Terapia da compra: idosos que vão às lojas todo dia vivem mais

Por , em 9.04.2011

Um novo estudo sugere que fazer compras pode ser um sinal de vida longa para pessoas idosas.

Na pesquisa, os idosos que iam às compras todos os dias eram 27% menos propensos a morrer num período de 10 anos do que aqueles que compravam apenas uma vez por semana.

Pesquisadores de Taiwan examinaram os hábitos de compra de 1.850 pessoas com 65 anos ou mais. Eles acompanharam os participantes durante 10 anos, ligando os indivíduos a dados de registro nacional de óbitos entre 1999 e 2008.

Os participantes foram questionados do quão frequentemente iam às compras, com opções desde “nunca” a “todos os dias”. Também responderam sobre sua situação de trabalho, estilo de vida e prevalência de doenças a longo prazo.

Quase dois terços dos participantes do estudo tinham menos de 75 anos e pouco mais da metade eram homens. A maioria tinha um estilo de vida saudável, e 3 em cada 4 eram financeiramente auto-suficientes. Quase dois terços (60%) tinham até duas condições de saúde.

Os pesquisadores descobriram que aqueles que iam às compras mais de uma vez por semana tendiam a ser do sexo masculino e mais jovens (no extremo do espectro etário). Eles também tendiam a ser fumantes e bebedores, terem melhor saúde física e mental, fazerem exercícios físicos regularmente e terem companhia para jantar.

Os que iam às compras diariamente tinham 27% menos probabilidade de morrer. Os homens compradores tinham 28% menos chances de morrer, e as mulheres compradoras eram 23% menos propensas a morrer.

Porém, como o estudo foi limitado a pessoas de Taiwan, os resultados podem não se aplicar a todos os grupos de pessoas. Outro problema é que, como a compra foi associada somente a uma diminuição do risco de morte, é possível que idosos saudáveis sejam mais capazes de sair para fazer compras do que idosos doentes que já não têm muito tempo de vida.

A boa notícia é que também é possível que as compras melhorem mesmo a saúde, através da garantia de uma boa oferta de alimentos para uma dieta saudável e de exercícios físicos (como caminhar pelas lojas), além de proporcionar interação social e companheirismo.

Segundo os pesquisadores, fazer compras inclui várias dimensões do bem-estar pessoal, saúde e segurança, bem como contribui para a coesão da comunidade e da economia e pode representar ou realmente conferir aumento da longevidade. [LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

24 comentários

  • Gabriel:

    Também, considerando o que os idosos mais compram, são medicamentos, é natural que eles tenham uma maior longevidade!

  • neusa:

    gostei do comentario do gersom se não der pra maria mole todos os dias , aumenos va~o ganhar umas varizes a mais.

  • claudemir da silva:

    os aposentatos no brasil ganha tão mal que essa terapia de compra não vai dar resultado

  • Gerson:

    Quero ver um aposentado no Brasil fazer compra todo dia… Comprar o que? Uma maria-mole?

  • Pleonístico:

    Então vou começar a ir as compras todo dia, apartir de hoje, vou ter muitas chances de virar imortal.

    “Os que iam às compras diariamente tinham 27% menos probabilidade de morrer.”

    Ou seja, morrer é ocasional, só alguns morrem.

  • Wilian:

    Sinistro vai ser pra largar o vicio depois…

  • Marilda Baptista:

    Oba! Me dei bem………

  • Claudio Azevedo:

    Passei uns meses morando em Copacabana, bairro com grande predomínio de pessoas idosas, e no no Posto 6, trecho dele onde há diversos supermercados de pequeno porte. E lembro ser comum, nesses supermercados, que idosos informassem às pessoas que iam compram um produto que tal coisa estava melhor e/ ou mais barato no supermercado tal, da rua tal.
    Percebi que, por orçamento apertado ou tempo disponível, talvez os dois, os idosos costumavam passar em vários supermercados para verificar a qualidade e preços dos produtos que desejavam. E, não somente conseguiam as melhores ofertas para eles, mas ainda se dispunham a informar os demais idosos e não idosos [como eu, à época] sobre a má qualidade de um produto e onde encontrar coisa melhor e mais barata. Esse fato ocorreu comigo [que nem era chegado a essas compras] ou junto a mim por diversas vezes
    [lembro-me bem pois ficava irritado].
    Para tal, ficavam parados junto a um produto inadequado, e bem paternais e muito satisfeitos de prestar um serviço público, avisavam que o buscava, e com frequencia engrenavam um papo do tipo coletivo, várias pessoas opinando, que no Rio não é nada difícil ocorrer.
    O estudo apresentado pareceu-me ser bem dentro dessa observação, pois frequentemente as compras de alimentação e farmácia são das poucas atividades que solicitam os idosos no sentido de ação e decisão.

  • Célia Regina:

    Silvio, a história que você conta de sua vizinha idosa, levou-me ás lágrimas.

