Planeta misterioso: Netuno completa um ano terrestre, desde sua descoberta

Por , em 11.07.2011

Netuno está prestes a comemorar seu primeiro aniversário, que caíra em 12 de julho, completando um ano netuniano – ou 164,79 anos terrestres – desde a sua descoberta, em 24 de setembro de 1846.

Conhecendo-o há tanto tempo, porque ainda sabemos tão pouco sobre o planeta distante?

4,4 bilhões de quilômetros distante da Terra, Netuno foi o primeiro planeta do sistema solar a ser descoberto deliberadamente.

Após a classificação do planeta Urano, na década de 1780, os astrônomos estavam perplexos com sua órbita estranha. Eles chegaram à conclusão de que, ou as leis de Isaac Newton eram fundamentalmente falhas, ou outra coisa – um outro planeta – estava puxando Urano de sua órbita prevista.

E assim a busca pelo oitavo planeta começou. Não foi até a teoria do matemático francês Urbain le Verrier ser testada no observatório de Berlim por Johann Gottfried Galle que o planeta foi visto pela primeira vez.

Netuno foi observado na noite de 23 de setembro de 1846. Verificou-se que ele estava quase exatamente onde le Verrier previu que estaria. Independentemente, o cientista britânico John Couch Adams também produziu resultados semelhantes, e ambos foram creditados pela descoberta.

Mas muitos afirmam que eles não foram os primeiros a documentar o planeta, mas sim o famoso astrônomo e matemático Galileu. Em sua famosa obra “O Mensageiro das Estrelas”, algumas evidências apontam para sua descoberta.

Especialistas dizem que se você olhar para os desenhos de janeiro de 1613, verá um fantástico de Júpiter e suas luas. Inclui ainda um objeto rotulado como “estrela fixa”, que seria o primeiro desenho telescópico do planeta Netuno.

Polêmicas à parte, comparativamente, muito pouco é conhecido sobre o planeta. Parte do problema é que não há nenhuma maneira dele ser visto a olho nu, e até o telescópio espacial Hubble tem dificuldades em observá-lo.

Então como ele é? Segundo os astrônomos, como um pedaço congelado de gases também congelados. Não deve ser um lugar amigável.

Uma das coisas mais interessantes sobre Netuno é o tempo. “Céu nublado com chances de chuva de metano” seria uma das descrições possíveis. Ventos podem chegar a 1.930 quilômetros por hora, criando tempestades inimagináveis na Terra. Essas tempestades enormes são vistas como manchas escuras de uma forma semelhante à Grande Mancha Vermelha de Júpiter (e ainda existe a Grande Mancha Branca de Saturno, mais uma tempestade forte demais para nossos cabelos).

A razão pela qual os astrônomos sabem tão pouco sobre o planeta é que ele só foi fotografado uma vez de perto, na missão Voyager 2 em 1989.

E como suas estações duram 40 anos terrestres, só a primavera o e início do verão foram estreitamente documentados em Netuno.

A partir de 1989, Netuno começou a ser observado constantemente por telescópios grandes, e cada vez apresenta uma surpresa diferente. Tempestades foram aparecendo, se formando e mudando muito mais rapidamente do que se pensava anteriormente. Hoje, estamos olhando para um planeta muito diferente da foto tirada pela Voyager 2.

Entretanto, a chance de descobrir mais sobre o planeta ainda está muito longe. Missões da NASA para Netuno estão fora de questão no momento – como um lançamento até lá anteriormente previsto para 2016, que nem figura mais na lista de missões da agência – devido a restrições orçamentárias. As prioridades são outras (mesmo que nunca tenha havido uma missão para lá).

Mesmo a missão New Horizons, enviada para descobrir mais sobre Plutão e os confins do sistema solar, que passará pela órbita de Netuno em 24 de agosto de 2014, não foi organizada para acompanhar de perto o planeta.

Em vez disso, fotos estão sendo tiradas de Netuno e sua lua para testar equipamento de imagem e não para quaisquer fins científicos mais importantes.

Ainda assim, feliz aniversário, Netuno! Embora acender 164 velas sob um vento tão forte não deva ser uma boa ideia.[BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 4,67 de 5)

19 comentários

  • Henrique Fendrich:

    Essa matéria completou cinco anos terrestres e o título ainda não foi arrumado.

