Mulheres obesas tendem a gerar bebês maiores

Por , em 17.11.2011

Pode parecer apenas um credo popular, mas pesquisadores britânicos garantem que é verdade: quanto mais gorda for a mulher antes de uma gravidez, maior tende a ser o bebê que vai nascer. A condição de crescimento exagerado da criança, que é caracterizada pelo nascimento com peso acima dos 4,5 quilos, leva o nome de macrosomia.

Alguns cientistas divergem desse número, e já consideram recém-nascidos acima dos 4 quilos como macrosômicos. Levando esse índice em conta, conforme explicam pesquisadores da Universidade de Cambridge (Inglaterra), a macrosomia afetaria até 10% de todas as grávidas. O estudo dos cientistas ingleses foi feito com 3.100 gestantes.

Tomando como base o peso de 4,5 quilos, essa taxa é reduzida. Entre as grávidas pesquisadas, apenas 1% dos bebês atingiram essa massa corporal ao nascer.

Eles mediram as cinturas de todas as mulheres antes da gestação. O grupo das 25% mais avantajadas, nesse quesito, apresentaram 57% a mais de chances de ter um filho acima dos quatro quilos, em comparação com as 25% de cintura mais fina. Para bebês acima de 4,5 quilos, a diferença é ainda maior: as mais “acinturadas” são 2,6 vezes mais propensas a ter um bebê deste tamanho em comparação às mais magras.

Sempre recomendou-se que mulheres ganhem algum peso durante a gravidez, afinal, o corpo precisa fazer algumas adaptações para gestar uma criança. Para mulheres com peso normal (o que significa um IMC – Índice de Massa Corporal – entre 18,5 e 25), o Instituto de Medicina dos EUA recomenda que haja um ganho de peso entre 11,3 e 16 quilos durante os nove meses de gravidez.

Quanto mais pesada for a mulher, menor deve ser esse aumento. Grávidas acima do peso (IMC entre 25 e 30) devem engordar entre 7 kg e 11,3 kg. Já para as obesas (IMC acima de 30), conforme afirma o Instituto de Medicina dos EUA, o peso a ser ganho durante a gravidez deve ficar entre 5 e 9 quilos, não mais.

O maior risco para a saúde das mulheres e dos filhos, conforme afirmam os médicos, são oscilações bruscas de massa corporal da mãe durante a gravidez. Em outras palavras, é preferível que uma mulher acima do peso tente emagrecer antes de engravidar, para já iniciar a gestação com um peso estável. [Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • fabiula raquel:

    Eu to com um pouco de medo . Eu pesava 110 quilos , tenho 1,75 de altura . Então , cortei as calorias diárias ao extremo e pratiquei atividades físicas e consegui emagrecer 8 kilos . Fiquei então com 102 kilos . Mas descubri que estava grávida e cortei os exercícios físicos e cortei a dieta e voltei a engordar , Engordei 3 kilos em menos de 3 semanas , e não consigo fazer exercícios ,

  • Evelyn Franklin Consentino:

    olá estou na minha primeira gestaçao, tenho 23 anos 1.77 e peso 125kls, minha saude esta perfeita,nada alterado meu medico disse q tenho uma saude perfeite melhor d q muitas gravidas,ainda nao engordei nada nesta gestaçao, será que posso ter parto normal? ouvi dizer q mulheres gordinhas nao podem ter parto normal, isso ´´e verdade? ainda nao falei isso com meu medico.

  • tanny:

    o comentário da glória aí em cima foi tosco:sou obesa,peso 110 kg com 1,68de altura e meu bb tá com o peso normal pra idade gestacional

    essa história de mãe gorda=filho gordo é uma das milhares coisas idiotas q todo mundo acredita mas n é verdade

    papai nasceu com 5kg e pouco e vó era magra…minha prima de 2º grau mal consegue andar de tão gorda q é e os filhos são todos magros,nasceram com o peso normal e não tiveram nenhuma enfermidade congênita nem anomalias neonatais

    o mal da net é esse,todo mundo se acha especialista e acaba falando um monte de baboseiras…não é porque a mãe tem sobrepeso que o filho vai ter,não existe essa prerrogativa,oh gawd

    nunca tive nenhuma doença relacionada a obesidade
    n tive diabetes gestacional
    quando engravidei pesava 111kg,no 3º mês desci p 104 e agora no finalzinho estou com 110

    sei que tive sorte,é raro uma pessoa ser obesa e ter uma boa saúde

    no início da minha gravidez me consultei com um clínico fdp que disse que eu não ia conseguir levar essa gravidez,que eu ia perder o meu bb,q 10 entre 10 obesas q engravidam abortam (até hoje me pergunto de onde ele tirou isso)
    saí do consultório aos prantos…pra vcs verem que existem idiotas portando crms e jalecos brancos

    na mesma semana falei com a minha ginecologista e ela disse que era tudo besteira,que o bebê e eu estávamos ótimos e que a minha gravidez é muito mais tranquia do que muitas pacientes magras dela

    n faço apologia à gordura,mas acho maldade também condenarem as mães obesas a passarem a gravidez toda assustadas,achando que vão abortar o que vão dar a luz a um bebê gigante,que não podem ter parto normal,que o bebê vai nascer gordo e doente,etc,etc,etc

    • Bianca Scavasin:

      oii concordo com voce, ontem o medico que me atendeu foi muito grosso comigo, por que estou com 36 semanas e engordei 9 kilos quando engrevidei estava com 100kg ele me disse que estou colocando a vida do meu filho em perido, e que meu bebe ira nascer muito grande fiquei super nervosa….com isso

    • carla kezia Ribeiro:

      Concordo com você! médica idiota q iria acompanhar minha gestação falou a mesma coisa q esse médico falou p vc quando estava grávida da minha laylinha… eu estava comv 106 kl. Procurei outro médico q por fim me tranquilizou.

  • gloria:

    Maiores , ou mais pesados? É claro q mulheres q são gordas tem disturbio alimentares e c\ a gravidez o corpo tende a consumir mais ,é lógico q elas comem mais q precisam, o apetite desenfreado tem a ver c\ os costumes delas , aí o bebê será gordo e pesado como a mãe, e nem sempre é grande de comprimento,mas pesa mais q um bebê normal, é óbvio! Mãe gorda filho gordo ,salvo algumas exessoes, como anomalias neonatal ou emfermidades congênitas.

    • Bianca Scavasin:

      conheço uma mulher que pesa 130 kg o nenem dela nasceu com 2.750kg

    • Marcelo Ribeiro:

      Uma pessoa não é uma amostra relevante, é uma anedota. Amostra relevante são dezenas, centenas, milhares. Aí temos dados e não casos isolados.

  • 3dx:

    sem comentários

Deixe seu comentário!