Só nos EUA, 49 milhões de pessoas estão na faixa de pobreza

Por , em 9.11.2011

O número de norte-americanos na faixa de pobreza atingiu o recorde de 49 milhões em 2010, o equivalente a 16% da população, de acordo com novos dados do Census Bureau, a agência encarregada pelo censo nos Estados Unidos. Os números mostram taxas mais elevadas de pobreza entre os idosos, asiáticos e hispânicos do que o anteriormente conhecido.

O censo pretendeu dar uma visão mais ampla e completa sobre a pobreza nos Estados Unidos do que os números oficiais divulgados em setembro, quando foi afirmado que o número de pobres americanos era de 46,2 milhões.

O maior aumento de pobreza ocorreu entre pessoas com 65 anos ou mais, que estão sendo empurradas para a linha de pobreza principalmente por causa de despesas médicas. A taxa de pobreza entre os idosos saltou para 15,9%, ou aproximadamente 1 em cada 6 idosos – contrastando com os 9% da contagem oficial.

Também houve aumento nas taxas de pobreza entre os brancos, asiáticos e adultos em idade ativa. Entre os negros e crianças o número de pobres diminuiu.

Pela primeira vez, a taxa de pobreza entre os hispânicos foi maior do que a taxa entre os negros, 28,2% contra 25,4%, em parte como resultado da menor participação em programas sociais, como subsídios para habitação, entre grupos de imigrantes.

Já no Brasil, esse ano, uma pesquisa feita pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) concluiu que 16,27 milhões de pessoas vivem em situação de extrema pobreza, o que representa 8,5% da população.

Apesar disso, a pobreza extrema mundial diminui a um bom ritmo. Até o ano de 2015, deve afetar 15% da população mundial, número abaixo do objetivo inicial de 23% da ONU. [Reuters]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 1,00 de 5)

25 comentários

  • Weliton:

    Nem a maior potência política-militar-econômica do planeta conseguiu “dar um chute na pobreza”. Agora imagine os paises que não conseguiram esse patamar do poder global? Situação difícil!

    • Bovidino:

      ‘Chute na pobreza’? É o que mais eles fazem (literalmente).

  • Renato:

    Ser pobre la é ganhar o salario minimo amaricano de 2 mil dolares enquanto uns la ganham 10 mil dolares salario considerado na media ,pra min ser pobre é ganhar o salario minimo do brazil 460 reais ,só da pra compra o feijao e o arroz se quiser se manter vivo .

  • Éder Augusto:

    Se considerarmos a Renda per capita de um americano pobre ela é até mesmo superior que a da classe média brasileira.Mas acontece que a realidade de lá é diferente daqui.Lá a renda per capita ultrapassa 40.000 e aqui é um quarto disso,porém com esses 10.000 anuais é possível ter uma vida razoável aqui já nos EUA para ter essa mesma vida razoável é necessário ter essa renda de 40.000 anuais.

  • Darwin Ponge-Schmidt:

    Pela milionésima vez, digo: O mundo grita por uma Revolução Socialista imediatamente.

  • MAC G:

    Gente. Respeito a opinião de vcs. Cada um vê o mundo da forma não que quer. Mas da forma como cada qual recebeu sua vida e oportunidades de educação etc.
    Pobre nos EUA, nas regiões metropolitanas, é igualzinho aos pobres daqui.Eu já estive lá quando jovem. Fiquem certos, a merda é a mesma.
    Distribuição de renda mal feita, elitizada, corrupta, igualzinho França, Chile, Indonésia, enfim, todos os lugares desse mundão.
    É isso.

  • Bovidino:

    “(Apesar disso, a pobreza extrema mundial diminui a um bom ritmo. Até o ano de 2015, deve afetar 15% da população mundial, número abaixo do objetivo inicial de 23% da ONU.)”

    Eu não sabia que a ONU tinha um OBJETIVO tão pessimista.
    Ou será mais realista?

    • Tiago Moah Weimer:

      A ONU tá de brincadeira não?!
      Tá na hora deles reverem seus conceitos de como implantam sistemas de apoio ás pessoas.
      Não é só dar o peixe, têm que se ensinar a pescar também!!!
      A ONU não é uma instituição de caridade, a qual sai por aí entregando esmolas. É uma instituição que visa promover a paz e a assistência humanitária. Muito foi feito, mas parece que é tudo á passos de formiga…

  • Simon:

    ser pobre lá e ser classe média baixa aqui só se for shaushuashashuashua ja viram o cara que sobrevive catando ouro e metais nas ruas?

    • Simon:

      pais com oportunidade e outra coisa

  • Evandro:

    Faltou dizer o que é considerado um americano pobre. E verás, que é praticamente a classe média do Brasil.

