Polímero invisível acaba com as rugas instantaneamente

Por , em 11.05.2016

Toda empresa de cosméticos tem um produto que teoricamente reduz rugas e diminui os sinais da idade, mas quase todos requerem que seus usuários os apliquem por semanas antes de – talvez – ver algum resultado. Agora, pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) anunciam a criação de um polímero invisível que deixa a pele lisa instantaneamente por até 24 horas.

Chamado de XPL (cross-linked polymer layer), a “segunda pele” é aplicada em dois passos simples: primeiro deve-se espalhar uma fina camada do gel transparente na pele, feito de componentes polisiloxano. Depois é necessário aplicar o segundo creme, que é um catalizador de platina, que faz com que os polímeros da primeira camada se conectem e formem um filme forte que não sai com água, por até 24 horas. Não é preciso usar nenhum tipo de luz ou calor para ativar a substância.

Pomadas, protetores solares e curativos

polimero segunda pele
Inicialmente lançado e testado como creme antirrugas, esse material tem enorme potencial para ajudar em várias áreas da medicina. Um de seus usos poderia ser em medicamentos dermatológicos, fazendo com que remédios aplicados na pele não se espalhem para áreas indesejadas ou que não saiam na roupa ou durante a lavagem das mãos, por exemplo. Esta é uma ótima notícia para o tratamento de eczema.

Esse material também pode ser o futuro das ataduras e curativos. Outra propriedade interessante é que ele ajuda a manter a hidratação da pele. Ele pode ajudar até o protetor solar a ser mais eficiente. Nenhum dos voluntários que participaram dos testes sofreram irritações ou reações alérgicas à substância.

“Essa é uma camada invisível que pode fornecer uma barreira, oferecer uma melhora cosmética e potencialmente liberar medicamentos de forma local na área que está sendo tratada. Essas três coisas juntas podem torná-lo ideal para o uso em humanos”, afirma Daniel Anderson, professor do MIT e um dos autores do artigo publicado na revista Nature Materials.

Bolsas embaixo dos olhos

A parte esquerda da imagem mostra o produto aplicado embaixo do olho da voluntária, enquanto a parte direita mostra a pele natural

A parte esquerda da imagem mostra o produto aplicado embaixo do olho da voluntária, enquanto a parte direita mostra a pele natural

A pele humana jovem e saudável pode ser esticada 180% e ainda retornar ao seu estado original. Já essa segunda pele desenvolvida pelo MIT pode ser esticada 250% sem sofrer danos. Com o passar dos anos, a pele humana vai perdendo a habilidade de retornar ao estado original, e assim se formam as rugas e bolsas ao redor dos olhos. O XPL demonstrou ser capaz de comprimir essas áreas de pele solta, fazendo com que ela pareça mais jovem.

O desenvolvimento do material começou há 10 anos. “Começamos a pensar sobre como poderíamos controlar as propriedades da pele ao colocar uma camada de polímeros que trariam efeitos benéficos. Também queríamos que fosse invisível e confortável”, descreve Anderson.

Os pesquisadores criaram uma “biblioteca” com mais de 100 polímeros possíveis, todos com uma estrutura química chamada siloxano – uma cadeia de átomos alternados de silicone e oxigênio.

Ainda não foi anunciado quando o produto será comercializado. O laboratório Living Proof, que participou do desenvolvimento do material, acaba de criar uma nova empresa chamada Olivo Laboratories, apenas para a melhora do produto, que com certeza trará rios de dinheiro para a empresa e seus pesquisadores. [Phys.Org, Gizmodo, Nature Materials, BBC News]

shut up and take my money

Confira o vídeo publicado pelo MIT sobre a segunda pele:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • aLex Keher:

    Sem dúvida será um produto para poucos e privilegiados.
    Será que já consideram o desenvolvimento de preservativos à partir disso?

    • Cesar Grossmann:

      Com certeza vai ter versão barata para isso, vai vender mais que pastel em cancha reta.

Deixe seu comentário!