Tamanho do cérebro pode influenciar obesidade

Por , em 31.10.2010

Segundo um novo estudo, a região do cérebro responsável por controlar a impulsividade alimentar é menor em adolescentes obesos do que nos magros.

Os cientistas aplicaram questionários sobre hábitos alimentares em 91 adolescentes, em média com 17 anos. 37 tinham peso normal e 54 eram obesos. Os adolescentes obesos apresentaram um índice de massa corporal, ou IMC, de 39, e pesavam em média 136,08 quilos.

Os pesquisadores mapearam os cérebros dos adolescentes através de ressonância magnética, e realizaram vários testes cognitivos para ver como uma região particular do cérebro, conhecida como lobo frontal, estava trabalhando. O lobo frontal é essencial para o planejamento, monitoramento e comportamento de auto-modificação. Pessoas com danos nesta área são menos propensas a controlar seus impulsos.

Os adolescentes obesos eram mais impulsivos em seus comportamentos alimentares. Eles também tinham a região córtex órbito-frontal, parte do lobo frontal, menor, e tiveram um desempenho pior nos testes cognitivos.

Como as crianças são de famílias de nível de renda semelhante, é improvável que sua classe sócio-econômica tenha desempenhado um papel nos testes cognitivos. E os resultados se mantiveram mesmo após os pesquisadores levarem em conta a pressão sanguínea dos participantes, que pode influenciar a função do lóbulo frontal.

Os resultados sugerem que os maus hábitos alimentares que levam à obesidade não são simplesmente devidos à falta de auto-controle e de noção. Pelo contrário, quanto menor o tamanho dessa região no cérebro das pessoas, mais predispostas certas crianças estão de ganhar peso.

Ou então, a própria obesidade pode influenciar o tamanho do cérebro, que por sua vez estimula os maus hábitos. Os pesquisadores afirmam que os cérebros dos obesos podem ser moldados de forma diferente, ou danificados de uma forma especial que leva ao ganho de peso por comer em excesso.

Mas essas são apenas probabilidades. Esse estudo que mostra uma associação, e não uma relação de causa-efeito. E os pesquisadores não sabem se é a obesidade que pode levar a um menor lobo frontal, ou o pequeno lobo frontal que contribui para a obesidade.

Porém, os pesquisadores dizem que há uma explicação possível: a obesidade causa alterações no sistema imunológico, aumentando a inflamação no corpo. Este aumento de inflamação pode afetar o cérebro e levar a um ciclo vicioso: a obesidade leva a inflamação, que prejudica algumas partes do cérebro, que por sua vez leva a maus hábitos alimentares e obesidade.

E, mesmo não sendo diabéticos, os adolescentes obesos tinham níveis elevados de insulina, que também pode prejudicar o cérebro. Os indivíduos obesos, porque têm resistência à insulina, muitas vezes precisam produzir mais do que de costume para manter seus níveis de açúcar no sangue normais. [LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • Joab Teodoro:

    O cérebro regula o peso integrando as informações sobre as necessidades energéticas do corpo e a situação de seus estoques e, em resposta, inicia as mudanças de comportamento e de processamento de energia. Áreas especializadas estimulam sensações de apetite ou saciedade para que mais energia, na forma de alimento, seja assimilada ou que uma refeição seja encerrada.

    Se o cérebro não estiver fazendo este papel, a pessoas não saberá a necessidade de energia que ainda precisa.

  • Mari:

    Será que um dia vai ter como fazer com que esse impulso de comer comer e comer diminua um pouco? Tomara!

  • JAMESSON MARANHÃO:

    O TAMANHO DO CEREBRO EU NÃO ACREDITO QUE INFLUENCIE A OBSIDADE MAS O TAMANHO DA BOCA DO ESTOMAGO E DA GULA, COM CERTEZA SÃO RESPONSÁVEIS PELA OBSIDADE.

Deixe seu comentário!