    Gilmar…babaca.
    Que tal você ler a opinião do Silvio e da Magda Patalógica prá ver se aprende e saia do labirinto em que se enfiou?

    Acorda, meu!

  • luciana:

    Silvio, me comoveu.
    Gilmar, pare de cheirar meia suja!!!!!!

  • agente:

    coitado dos veios, nem eles sao perdoados pelo consumismo…

  • Silvio:

    Caro Gilmar:

    Seu longo e cansativo discurso está recheado de algumas corretas afirmações espiritualistas, porém um pouco mal interpretadas.

    Concordo com a Magda Patalógica que foi muito coerente ao demonstrar que o idoso deve interagir e o ato de fazer compras exercendo o poder de decisão é importante para a saúde mental dos idosos.

    Na minha opinião, ir às compras todos os dias é um exagero e se constitui num ato compulsivo.
    Mas os idosos que exercitam a mente, o corpo e têm uma vida familiar equilibrada, retardam o atrofiamento, vivendo mais.

    Sua interpretação sobre o karma é um tanto fatalista e fechada, pois o objetivo da reencarnação é a evolução e de acordo com ela, podemos diluir ou desintegrar totalmente alguns Karmas. Tudo depende de nós.
    Então, o destino e a predestinação, se tornam relativos pela própria Lei da Evolução. Allan Kardec aborda isso muito bem nas obras da codificação.

    Minha vizinha, uma senhora saudável de 71 anos, era participativa, lia, assistia óperas e cantava num coral da terceira idade.
    Seu único filho que mora nos Estados Unidos, veio ao Brasil para vender o apartamento e internou sua mãe num asilo.
    Vendeu tudo que continha no ap e jogou no lixo o que não tinha valor, para desocupar e voltou para os EUA.
    Eu recolhi do lixo alguns objetos como álbum de fotos, bibelôs e os levei para ela no asilo.
    Infelizmente seu estado emocional era desolador. Tristeza profunda e definhamento, que ela quase não me reconheceu.
    Ela durou 15 dias nesse estado e morreu de tristeza e desgosto.

    Eu pergunto:
    Se ela continuasse morando em seu apartamento, levando sua vida participativa como sempre levou, seu falecimento teria acontecido?

    Ou todo Karma é irredutível?

  • Ricardito:

    O Estudo mais ridículo e absurdo de que alguma vez ouvi falar…
    Haja saúde( e dinheiro)

  • Eu:

    Veja bem o tanto que esses velhinhos vão estar se exercitando, todos os dias saem para fazer compras ou empurrando o carrinho ou segurando a cesta de compras, (todos os dias) não éh todo velhinho que faz isso oO

  • Elizabeth:

    Tenho minhas dúvidas sobre “ir às compras todo dia prolonga a vida”.
    Acho que socializar, sim, possa prolongar a vida, mas nada a ver com compras.
    Concordo com o que diz na matéria:
    “é possível que idosos saudáveis sejam mais capazes de sair para fazer compras do que idosos doentes que já não têm muito tempo de vida”.

  • Magda Patalógica:

    Legal este estudo.

    Os idosos possuem certa tendência progressiva de se tornarem cada vez mais passivos e contemplativos.

    Ao irem às compras, exercem o PODER DE DECISÃO, escolhendo os produtos por qualidade, preço e contabilizam quanta grana têm para gastar e o que podem comprar.

    A foto da matéria é perfeita. A velhinha botou um casaco, e mesmo com uma perna inchada, foi ás compras numa noite chuvosa. Isso é que é determinação!

    É no supermercado ou na feira que encontram seus amigos para um breve bate-papo, colocando as conversas em dia. Os idosos geralmente não ficam “pendurados” no telefone e preferem o tête-à-tête.

    Acredito que o exercício do poder de decisão seja um fator preponderante na vida saudável dos idosos, pois em casa eles estão sujeitos à passividade, assistindo televisão, cumprindo horários de almoço, jantar, dormir, levantar e até no uso do banheiro.

    Muitos sequer podem opinar sobre o cardápio das refeições, com exceção das vovós que ainda cozinham.

    É a minha opinião.

    Fui.

  • Gabriel:

    Olá,
    Ah… que boa noticia!
    Eu sou um comprador compulsivo!
    Eu gosto muito de comprar, principalmente sapatos femininos!
    Não sei se o que mais me agrada, é o simples fato de comprar ou o de usar, o que eu compro!
    Muitas vezes eu compro e uso uma ou duas vezes e quero comprar outros!
    Eu compro muito, atravéz da Internet (lojas virtuais). Será que é valido?
    Araços,
    Gabriel

  • Gray:

    Será que não é o contrário, eles vão mais às compras por serem mais saudáveis, portanto vivem mais?

