Pela primeira vez, cientistas encontram planetas em outra galáxia

Por , em 6.02.2018

Pesquisadores da Universidade de Oklahoma (EUA) confirmaram pela primeira vez a existência de planetas fora da Via Láctea.

Usando um efeito astronômico chamado de microlente gravitacional, a equipe encontrou milhares de planetas em uma galáxia a 3,8 bilhões de anos-luz de distância de nós.

Os mundos extragalácticos variam em massa, sendo que alguns são tão pequenos quanto a lua e outros são tão grandes quanto Júpiter.

Microlente gravitacional

A descoberta indica que nossas suspeitas estavam corretas: a nossa galáxia não é a única que abriga planetas.

Para chegar nesse achado, os astrônomos Xinyu Dai e Eduardo Guerras estudaram um quasar de 6 bilhões de anos-luz chamado RX J1131-1231, um dos melhores quasares com lente gravitacional no céu.

Microlente gravitacional é um efeito astronômico pelo qual o campo gravitacional de um objeto dobra a luz de uma estrela ou quasar à medida que passa por ela. Quando o objeto está entre a Terra e essa fonte de luz, o efeito cria imagens que podemos detectar.

Até agora, todos os objetos descobertos usando microlente estavam dentro dos limites da Via Láctea. Os cientistas usaram dados do Observatório de raios-X Chandra para expandir essa visão e incluir esses planetas extragalácticos.

2.000 mundos fora da Via Láctea

Ao estudar esses dados, os pesquisadores descobriram que havia mudanças peculiares na luz do quasar que só poderiam ser explicadas por planetas.

Eles chegaram à conclusão de que havia cerca de 2.000 mundos diferentes entre as estrelas dessa galáxia distante.

“Estes planetas são os melhores candidatos para a assinatura que observamos neste estudo usando a técnica de microlente. Analisamos a alta frequência da assinatura, modelando os dados para determinar sua massa”, explicou Xinyu Dai, professor de física e astronomia da Universidade de Oklahoma, em um comunicado de imprensa.

Novas portas se abriram

Não podemos ver diretamente nenhum dos planetas extragalácticos descobertos usando as tecnologias de telescópio existentes, e é exatamente por isso que este estudo revela o potencial da técnica de microlente para expandir nossa compreensão do universo além da Via Láctea.

“Este é um exemplo de quão poderosas podem ser as técnicas de análise de microlente extragalácticas. Esta galáxia está localizada a 3,8 bilhões de anos-luz de distância, e não há a menor chance de observar esses planetas diretamente, nem mesmo com o melhor telescópio que se possa imaginar em um cenário de ficção científica. No entanto, podemos estudá-los, revelar sua presença e até ter uma ideia de suas massas”, afirmou Eduardo Guerras, pós-doutorando da Universidade de Oklahoma, em um comunicado de imprensa.

A confirmação da existência de planetas além da nossa galáxia é uma conquista incrível que abre caminhos diversos de pesquisa. Quanto melhor entendemos o universo, melhor entendemos como nosso sistema solar se formou e por que a vida inteligente surgiu bem aqui, em nosso planeta.

A partir de agora, graças a esses resultados inovadores, os cientistas têm a opção de olhar ainda mais longe para obter respostas a questões fundamentais sobre o espaço.

Um artigo sobre a descoberta foi publicado na revista científica Astrophysical Journal Letters. [Futurism, ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (29 votos, média: 4,90 de 5)

Deixe seu comentário!