Por que os planetas são redondos?

Por , em 23.10.2012

Tudo bem, eles não são exatamente redondos, mas por enquanto vamos fazer de conta que são. A causa da “redondeza” dos planetas é a gravidade.

É assim que funciona: a gravidade atrai tudo de forma uniforme em todas as dimensões espaciais. Quanto mais matéria um planeta em formação atrai, mais forte se torna a atração gravitacional em direção ao centro do mesmo.

O resultado natural desta situação é uma esfera. Qualquer desvio da forma esférica tem que contar com alguma força não gravitacional para suportar a puxada da gravidade para baixo. Todos os pequenos desvios fazem isto, desde montanhas até o teu corpo.

Mas este ainda não é o fim da história. As leis do movimento de Newton afirmam que um corpo em movimento tende a continuar em movimento, e a matéria no equador do planeta pode estar viajando com velocidade suficiente para criar um dilatação, como a da Terra.

Então, os planetas não são perfeitamente redondos. Sua redondeza depende da sua massa, tamanho e velocidade de rotação. Os cientistas podem deduzir a massa de um planeta facilmente se ele tiver um satélite (uma lua) aplicando as leis do movimento de Newton à órbita da lua, leis que estabelecem uma relação simples entre a massa do planeta e a velocidade do satélite.[Life’s Little Mysteries]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 5,00 de 5)

13 comentários

  • Leandro Peres:

    E assim as leis de Einstein se torna mais uma vez útil em nossas vidas.

  • karol:

    Bastante interessante na verdade eu nunca tinha parado para pensar nisso

  • Glauco Ramalho:

    São redondos pq essa é a forma de Manu, e Manu deu a forma ao Universo. Então ele manifesta-se no nosso plano físico, onde os cientistas percebem e categorizam-no como Força Gravitacional. É, para toda explicação científica existe sua contraparte religiosa complementar…

  • Andre Luis:

    (Tentando passar pela moderação, comento novamente rsrsrs)

    Eu já vi rumores da presença do número phi na relação Terra-Lua. Segundo Alick Bartholomew, que escreveu o livro “Hidden Nature”, O Raio da Terra somado ao raio da Lua, forma um triângulo retângulo áureo. O raio da Terra é um cateto, a soma do raio da Terra com o raio da Lua, o outro cateto, assim, ligando os catetos com um segmento, teremos a hipotenusa, formando o triângulo áureo. Porém eu percebi uma pequena diferença no raio da Lua de menos de 2 km em relação ao dados do autor, comparado aos dados da Nasa, porem creio que seja irrelevante ao se tratar dos astros medidos. A média aritmética das distâncias das órbitas dos planetas fica muito próxima do número Phi, chegando a 1,61874. Saturno também merece atenção especial quanto ao Phi, a proporção está muito presente no planeta e seus anéis. O site goldennumber.net tem maiores informações. Acho que o número Phi deve estar muito mais presente na natureza do que imaginamos.

    • Hellen Jéssica:

      Já ouviu falar das fractais da vida? Vale a pena aprofundar nesse assunto, a natureza é matemática!

  • Rodrigo Piedade:

    Se é por conta da gravidade, como se explica a lua ser redonda ? ela quase nem tem gravidade, e se foi por conta de sua formação no inicio , então ela estaria virando um cone hoje em dia por conta dela ser atraída pela gravidade da terra não? enfim deixou mais duvidas

    • Edison Matos:

      Rodrigo, ela “quase não tem gravidade” mas ela tem gravidade. A proporção é apenas menor pelo fato dela também ser. O principio é o mesmo.

  • Marte:

    OK, a Gravidade – sempre ela – tem um papel fundamental para o formato esférico dos planetas. Elementar, Mr. Watson. Mas parar por aí é uma resposta simplista, desconfio. A grande maestrina disso e de todas as outras coisas no universo é a Matemática… e provavelmente Phi, esse número mágico, é o responsável por isso também.

    • Cesar Grossmann:

      Basta você demonstrar isto…

      Mas já vou avisando que neste caso o número importante é outro, é π. Basta ver que a superfície e o volume dos planetas, estranhamente, está relacionado ao raio do planeta por este número transcendental e irracional, o π. Ah, e a relação entre a espessura das diferentes camadas da Terra não guarda, até onde eu sei, nenhuma relação com o φ, ou o π, ou qualquer outro número.

    • Andre Luis:

      Eu já vi rumores da presença do número Phi na relação Terra-Lua. Segundo Alick Bartholomew, que escreveu o livro “Hidden Nature”, O Raio da Terra somado ao raio da Lua, forma um triângulo retângulo áureo. O raio da Terra é um cateto, a soma do raio da Terra com o raio da Lua, o outro cateto, assim, ligando os catetos com um segmento, teremos a hipotenusa, formando o triângulo áureo. Porém eu percebi uma pequena diferença no raio da Lua de menos de 2 km em relação ao dados do autor, comparado aos dados da Nasa, porem creio que seja irrelevante ao se tratar dos astros medidos. A média aritmética das distâncias das órbitas dos planetas fica muito próxima do número Phi, chegando a 1,61874. Saturno também merece atenção especial quanto ao Phi, a proporção está muito presente no planeta e seus anéis. O site goldennumber.net tem maiores informações. Acho que o número Phi deve estar muito mais presente na natureza do que imaginamos.

  • Mateus Felipe Martins Da Costa Cota:

    Achava que era por que magrathea montou todos os planetas redondos.

  • Juliane:

    Se os planetas e astros são redondos, o universo também pode ter uma forma esférica.

  • The Solar System:

    Muito bom 😀

Deixe seu comentário!