40 navios naufragados são encontrados no fundo do Mar Negro

Por , em 19.11.2016

Uma frota de navios naufragados dormia pacificamente nas frias profundidades do Mar Negro, enquanto impérios surgiram e caíram ao seu redor. Séculos mais tarde, os destroços foram redescobertos recentemente por cientistas, que conseguiram capturá-los em detalhes impressionantes usando as mais recentes técnicas de imagem.

Os 13 mais mortais naufrágios da história

A pesquisa foi conduzida pela Universidade de Southampton, no Reino Unido, e pelo Projeto de Arqueologia Marítima no Mar Negro. Juntos, eles descobriram mais de 40 naufrágios que, eles acreditam, poderiam ser dos impérios Bizantino, Veneziano e Otomano, e podem estar separados por 10 séculos de distância no tempo, entre o século 9 e o século 19.

As histórias por trás dos navios ainda não foram pesquisadas, portanto, as datas exatas e os períodos ainda não estão confirmados. No entanto, a equipe espera que os destroços revelem as rotas comerciais, as batalhas e a cultura dos impérios Otomano e Bizantino.

Descoberta ao acaso

Inacreditavelmente, os arqueólogos nem sequer estavam lá para encontrar navios. O objetivo era descobrir mais sobre como os níveis de água subiram no Mar Negro após a última Idade do Gelo.

navio-4

“Os destroços são um bônus completo, mas uma descoberta fascinante, encontrada durante o curso de nossas extensas pesquisas geofísicas”, disse Jon Adams, arqueólogo da Universidade de Southampton.

Após 500 anos, cientistas encontram o naufragado Santa Maria de Cristóvão Colombo

Os destroços foram preservados em condições notavelmente boas graças às condições anóxicas (baixo oxigênio) encontradas no Mar Negro abaixo de profundidades de 150 metros. As águas profundas não se misturam com as camadas superiores de água que recebem oxigênio da atmosfera, o que significa que a água tem uma concentração relativamente baixa de oxigênio, o que impede que as estruturas de madeira se degradem tão rapidamente.

Imagens 3D

Trabalhando a partir do navio Stril Explorer, na costa búlgara, a equipe internacional usou dois veículos operados remotamente a profundidades de até 1.800 metros.

“Usando a mais recente técnica de gravação 3D para estruturas subaquáticas, temos sido capazes de capturar algumas imagens surpreendentes sem perturbar o fundo do mar”, acrescenta Adams. “Estamos agora entre os melhores expoentes desta metodologia de prática e certamente ninguém conseguiu modelos desta perfeição em naufrágios nestas profundidades”, celebra.

10 histórias assustadoras de navios fantasmas

navio-2

As imagens são modelos digitais criados a partir de fotografias utilizando um processo de fotogrametria. A técnica usa o software para construir as posições 3D nos milhões de pontos baseados em milhares de fotografias dos naufrágios. A criação das imagens demorou seis dias de processamento contínuo para ser feita. Como você pode ver, foi um tempo bem gasto. [IFLS]

navio-1

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 4,83 de 5)

Deixe seu comentário!