Recorde de teletransporte quântico é batido: 143 km

Por , em 19.08.2012

O teletransporte quântico, que já foi assunto de vários artigos aqui no HypeScience, não é o transporte de matéria, mas de informação: duas partículas são colocadas em um estado chamado “emaranhamento quântico”, e uma alteração no estado de uma delas vai ser refletido instantaneamente pela outra partícula, num efeito que Einstein chamava de “ação fantasmagórica à distância”.

Atualmente, o teletransporte quântico não envolve nenhuma violação da relatividade, já que nenhuma informação viaja a velocidades superiores da luz. Para “ler” um fóton “emaranhado”, é preciso que uma informação suplementar seja enviada por meios normais (rádio, telefone, internet, carta, telegrama, etc).

Recentemente, um grupo de pesquisadores chineses quebrou o recorde para teleporte quântico: eles transportaram informação através do Lago Qinghai, na China, a uma distância de 97 km. O recorde anterior era de 16 km.

Nem bem isso aconteceu, oito dias mais tarde, um outro estudo empurrou este limite ainda mais longe. Um grupo europeu e canadense alegou ter teleportado informação de uma das ilhas Canárias para outra, em uma distância de 143 km. O trabalho ainda não passou por análise de outros cientistas, mas o grupo que o fez tem uma reputação muito boa.

Os dois grupos enfrentaram vários desafios experimentais – enviar um único fóton por uma distância de 100 km e recolhê-lo do ar não é uma tarefa fácil. Em termos práticos, o grupo receptor e o emissor precisam de telescópios apontando um para o outro com laser para alinhamento, e equipamentos ópticos complexos para modificar e medir o estado quântico dos fótons.

Os novos avanços são significativos para alcançar o que os físicos têm em mente para futuros experimentos. Os dois grupos apontaram que o trabalho deles é um passo na direção do teleporte espacial, no qual a informação quântica será emitida do solo para um satélite em órbita.

Você até pode se perguntar “mas já fazemos isto usando tecnologia do século 20, um troço chamado ‘ondas de rádio’, e que funciona bem, então por que usar um aparato tão esotérico?”. O fato é que no teleporte quântico, a informação não pode ser “roubada” no meio do caminho, enquanto mesmo um canal criptografado ainda é vulnerável. Um canal de comunicação usando o teleporte quântico não poderia ser grampeado de forma alguma.[PopSci, SciAm]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

7 comentários

  • WalterZ:

    Atualmente, o teletransporte quântico não envolve nenhuma violação da relatividade, já que nenhuma informação viaja a velocidades superiores da luz.
    Ora, o barato do teletransporte quantico é exatamente transmitir informaçeos instantaneamente. Ou seja mais rapido que a luz!
    Neste experimento, alguma coisa foi utilizada para verificar se funcionou ou não. Essa coisa é que não viajou mais rapido que a luz.

  • Gabriel Cardoso:

    duas partículas são colocadas em um estado chamado “emaranhamento quântico”, e uma alteração no estado de uma delas vai ser refletido instantaneamente pela outra partícula, num efeito que Einstein chamava de “ação fantasmagórica à distância”. Isto tem algo relacionado com os spins?

  • Armistrong:

    Saudações crísticas,e quânticas!

    E todo o contexto dos experimentos nos remete, inevitavelmente, para o âmbito militar. Em termos civis, quando chegar, não passará muito do setor privado.

    Abraço fraterno!

  • Murilo Mazzolo:

    Legal, quando essa tecnologia chegar aos Wi-Fi, os ladrões de sinais vão pirar!!! kkkkkkk
    Mas esse é um ótimo investimento nas transmissões!!! mas qual será o custo futuro desse Teleporte??

    • Cesar Grossmann:

      Transmissões em tempo real de verdade, com Marte e com a Lua, por exemplo. Eu acho…

  • Gargwlas Gargw Gargwlas:

    “Um canal de comunicação usando o teleporte quântico não poderia ser grampeado de forma alguma.”

    isso até a tecnologia ser totalmente entendida e um genio vai la e pimba, “hackeia a fisica” hehe

  • Henrique Martins Botelho:

    Não sabemos muito ainda deste mundo belo, mas é por isso que é tão terrivelmente interessante.

Deixe seu comentário!