O tempo pode se mover para trás em universos paralelos

Por , em 26.01.2016

A compreensão do que realmente é o tempo é uma das grandes questões em aberto da física, e tem intrigado os filósofos ao longo da história. O que ele é? Por que ele parece ter uma direção? O conceito que o define é a “flecha do tempo”, o qual é usado para indicar que o tempo é assimétrico – embora a maioria das leis do universo sejam perfeitamente simétricas.

Uma possível explicação para isso foi recentemente apresentada. O físico Sean Carroll, do Instituto de Tecnologia da Califórnia (CalTech), e o cosmólogo Alan Guth, do Instituto de Tecnologia de Massashussets (MIT), ambos nos EUA, criaram uma simulação que mostra que as setas podem surgir naturalmente de um sistema perfeitamente simétrico de equações.

A seta do tempo vem da observação de que o tempo de fato parece passar por nós e que a sua direção é consistente com o aumento da entropia do universo. A entropia é a medida da desordem do mundo; um ovo intacto tem menos entropia do que um quebrado, e se vemos um ovo quebrado, sabemos que ele costumava ser inteiro. A nossa experiência nos diz que os ovos quebrados não ficam inteiros de volta, que os cubos de gelo derretem, e que arrumar um quarto requer muito mais energia do que deixá-lo bagunçado.

Para qualquer lado

A obra de Carroll e Guth ainda é inédita, mas eles a discutem em profundidade na revista científica New Scientist. Sua simulação inclui um grande número de partículas que interagem sob a gravidade e que estão se movendo em direções aleatórias. Algumas partículas juntam-se naturalmente em um grupo, uma área de baixa entropia e, em seguida, se separam e expandem em um sentido de tempo específico. Surpreendentemente espelhando todo o sistema, a entropia ainda aumenta, o que demonstra que ambas as direções de tempo são uma solução viável.

Esta não é a primeira vez que algo assim tenha sido proposto. Em 2014, um grupo internacional de físicos desenvolveu um modelo simples que mostra que você pode ter leis simétricas da física e uma única flecha “aparente”. Seus resultados foram publicados na revista Physical Review Letters. Eles observaram que existe uma flecha do tempo, mas apenas do ponto de vista das partículas no sistema – para um observador externo, não havia nenhuma orientação especial.

O que os cientistas anunciaram vai ser definitivamente muito debatido assim que a pesquisa for publicada. O modelo oferece ideias intrigantes, mas não nos leva mais perto de responder o que é o tempo; se faz alguma coisa, ele aumenta as perguntas que temos sobre a sua natureza e complexidade. Nesta situação, é sempre bom lembrar da interpretação do escritor Douglas Adams: “O tempo é uma ilusão, o horário de almoço é uma ilusão em dobro”. [IFLS]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

Deixe seu comentário!