Pesquisadores usaram raio-X para estudar minúsculas esculturas

Por , em 5.01.2017

Pesquisadores da Galeria de Artes de Toronto (Canadá) precisaram usar imagens em raio-x para estudar melhor a composição de esculturas em miniatura do século XVI.

Apenas 135 dessas caixinhas de madeira milimetricamente decoradas são conhecidas no mundo todo. Elas foram feitas entre 1500 e 1530 em Flandres (região norte da Bélgica) ou nos Países Baixos, e foram uma demanda de uma nova classe social de mercadores que surgiu na Europa nesta época. Eles pediam por produtos religiosos de alta qualidade. Depois da Reforma Religiosa, porém, esta demanda diminuiu, e esse tipo de acessório relacionado à igreja caiu em desuso.

Usando microtomografia em raio-x e um software de análise avançada em 3D, os pesquisadores descobriram exatamente o nível de detalhes desses alteres em miniatura. As camadas internas são montadas como um quebra-cabeça perfeito, escondendo as juntas completamente. Para encontrá-las, foi preciso a ajuda da tecnologia. As peças também incluem pregos minúsculos, menores que sementes de grama.

Agora, o processo de produção dessas peças permanece um mistério, já que muitas partes das caixinhas não podem ser visualizadas pelo exame de imagem porque contêm traços de ouro e outros materiais metálicos. [Bored Panda, AGO]

Confira:

Crédito imagem: Craig Boyko

Crédito de imagem: Ian Lefebvre

Último vídeo do nosso canal: 4 dias infalíveis da ciência para dar o PRESENTE PER

Deixe seu comentário!