  • nelio huster:

    Ahhhh!!! Agora entendi o porquê do idoso brasileiro viver menos!!! Faz poucas compras…

  • penso logo existo:

    Pessoas saudaveis fazem mais compras,
    pessoas saudaveis vivem mais,logo, pessoas que fazem mais compras vivem mais.

    ou

    Pessoas que fumam vivem menos,recem nascidos não fumam, logo, recem nascidos vivem mais.(contrariando a mortalidade infantil.

    Não pense, vá as compras e viva mais

  • Gilmar:

    Aliás, “comanda a Vida não, É a VIDA!!

  • Gilmar:

    Pô, mas hoje o bicho tá pegando mesmo!
    Como tem postagens estranhas!

    Essa do idoso viver mais por irem às lojas, pegou em cheio no meu estômago! – Foi golpe baixo!

    Pô, ô Natasha, aí cê “pisô na fulô”, sô! – Uai!

    Ô amiga, acaso nunca te ocorreu (apesar de o artigo não ter escrito por você), que NADA externo pode determinar “quando, como, porque e de que forma” iremos partir desse plano para outro?

    Será que você, (e os “estudiosos do assunto?), ainda não perceberam que “Algo Maior” comanda a VIDA?

    Que existe uma Lei aqui neste planeta, que muitos chamam de Karma, que regula, mantém e controla tudo isso?

    Será que esses ‘estudiosos” conseguem compreender o significado da ENERGIA INESGOTÁVEL, que todos os seres de todos os Reinos são dotados?, e que “jamais’ poderá ser compreendida e assimilada, mas apenas experimentada “através da Alma?

    Que sabemos sobre a Alma?

    Isso é o que “esses estudiosos” deveriam estudar, tentar compreender, vivenciar e passar para nós outros!

    Mas são capazes?
    Não, claro que não!

    Não são porque estão com suas mentes ocupadas com “fantasias”, e submissos” ao ego!

    O que eles sabem sobre o ego?
    Sobre a personalidade?
    Pouco, muito, mas muito pouco!

    Haja visto que se identificam com seus corpos materiais!
    Que queremos mais?

    O momento de “irmos ou permanecermos aqui, em hipótese alguma está, ou poderia estar, referenciado com a nossa “suposta qualidade de vida”!

    Fosse assim, as pessoas que vivem 100 anos ou mais, e se alimentam de forma simples e vivem das formas mais “humilhantes que se tem notícia”, morreriam antes dos 50 anos?

    E não é assim!

    Não é assim porque a Força que os conduzem e os mantém, é que sabe o “momento certo” de partir (ou voltar) para outros planos de Vida!

    Ora, quantas pessoas sabemos que se vão tão jovens?
    E outras, que tem uma existência tão simples e rasteira, vivem tantos anos a mais que outros “chamados saudáveis”?

    Esses “cientistas e estudiosos”, sequer (“ainda”) perceberam a Fonte de Vida que habita em todos nós!
    Como podem, baseados em estudos analíticos, determinarem ou estimarem alguma coisa que vai MUITO além da mente humana?

    Jamais! – NUNCA!

    Nunca conseguirão determinar tal coisa!
    Portanto, “desça” dessa ideia e não a apóie!
    – Ela é falsa!

    A Vida que flui através de nós, mesmo vendo o ego destruindo o corpo e a mente, tem planos para o ser vivente, que somente ELA sabe!

    Idosos que vão às lojas vivem mais!
    – Santo Deus da misericórdia, como ainda somos ingênuos!

    Estudiosos não sabem aonde vão estar a “Um segundo” em suas existências efêmeras, que dirá de outras pessoas?

    São, isso sim, uns tolos!
    – Não devemos dar-lhes crédito!

    Devemos (todos nós!) é investigar em nosso Interior, ma Alma, o que de melhor devemos fazer, quando, como, porque e de que forma: Sempre!

    Essa coisa de que viveu 1, 10, 20, 50, 80, 100 anos, e se foi, ou ainda está aqui, nunca estará sob a percepção mental; principalmente analítica!

    – e se um desesperado se suicida?, e “antecipa” a coisa?
    O que é isso?
    Acaso? – Não, ignorância!

    Após muitos “ciclos de vida”, onde as Almas fazem suas experiências através dos egos-personalidades, ela, a Alma, sabe o quanto e até quando um ego lhe servirá!
    Não o contrário!

    Mas os “chamados cientistas” nada sacam disso!
    São uns egos-fantoches!
    – Ficam espalhando estas notícias, unicamente com interesses comerciais!

    É isso! (por hora!)

  • Rasmi:

    acho o estudo bem interessante ,o idoso ao ir a um mercado fazer compras tem a possibilidade de interagir com mais pessoas o que por vezes leva a sentir-se util enquadrado foge da solidao e do stress da rotina de estar em casa leva a felecidade o que contribuir para longa vida apenas uma opiniao

  • EP:

    É interessante como as mínimas coisas podem fazer um bem danado para nossa saúde.

Deixe seu comentário!