Psoríase: novo medicamento mostra ótimos resultados

Por , em 16.06.2016

Quem sofre com a psoríase sonha com o dia em que um remédio seguro vai ser criado para acabar com esse problema que interfere tanto na qualidade de vida. Este dia pode ter chegado, com o medicamento Ixekizumab.

Para testar a eficácia da droga, três estudos foram conduzidos, envolvendo 3.736 pacientes adultos em 100 locais espalhados por 21 países. Todos os voluntários tinham psoríase moderada a severa, que é aquela que cobre mais de 10% do corpo. Os estudos duraram mais de um ano, e envolveram grupos que receberam doses placebo e grupos que receberam injeções da nova droga.

Os dois grupos foram então comparados para avaliar melhoras e efeitos colaterais. Na 12ª semana, entre 76 a 81% dos participantes que receberam o medicamento tiveram sua psoríase classificada como “mínima” ou “insignificante”. Já o grupo que recebeu o placebo teve apenas 3% desses resultados.

Uma ótima notícia sobre esse medicamento é que um ano e três meses (60 semanas) depois do início do tratamento, entre 68 e 78% dos pacientes que receberam o remédio mantiveram a melhora.

“Há dez anos, achávamos que seria impossível fazer a psoríase desaparecer completamente. Não era algo que nós sequer tentávamos fazer. Com essa nova droga, estamos obtendo níveis de resposta mais altos do que vistos anteriormente”, diz Kenneth Gordon, professor de dermatologia na Universidade Northwestern (EUA), e autor principal do estudo.

O problema afeta 3% da população mundial, e é uma doença inflamatória do sistema imunológico que causa pele seca, avermelhada e muita coceira. Ela também está associada a maiores riscos de depressão, doenças cardíacas e diabetes.

O medicamento funciona ao neutralizar uma ação do sistema imunológico que promove a psoríase. Efeitos colaterais do Ixekizumab observados no grupo que usou a droga incluem um leve aumento da inflamação intestinal, infecção fúngica vaginal e baixa contagem de células brancas. Tratamentos mais longos que 60 semanas ainda devem ser estudados para verificar a segurança para o paciente.

“Com base nessas observações, nós esperamos que 80% dos pacientes tenham uma ótima resposta ao Ixekizumab, e que 40% vão ficar completamente livres da psoríase”, anuncia Gordon.

A droga já foi aprovada pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos, órgão semelhante à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O artigo foi publicado na revista New England Journal of Medicine. [Science Daily]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,20 de 5)

1 comentário

  • EvandroJGC:

    Eu acho que tenho isso, só que leve. Primeiro nos cotovelos, depois nas mãos, dedos, e era horrível!
    Agora “moveu-se” pra um pé. Estranho…

Deixe seu comentário!