Membros de tribo sem contato com civilização têm o pior destino imaginável

Garimpeiros ilegais foram ouvidos em um bar próximo à fronteira com a Colômbia gabando-se de terem assassinado e desmembrado grupo de indígenas no Vale do Javari. Eles mostravam um remo feito à mão como prova do crime, que teria acontecido no último mês de agosto.

Segundo informações da organização não-governamental Survival International, esses garimpeiros ilegais teriam cometido o crime para roubar pertences dos indígenas e ouro. A ONG de proteção aos direitos de indígenas do mundo todo alerta que devido ao pequeno número de tribos amazônicas isoladas, é possível que este último episódio tenha eliminado uma importante porcentagem desta população.

“Eles gabaram-se de os terem cortado aos pedaços e de atirarem os corpos ao rio”, afirma Leila Sílvia Burger Sotto-Maior, da Fundação Nacional do Índio, à imprensa local.

Impressionantes novas fotos de tribo isolada da Amazônia

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal começam a investigar a denúncia, que teria ocorrido perto dos rios Jandiatuba e Jutaí, próximo à fronteira com o Peru. O procurador responsável pelo caso é Pablo Luz de Baltrand.

“Se a investigação confirmar a denúncia, este será outro massacre genocida que resulta diretamente da falha do governo brasileiro em proteger suas tribos isoladas – algo que está na Constituição”, diz Sarah Shenker, da ONG Survival International.

Durante o governo Temer, os fundos da Funai têm sido cortados radicalmente. No último mês de abril, 5 das 19 bases da fundação usadas para monitorar e proteger tribos isoladas foram fechadas, enquanto a equipe foi reduzida nas bases restantes. Essas bases têm como missão prevenir invasões de mineradores e madeireiros e de fazer o primeiro contato com tribos recém-saídas do isolamento.

“Já tivemos problemas com outros governos, mas nada como este”, aponta Sotto-Maior. Os fundos da Funai foram cortados de R$7,5 milhões para R$2 milhões.

Estes cortes vêm acompanhados de medidas polêmicas como a tentativa de abertura de reservas na Amazônia a exploração por mineradoras. Ativistas apontam que são os grupos indígenas – especialmente as tribos ainda sem contato – que são os mais vulneráveis quando se trata de disputas de terras.

O Vale Javari é conhecido como a Fronteira Isolada da Amazônica, já que tem mais tribos isoladas que qualquer outra parte do mundo. Cerca de 20 das 103 tribos isoladas registradas no Brasil ficam no vale.

Novas fotos revelam estilo de vida de tribo isolada na Amazônia

Massacre em fevereiro

Beltrand afirma que este é o segundo episódio do tipo que está sob investigação no ano. O primeiro se trata do massacre de outra tribo isolada. “Foi a primeira vez que tivemos esse tipo de caso na região. Não é algo que acontecia antes”, disse ele em entrevista por telefone ao The New York Times.

Entre 9 e 18 pessoas da tribo isolada Warikama Djapar teriam sido assassinadas, possivelmente pelas ordens de um proprietário de terras da região.

Em 2014, outra tribo isolada foi massacrada na fronteira entre o Peru e o Brasil. [Independent]

ERRATA: Na publicação original, os termos “mineradores ilegais” foram substituídos por “garimpeiros ilegais”, em respeito à classe de mineradores que realiza importante trabalho de acordo com a lei. 

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (12 votos, média: 4,83 de 5)
Curta no Facebook:

11 respostas para “Membros de tribo sem contato com civilização têm o pior destino imaginável”

    • Foi você que insinuou que evolução das civilizações ,das sociedades e culturas são mimimi, que só existe evolução biológica,não eu.

    • Não Jefferson, eu disse que dizer que o ser humano não está evoluindo biologicamente, e apresentar como evidência coisas que não tem nada a ver com evolução biológica é mimimi. Pode não ser mimimi, mas com certeza é um erro tremendo.

    • SE forem pegos, pode ser que sejam presos, julgados e condenados. Eu não levo muita fé, uma das características da justiça brasileira é a impunidade. Mal se investiga, pouco se prende, e quase nunca vai para a cadeia quem comete crimes. Claro, as cadeias estão cheias de gente, mas é tudo pobre e morador de periferia, não é como se a justiça estivesse trabalhando para tornar a sociedade mais segura e justa.

    • Que besteira de argumento é este, Rodrigo? A evolução biológica é um fato, e o que estes mineiros fizeram com os indígenas não é diferente do que os chipanzés fazem com outros chipanzés quando tem a chance. “Infanticídio”, canibalismo, tudo isso faz parte da natureza, e por mais que isto nos deixe indignados, dizer que isto é prova de que não há evolução é só mimimi.

    • Não. Evolução em biologia é a mudança da frequência dos alelos na população. Estender deste jeito é dizer que não existe evolução além da humana, ou você já viu alguém estudar a “evolução política das bactérias”?

Deixe uma resposta