura corporal do que muitos índices usados atualmente na medicina e na ciência, incluindo o IMC”.

Como calcular o IMR

Para obter seu IMR, você mede sua altura e a circunferência da sua cintura e, em seguida, insere os números nesta fórmula:

HOMENS: 64 – (20 x altura / circunferência da cintura) = IMR
MULHERES: 76 – (20 x altura / circunferência da cintura) = IMR

Os cálculos do IMR se mostraram mais precisos do que mais de 300 outras fórmulas que os pesquisadores tentaram.

Com base em dados de 3.456 pacientes adultos nos EUA, as medições de IMR foram as que mais se aproximaram das medições tomadas por uma tecnologia conhecida como “densitometria por DEXA do corpo inteiro”, amplamente considerada o padrão de ouro para medir tecido corporal, ossos, músculos e gordura.

Em outras palavras, o IMR se mostrou um medidor de gordura corporal quase tão bom quanto um equipamento médico especializado – e tudo o que é necessário é uma fita métrica.

IMC: os problemas

Para calcular o seu IMC, você divide seu peso em quilogramas pela sua altura em metros, depois divide a resposta pela sua altura novamente. Este valor pode então ser comparado com um gráfico de pesos saudáveis para cada altura. Um IMC normal está entre 18,5 e 25.

Embora tenha sido útil para rastrear problemas como obesidade ao longo do tempo e entre populações, os pesquisadores há muito procuram uma fórmula mais precisa que ajude qualquer pessoa que esteja lutando com problemas de peso e problemas de saúde associados (como diabetes e pressão alta) a acompanhar melhor seus níveis de gordura corporal.

Vale notar, contudo, que mais pesquisas em um número maior e em uma variedade maior de pessoas são necessárias para garantir que o IMR seja tão preciso quanto seus criadores acham que é. Se for o caso, talvez seja hora de dizer adeus ao IMC.

“Ainda precisamos testar o IMR em estudos longitudinais com grandes populações para identificar quais faixas de percentual de gordura corporal são consideradas normais ou anormais em relação a sérios problemas de saúde relacionados à obesidade”, resume Woolcott.

A pesquisa foi publicada na revista científica Scientific Reports. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (26 votos, média: 4,23 de 5)

1 comentário

  • eliumar:

    Bem importante as informações contidas no artigo. Entretanto, acredito que saber encontrar o índice não é suficiente, é também importante saber identificar os parâmetros de normalidade destes dados. O IMC coloca os limites entre 18,5 e 25 como dentro do normal. E o IMR, quais são esses limites?
    No mais, parabéns pelo tema abordado.

Deixe seu comentário!