  • Thiago:

    Pesquisando vi que a noticia acima fala unicamente dos EUA, taxa em torno de 16% de pobreza, achei que era da america do norte, pois a noticia começa falando de norte-americanos…

    Bom se nos EUA, que tem 300 milhões de habitantes, 16% da populção é pobre, imagina quantos porcento aqui do Brasil é pobre, e eu não to dizendo de pobreza extrema. =D

    Acho que deve ser uns 80%…

    Como o de baixo ai disse, ser pobre nos EUA é diferente de ser pobre aqui no Brasil.

    • Bovidino:

      Acontece que os habitantes dos EEUU, se consideram ‘americanos’, e os únicos americanos do mundo.
      ‘We are America”
      Como se América do Sul e Central nem existissem.

    • Tiago Moah Weimer:

      “Já no Brasil, esse ano, uma pesquisa feita pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) concluiu que 16,27 milhões de pessoas vivem em situação de extrema pobreza, o que representa 8,5% da população.”

      Conforme o texto…

  • Jonatas:

    É que o governo americano precisa investir mais em guerras. Se preocupam tanto em controlar o mundo que não cuidam nem de sua própria gente.

    • Bovidino:

      Pequena correção. Não é o governo ‘americano’, mas o governo dos EEUU.
      Já chega que eles se consideram os donos de todas as Américas, não vamos encher mais a bola deles.

    • Jonatas:

      Prefiro considerar-nos latino americanos, ou sul americanos, continentes separados. Quanto menos influência desses imperialistas melhor, pelo menos em considerações. 🙂

  • Jonatas:

    É, mas China e Índia, até pelas superpopulações, esse número deve ser drastcamente maior. Reclamam muito do Brasil, mas ainda é um dos países mais assistencialistas do mundo, mesmo com seus muitos problemas, é um dos que mais procura dar assistência aos necessitados.

    Pronto, podem negatiar agora… 🙁

    • Dorival José Borges:

      Aos do exterior, respeitado jovem. E sabe com qual propósito, um senhor enganador despejou dinheiro nosso lá fora? Vou te dizer. Para a campanha particular em busca de um Nobel da Paz.
      Pode fazer uma caminhada em qualquer metrópole do Brasil, e não demorará para ver alguém a procurar algo para comer em cestos de lixo. E eu estou a falar de metrópoles, não de bairros de periferia, porque aí já entramos em um outro caso de descaso com a população carente local.
      E o Brasil não é esta maravilha financeira que uma parte da mídia muito bem paga, propagandeia! Leio sobre política, economia, ciência e tecnologia, índices financeiros, industrialização, saúde, etc., e te afirmo que vendem covardemente uma fantasiosa imagem de um Brasil exemplo que caminha para uma situação de insolvência. Duvida? Respeito sua dúvida. Mas, aguardemos para ver. Se lembrará desta minha mensagem.

    • Alexandre:

      Pelo menos em uma coisa o Brasil está mais a frente dos Estados Unidos 🙂

  • Thiago:

    Oh, o Brasil tem 8,5% de pobreza extrema, que pais lindo, a maioria não é pobre. Ué! já que é assim pq o Brasil não é considerado pais de 1º mundo?!

    Na parte ali do Brasil fala taxa de pobreza “extrema”, repare no EXTREMA. Pobreza extrema seria as pessoas que moram na rua, desempregadas, flanelinhas etc. Agora quero ver quantos porcento dos Brasileiros não se encontram na faixa da pobreza aqui no Brasil, com um salariozinho merreca que as vezes não da pra sustenta uma familia sem passa aperto, isso deve dar uns 80% dos Brasileiros.

    Repare que ali fala da America do Norte, que engloba Canadá, México e EUA, com certeza nos EUA e Canada a taxa de pobreza deve ser bem pouca e de pobreza extrema quase nula, no México a porcentagem de pobreza é maior.

    • Dorival José Borges:

      Muito bem observado, Thiago!

    • Tiago Moah Weimer:

      Nada como o Merchandising – O povo brasileiro é crítico ao extremo quanto aos problemas encontrados no seu país (não digo que seja ruim isso, mas é uma imagem ruim passada para os “estrangeiros” fazendo-os acreditar cegamente que aqui a malária come solta).
      Já os patriotas exagerados dos EUA (sim, considero-os exagerados, visto que em todos os filmes hollywodianos têm uma bandeira americana termulando ao fundo, logo após cada conquista. Uma forma de merchandising sensacional, hehehee).
      Único país que vejo, ou melhor, não vejo nada quanto á questão de pobreza é o Canadá. O resto está tudo com graves problemas, e nisso incluo os EUA, pois suas taxas de desemprego são tão altas quanto nós aqui.
      A diferença?
      É que lá a maioria ainda termina o segundo grau e consegue um emprego meia boca. Já aqui, muitos desempregados não possuem nem mesmo o E. Fundamental completo e querem salárioas superiores á R$1.500,00 mensais.

  • Miguel:

    É triste que haja tantas pessoas na pobreza, mas menos mal que a pobreza está a diminuir a nivel mundial!

  • André:

    Ser pobre lá é diferente de ser pobre aqui.

Deixe seu comentário!