  • Renato:

    Eu creio que possa haver vida em Netuno e que o planeta possa também abrigar populações,mas se tratando de Plutão acho que não há nenhuma chance de ter vida,pois lá fica escuro por todas as horas,sem mais.

  • Kleber:

    Tem que arrumar o titulo aí, filho…

  • Snowmeow:

    Uma aventura mais ousada pelo espaço, mesmo uma missão tripulada a Marte, nunca poderá ser feita por apenas um país, por mais poderoso que ele seja.
    O Espaço é a chave para a Paz definitiva, pois todos precisarão se dar bem entre si, se quiserem botar os pés em Marte ou ver Netuno a olho nu.

  • Mario:

    milhões e milhões gastos e tudo que se tem notícia é de pedras e gases, e a vida? parabéns.

  • NATALIA:

    NETUNO TEM GENT?

  • K:

    errado! completou um ano local, pq terrestre seria 365 dias!

  • Fiscaltp2:

    Imagina a copa do mundo, de 4 em 4 anos? Ia ser uma copa por milênio na Terra. rs
    Gostei da reportagem, foi encantadora. Como todas sobre o universo. Só corrijam o título por favor.

  • Marcos:

    se não tivesse guerras entre as nações acho que seriamos muito mais evoluidos..pq assim não gastariamos dinhiro com armas etc,mas ajudando os pobres de outras naçoes e investindo em pesquisas ,tanto espaciais, ou terraquias mesmo

  • lucas de araujo martins:

    netuno tao belo planeta porque nao investigalo um planeta perto e nenhuma curiozidade . guerra e isto que importa para os EUA a ciencia em 2 plano . que espetaculo agurda as geraçoes futuras . lady gaga lamenson. carl segan procurem este nome

  • Afer Ventus:

    “caíra” ou “cairá”???

  • Kibern:

    Basta ler o titulo para perder a vontade de ler o resto.

  • Rodrigo Paim:

    Curioso foi o motivo do adiamento da missão prevista para 2016.

    Os EUA gastam mais de 600 bilhões com as forças de defesa, mas não pode aumentar o orçamento da NASA em alguns bilhões ?

    • Kelvin:

      E o projeto dos Ônibus Espaciais ao custo de quase 200 bilhões de dólares, ao longo de 30 anos!

      E o que eles dizem?

      “- Vamos gastar trilhões de dólares por ANO(!) em defesa, pela segurança nacional, para matar mais pessoas!
      Cortem os gastos com a exploração espacial; vamos torrar grana em liquidar humanos, não estamos interessados em garantir a sobrevivência da espécie para além da frágil Terra.”

      Inconformado?
      Estude para ser um político, mas viva para ensinar ciência! Mais do que armas, precisamos de motores, bem fortes e potentes.
      Mais do que complexidade burocráticas, precisamos de simplicidade filosófica!

    • Cesar:

      É por aí, Rodrigo, os “xerifes do mundo” gastam os tubos para defesa. E sempre que surge uma recessão, ou que um deputado quer parecer “sério”, o que ele faz é propor cortes no orçamento da NASA e na pesquisa científica.

      Isto só não acontece aqui no Brasil por que o orçamento da nossa agência espacial é mínimo (não tem praticamente o que cortar) e o investimento em ciência aqui precisa crescer muito para ter o que cortar.

    • Glauco:

      Se os EUA aumentarem em mais algumas centenas de bilhões o budget anual da NASA, o máximo que teremos é mais do mesmo. A NASA não está interessada em explorar o espaço, ela tá interessada em gastar dinheiro! Não me venha dizer que todos esses bilhões de dólares pagos até hoje foram investidos no programa espacial americano que não dá prá acreditar! Os russos fazem mto mais com mto menos dinheiro!

    • Orlando Rios:

      Sim, “Os russos fazem mto mais com mto menos dinheiro!” mas não conseguem sair da orbita terrestre e caem de volta. Faltou combustivel ?

  • Matheus:

    Sim, um ano netuniano, não terrestre, corrijam ai.

  • Érico:

    Completou, então, um ano netuniano, não?

Deixe seu comentário!